O Artist’s Alley é conhecido como o coração da CCXP. Ao longo dos anos de evento, é um dos lugares que mais atrai o público, e também que reúne inúmeros talentos do mundo dos quadrinhos e ilustrações.

Desde a época do Collant, nós fazemos uma lista de todas as mulheres que estarão participando do Artist’s Alley. Infelizmente, sabemos bem que o universo nerd ainda é muito machista, então para celebrar as mulheres que estão conquistando esse espaço, vamos fazer essa lista para você conhecer todas as que estarão lá e já fazer a sua lista!

Fileira A

Balelas, lorotas, abobrinhas, lero-leros e conversas fiadas: “Umas Potocas” são micro-narrativas gráficas sobre episódios cotidianos, que insistem em rodear o imaginário de Majane. “Umas Potocas” surgiu no Instagram, no ano de 2017, sob a forma de desenhos e pequenos textos sobre vidas alheias, desvendando aspectos – ora banais, ora incomuns – de pessoas que cruzavam seu caminho. O projeto ganhou uma dimensão além das pretensões iniciais e, assim, Majane percebeu que era inevitável abraçar os quadrinhos como formato narrativo para poder dar vazão a histórias que precisava contar. Então, foi fisgada pela nona arte e entendeu que é por meio dela que seguiria dando vida a causos que encontrava por aí. Em setembro de 2018, na Bienal de Quadrinhos, lançou seu primeiro livro, “Café bem Tomado”. Numa mescla de tirinhas e ilustrações, esta pequena publicação foi o despertar de fartas alegrias. — Trabalhou muitos anos como ilustradora para o mercado publicitário e editorial, desenhou para as revistas Contra Relógio, Criativa, Época/SP, Saúde, Ciência Hoje, Versatille, jornal Folha de SP, entre outras. Estudou Publicidade e Propaganda (FAMECOS/PUCRS) e fez pós-graduação em Expressão Gráfica pela FAU/PUCRS. Ministrou oficinas de desenho no Brasil, Canadá e Portugal. Com seu trabalho autoral, participou de eventos como Paralela Gift, Parada Gráfica, Mercado Manual, Open Design, Feira Papelera, além de exposições individuais e coletivas. Depois de tudo isso, descobriu-se quadrinista e, agora, sente-se plena e feliz! 🙂

Verônica Saiki – Very Brasiliense, nascida em 1982, formada em Artes Plásticas e pós-graduada em Designer Gráfico e Editorial. Sua bagagem é composta por diversos trabalhos e projetos, tendo os quadrinhos um lugar especial em seu coração. Produziu e lançou, de forma independente, suas publicações: “Verdugo o inacreditável – Procurados” e “Boa Noite, Maria!”, que foi indicado ao 29º Troféu HQMIX e também selecionado para o catálogo da 12ª Bienal Brasileira de Design Gráfico. Projetos atuais: ilustrou na campanha do Dia das Mães para o Banco do Brasil e produziu história em quadrinhos para a revista informativa sobre o benzeno da Fepospetro, São Paulo. Contatos e portfólios: veryunica@yahoo.com.br @vsaiki www.veronicasaiki.com.br www.verdugooinacreditavel.com.br

Melissa é apaixonada por arte desde criança. Hoje, é formada em Artes visuais e atua como ilustradora de livros infantis, didáticos e quadrinhos. Este ano, lançará dois quadrinhos e um livro infantil ilustrado na CCXP, além de vários outros produtos. Apareça na mesa!

