Tem novo projeto de quadrinhos no Catarse e não dá para perder! Organizado pela quadrinista Ellie Irieu, a HQ chega com uma proposta de aquecer nossos corações LGBTs. Fiz essa pequena entrevista com ela, também uma das autoras da edição, para conhecermos mais sobre a produção independente. Chega mais!

Uma coletânea de quadrinhos sobre identidade, descobrimento e aceitação.

Samanta Coan: Como você tem percebido as produções brasileiras sobre as relações homoafetivas e como isso influiu no escopo e na produção desse projeto?

Ellie Irineu: É uma área que tem crescido bastante nos últimos anos, mas ainda tem muito espaço. Temos séculos de produção em literatura sobre relacionamentos heterossexuais, mas a produção de conteúdo LGBT é ainda bem nova. Acho que quanto mais pessoas escreverem histórias que fujam da heteronormatividade, melhor. Porém, dentro da produção que já existe, eu sinto falta de histórias positivas ou com finais felizes. Há um foco muito grande na parte trágica de ser LGBT, mas fazer parte desse grupo vai muito além disso. Daí que nasceu a ideia de montar um livro apenas com histórias quentinhas.

Porque o tema/conceito Sair do Armário?

Sair do armário pode ser um momento muito difícil, existe muito preconceito em todos os níveis da sociedade e nunca sabemos como os outros vão reagir, se vamos ser ou não aceitos por aqueles próximos de nós. Mas mesmo com tantas dificuldades, esse momento ainda pode ser positivo, e é justamente isso que queríamos mostrar: histórias sobre aceitação, de passar a viver sem se esconder, com esse momento sendo algo feliz e quentinho, pra dar esperança a todos os leitores que possam estar passando por isso.

Quem vai estar nessa edição e como foi a seleção para esses autores/autoras?

Além da minha, o projeto conta com as histórias da Aline Lemos, Annima de Mattos, e Renata Nolasco. Foi importante pra mim chamar pessoas que pudessem escrever baseado em suas próprias experiências. São todas ficção, mas já cansei de ver gente hétero escrevendo sobre ser gay, ou gente cis lançando histórias sobre o que é ser trans. Então nessa coletânea ao ler uma história sobre ser bi, pode ter certeza de que a autora é bi e sabe do que está falando. Temos também Dika Araújo com a arte da capa e do catarse, que é algo que me deixa muito feliz. Ela está entre as artistas que eu mais amo, e foi incrível poder convidá-la pra fazer parte disso.

O que podemos esperar desse projeto?

São quatro histórias, entre 18 e 27 páginas cada, todas feitas pra deixar o leitor sentindo um quentinho gostoso por dentro.

O lançamento já tem data e local previstos?  
Estamos pensando em lançar na Poc Con, no dia 22/06 em SP!

Mal começou a campanha de financiamento, mas existe a intenção de desdobramentos do projeto?
Vai depender do sucesso dessa primeira edição, e estamos focando nisso antes de pensar no futuro. Mas como eu disse antes, ainda tem muito espaço pra se criar histórias quentinhas sobre pessoas LGBT, então quem sabe?

Compartilhe e apoie como puder!

Conheça mais sobre o quadrinho na página do projeto:

Histórias Quentinhas Sobre Sair do Armário.

<3

__

Samanta Coan é designer gráfico, feminista, ex-lady’s comics, pesquisadora de museus comunitários, é voluntária no Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos… e ainda perde tempo com doramas, principalmente, aqueles com comida!