Ontem, dia 24 de março, teve a primeira PerifaCon em São Paulo, que aconteceu na Fábrica de Cultura do Capão Redondo. Eu (Clarice) fui para o evento e queria falar um pouco sobre o evento.

A ideia da PerifaCon era fazer uma evento de cultura pop descentralizado, de forma que as pessoas da periferia também pudessem acessar uma convenção nerd. Além da centralização dos eventos de cultura pop, os preços para entrar, além do consumo dentro desses eventos, é muito caro, inacessível para várias pessoas que gostam do universo nerd. A PerifaCon é gratuita, com apoio de voluntários e uma campanha de financiamento coletivo para ajudar com as despesas. Além disso, o preço das coisas dentro do evento, tanto comida quanto quadrinhos, livros e artes, estavam muito mais em conta do que a grande maioria dos eventos.

A PerifaCon trouxe uma série de atividades e conteúdo para o Capão Redondo. Inúmeras mesas de debate relevantes, um espaço de boardgames, RPG, editoras com descontos e um beco dos artistas disputado, com muito trabalho de qualidade e novos artistas para conhecer.

Beco dos Artistas da PerifaCon

Fiquei muito feliz de ver tantos produtores de conteúdo e artistas dispostos a trazerem tanto conteúdo para a PerifaCon. Muitas pessoas compareceram, fazendo alguns ambientes ficarem pequenos para a quantidade de gente que tinha. O que só mostra como o evento foi um sucesso. Havia filas, mas nenhuma delas era absurda. O cadastro antecipado do evento fez com que as pessoas esperassem menos do que poderiam, o que é sempre positivo.

Eventos nerds sempre me fazem me sentir renovada, apesar do cansaço. É sempre gostoso ver tanta gente querida, apaixonada pela cultura pop e buscando fazer as coisas acontecerem. Além de que é uma ótima oportunidade de conhecer ótimos trabalhos, que nem sempre ganham o espaço que merecem. A PerifaCon vem trazendo algo muito necessário e que as pessoas do nosso meio precisam entender cada vez mais.

Primeiro, a importância de buscar cada vez mais formas de tornar a cultura pop acessível. A maioria das pessoas não pode gastar muito dinheiro em um ingresso, e há eventos muito caros acontecendo e tendo muita visibilidade. Existe uma glamourização de que o evento só é bom se você gastar muito e ficar horas dormindo em uma fila para conseguir um lugar em um painel. Isso é pouco acessível e, honestamente, afasta cada vez mais pessoas desses ambientes.

Enquanto algumas pessoas querem que esses eventos sejam cada vez mais exclusivos, com um público bem seleto, eu acredito que muitos de nós precisam sim pensar sobre tornar esses eventos espaços mais inclusivos. Não só em questão de representatividade, mas também no aspecto de tornar esses espaços acessíveis, que mais pessoas possam frequentar e aproveitar, não só uma parcela privilegiada que pode pagar mais.

Mesa de debate Arte como Resistência, organizado pelo Jornal Empoderado

A cultura pop, e a arte de maneira geral, são muito amplas e devem ser feitas e acessíveis para todos. Estamos vivendo em uma sociedade capitalista, então o sistema não nos ajuda a tornar as coisas inclusivas, mas se queremos melhorar a situação e temos a oportunidade de darmos passos para um lugar melhor, nós devemos fazer isso.

Eu participei de uma mesa, por convite do Jornal Empoderado, sobre Arte como Resistência, junto com pessoas maravilhosas. Lá nós falamos da importância da arte passar mensagens, como fazer arte em si, na nossa sociedade, é resistir, mas é um movimento que precisa acontecer. É muito importante esse tipo de debate, que muitos espaços não permitem ou limitam ao máximo possível. Não dá para tirar o aspecto político da arte e da mídia, que é onde a cultura pop se encaixa em vários momentos.

A PerifaCon mostrou que eventos de cultura pop de qualidade podem ser feitos de formas diferentes da que estamos acostumados. A descentralização é importante, esses eventos podem sim acontecer na periferia. Não é só uma elite privilegiada que merece ter acesso à cultura pop, todos podem acessar esse conteúdo e também criar dentro desse meio. Cultura pop é para todos, tem que ser, por isso a PerifaCon e seu sucesso é tão importante.

Espero que a próxima PerifaCon aconteça logo e cresça cada vez mais, dando mais oportunidades como essas. Além disso, espero que outros eventos comecem a aparecer, espaços que sejam acessivos e inclusivos, não só que queiram carregar um status quo.