Mylle Silva é escritora, roteirista e artesã. Dedica-se à escrita desde os 8 anos e em 2014 lançou seu livro de contos A Sala de Banho, encadernado manualmente por ela. Também participou das coletâneas de contos “Flupp: Novos Talentos” (2015) e “Quixote sama e outros contos fantásticos” (2018). Trabalha com quadrinhos e participa de eventos da área desde 2013. É roteirista e idealizadora da HQ “A Samurai”, que conta com a participação de 8 novos talentos dos quadrinhos nacionais. A graphic novel, viabilizada através de financiamento coletivo, é uma série que conta com outras duas publicações: “A Samurai: Yorimichi” e “A Samurai: Primeira Batalha”. Em 2018, trabalhou, entre outros projetos, na HQ “Doce Jazz”, na qual o leitor acompanhará Elisa em sua jornada de autodescoberta regida por jazz e novos amigos em um país distante. A HQ, ilustrada pela artista Melissa Garabeli, não possui falas e será lançada em dezembro, na CCXP. Em 2017, passou a ministrar oficinas de Escrita Criativa através da Fundação Cultural de Curitiba. Hoje também dá aulas de Roteiro para HQ na Gibiteca de Curitiba e workshops de curta duração em espaços culturais da cidade. Escreve artigos e partilha seu amor pela escrita através do site Oficina de Escrita. Fundou, junto com Cássio Menin, a Têmpora Editora, com o intuito de produzir livros artesanais em pequenas tiragens. Já publicou a coletânea de contos Criame, a coletânea de HQs “Caçadores de Histórias” e também o Guia (mais do que) Básico e Prático para Escrever um Roteiro de HQ. Sites www.oficinadeescrita.com.br (artigos sobre escrita criativa) www.asamurai.com.br (HQ autoral) myllesilva.minestore.com.br (loja virtual) Redes Sociais www.facebook.com/myllesilva www.facebook.com/asamuraihq www.facebook.com/oficinadeescrita.oe www.facebook.com/segundaprosaqueartapoesia www.instagram.com/myllesilva www.instagram.com/segundaprosaquartapoesia www.twitter.com/myllesilva

Completamente apaixonada por games e quadrinhos independentes, Bruna Aurélio atua como ilustradora produzindo arte para jogos, animações e livros infantis. Atualmente, trabalha como Concept Artist no estúdio de games Insane, em São Paulo. Neste ano, ela irá lançar seu primeiro quadrinho na CCXP 2018, além de levar prints de jogos e HQs, artes originais e materiais e brindes exclusivos.

Carol Studzinski é uma ilustradora de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Estuda Artes Visuais na UFRGS e mora com oito cachorros, um passarinho e uma tartaruga. Atualmente, dedica-se a criar personagens e contar suas histórias. Para a CCXP deste ano, Carol vai lançar o livro ilustrado “Começos”, que acompanha a história de Choco, uma raposinha da cidade que se mudou para um bosque distante, onde tudo era diferente e desconhecido. Nesse lugar fantástico, Choco conhece Mocca, uma coelhinha aventureira e destemida, que o ajuda a superar seus medos e dificuldades de adaptação. Os dois saem em uma aventura repleta de magia e acabam descobrindo a solução para um misterioso caso que estava perturbando a Cidade dos Cogumelos, que fica no alto da maior colina do Bosque do Pinheiro Ancião, onde a dupla mora. A história acompanha o desenvolvimento dos dois personagens e mostra como eles se tornaram amigos inseparáveis, que saem juntos para desvendar diversos mistérios do universo. Carol também irá lançar um zine com uma coletânea de doze ilustrações das Raposinhas do Zodíaco, que são criaturas mágicas inspiradas na astrologia ocidental. Cada página do zine é dedicada à um signo do zodíaco, representado por sua raposinha guardiã.

Ilustradora formada em Design Gráfico, Priscila hoje trabalha desenhando e colorindo quadrinhos para o mercado americano, na publisher IDW, em títulos como “Transformers”, ‘Godzilla”, “GI Joe”, “Star Trek” e outros. Coloriu a graphic Novel “Laços”, da Turma da Mônica. Além de quadrinista, também atua no mercado de games, assim como concept e design para estúdios de animação, como a Warner Animation Studios. Trabalhou também com embalagem de brinquedos para a empresa Hasbro.

Ursula Dorada é ilustradora e concept artist, atualmente especializada na área de entretenimento. Trabalhou com clientes como Blizzard, Riot e DC Comics, fazendo artes para jogos e quadrinhos.

Junto a seu marido, Thiago Lehmann, fundou o estúdio 2Minds! Ambos atuam desde 2010 no mercado de ilustração de jogos, quadrinhos e publicidade (tanto nacional quanto internacional), além de desenvolverem projetos autorais como a nossa HQ “Plumba”, que já está em seu terceiro volume! Dentre os seus clientes, estão Blizzard, Riot Games, Valve (Dota2 e Counter-Strike) e muitos outros! A arte de ambos é focada em personagens e cores vivas 🙂

Isadora Zeferino é uma ilustradora carioca que ama flores, fine arts, pizza e cultura pop. Encontrou sua audiência nas redes sociais e se orgulha de conseguir diversificar seus clientes pra ter experiências em áreas como animação, desenvolvimento visual, literatura infantil, publicidade e editorial. Além de ter participado da CCXP em 2016 e 2017, nesse ano já fez parte do artist alley da La Mole, no México, e da New York City Comic Con. Estará lançando no evento seu primeiro artbook, “Pot Pourri”, financiado com sucesso em uma campanha de crowdfunding internacional.

