Nós aqui no Nebulla já nos posicionamos contra Bolsonaro, tanto no site quanto nas redes sociais. Sim, nosso foco é cultura pop, mas tudo na sociedade é política, quando falamos sobre representação, violência e ódio, isso é uma postura política. Várias obras que consumimos possuem um viés político.

Eu peço para que você me dê alguns minutos para eu te explicar porque esse jogo é uma má ideia e reflete muita coisa. Mesmo que você vote neste candidato ou se está indeciso, me dê um momento para que possamos conversar.

Dito tudo isso, essa semana vimos esse jogo no Steam, Bolsomito 2k18, que está disponível para os jogadores. A descrição do jogo diz:

Derrote os males do comunismo nesse game politicamente incorreto, e seja o herói que vai livrar uma nação da miséria. Esteja preparado para enfrentar os mais diferentes tipos de inimigos que pretendem instaurar uma ditadura ideológica criminosa no país. Muita porrada e boas risadas.

De acordo com o jogo, o protagonista, Bolsonaro, vai lutar pelas ruas e cidades do Brasil contra aqueles que querem destruir a nossa nação, os “líderes do exército vermelho”. Entre os inimigos estão feministas, membros do MST, representações de políticos de esquerda, entre outras minorias. Nas imagens do jogo, há também cenários que mostram bandeiras coloridas, fazendo alusão ao movimento LGBT+, mostrando que são pessoas que querem implementar o inexistente “kit gay” nas escolas.

Entre as conquistas do jogo, existem piadas e trocadilhos com pessoas de esquerda, além de ironizarem gritos conhecidos entre os movimentos de minoria, como o “Não Passarão” que as manifestações feministas costumam usar.

Sim, nós já falamos aqui sobre jogos violentos, e como eles não transformam pessoas em assassinos que saem batendo nos outros na rua. O problema com este jogo, especificamente, é que ele está fazendo piada com violência contra minorias, grupos que já são alvo de preconceito, o que configura em disseminação do discurso de ódio. Ele está usando a imagem de um político que incentiva a violência como protagonista, que derrota aqueles que não concordam com eles através de violência. Não só é uma daquelas brincadeiras que não devem ser feitas, como incentiva sim uma mentalidade que, infelizmente já estamos vendo por aí esses dias.

Como o Bolsonaro incentiva a violência?

Há outros exemplos, mas acho que deu pra entender que, incentivar violência e relativizar essas atitudes é uma forma de legitimar esses atos para o resto da população. Não, o Bolsonaro provavelmente não vai entrar na sua casa e te agredir, mas aqueles que se identificam com esse discurso e veem nele legitimação, podem fazer isso.

E esses não são os únicos relatos que vimos nos últimos dias. Existem diversos relatos nas redes sociais de pessoas da comunidade LGBT+ que sofreram ameaças de morte por eleitores do Bolsonaro. A torcida do Atlético Mineiro gritou em campo que “Bolsonaro vai matar viado”, além de pessoas no metrô de São Paulo terem feito o mesmo.

A criação desse jogo é só um reflexo do que o discurso deste candidato causa. Não adianta se esconder atrás da bandeira do “politicamente incorreto”. Quando alguém do tamanho desse cara legitima esse discurso, ele abre brecha para que as pessoas, principalmente minorias, que são contra seu discurso, sejam agredidas e mortas. Não é à toa que vários inimigos do jogo são minorias.

Quando esses atos não são repudiados, os que acreditam nessa mentalidade entendem que está tudo bem agir dessa forma, seja na própria agressão ou disseminando ideias de que não há problema nisso. Cria-se uma ideia de que a violência não é um problema tão grande, que é só brincadeira e está “tudo bem”. Enquanto isso, essas mesmas minorias que apanham no jogo são as que mais temem a eleição de Bolsonaro, porque se agora essas agressões já são bem reais, imaginem em um cenário em que o homem que legitima esse discurso é eleito pela maioria da população.

Impedir a circulação não é censura, é combate a um discurso de ódio que tem consequências reais nas pessoas, não só nos pixels do videogame. É o paradoxo da tolerância, quando discursos de ódio são permitidos em uma sociedade, logo eles crescem e resultam no fim da tolerância em si. Por isso discursos intolerantes não podem existir em uma sociedade como a nossa.

O jogo está disponível no Steam e eu peço, para todos que leram e entenderam esse texto, que busquem denunciar o jogo.