Fernanda Nia é publicitária e ilustradora carioca aficcionada desde cedo por livros e histórias em quadrinhos. Começou seu trabalho autoral em 2011, ao criar o site Como eu realmente, que em 2014 conquistou uma série de livros publicados pela Editora Nemo. No primeiro semestre de 2018, a autora produziu uma revista especial nova das tirinhas, dessa vez uma coleção temática chamada “Como eu realmente: Entre cães e gatos”. Mais tarde no mesmo ano, ela ainda estreou na prosa com seu primeiro romance, “Mensageira da Sorte”, pela editora Plataforma21, fora do universo de “Como eu realmente”. Além das aventuras de seus próprios personagens, Fernanda Nia ilustra e cria conteúdo para outros livros e materiais do mercado editorial e publicitário, passando por editoras como Gutenberg, Record e Seleções. Como novidade na CCXP 2018, a autora lançará mais uma revista especial do “Como eu realmente”, dessa vez com a temática “relacionamentos e crushs”.

Kaol Porfírio é Ilustradora, desenvolvedora de jogos e designer de estampas apaixonada pela cultura pop. No início de 2015 iniciou o projeto Fight Like A Girl, uma série de ilustrações que homenageiam personagens femininas fortes do universo geek/pop. Por evidenciar o quanto elas são incríveis e influenciam nas nossas vidas, o projeto ganhou grande visibilidade nacional e internacional, inspirando inúmeras mulheres e meninas mundo afora. Além do projeto, Kaol é designer das estampas da marca de slow fashion Toda Frida, trabalhando desde 2014 nas peças e nos conceitos lançados pela marca, e é co-fundadora da desenvolvedora de jogos Kuupu, que está desenvolvendo atualmente o jogo Exodemon. Para a CCXP de 2018, Kaol trará dois lançamentos: sua primeira história em quadrinhos com roteiro original na coletânea “Teatro do Pavor” e um artbook para colorir.

Alice adora criaturas e busca dar um toque de estranheza, extraordinário e animalesco em tudo que faz. De seres radioativos a lobisomens, busca deixar sua marca monstruosa nesse mundo. Formada em Design de Jogos e atualmente cursando mestrado em Ciências da Linguagem com projeto de quadrinhos de terror, Alice atuou na desenvolvedora de jogos Fontec e atendeu clientes como Jovem Nerd, Megajogos.com e Campus Party Brasil dentre outros. É fundadora da Rebel Hound Studios e professora no SENAI e na Zaius Educalab. Além de cursos de curta e longa duração, Alice leciona palestras e oficinas, tendo passado por eventos como Campus Party Brasil, Olhares Múltiplos Univali, Aniventure, Bienal de Quadrinhos de Curitiba e The Developers Conference. Participou de workshops e cursos com artistas como Francisco Herrerra (Dreamworks, HQs), Mathias Verhasselt (Blizzard), Jordan Nieuwland (Blizzard), Bobby Chiu (Disney), Stephen Silver (Dreamworks, Sony) e Nathan Fowkes (Dreamworks). É autora do artbook para colorir “Radioactive!” e da série de quadrinhos “Bad Omen”. Seu quadrinho de ação e terror mostra um mundo onde criaturas sobrenaturais como vampiros e lobisomens estão à espreita nas sombras e buscam dar significado para suas existências. Com inspiração em RPGs de mesa, obteve sucesso em sua primeira edição e seu segundo volume, “Bad Omen 2: Spitfire”, foi destaque em mais de 15 portais de notícias, incluindo Omelete e revista Mundo estranho. Em 2018, lançará “Bad Omen 3: Sanguinus”, em que os protagonistas dos dois primeiros volumes terão que se unir para buscar uma informação sobre um inimigo em comum dentro de um poderoso bando de vampiros. Além de seu quadrinho autoral, também lançará as antologias “Super Contos da Ilha” e “Teatro do Pavor” na CCXP 2018.

Erica Linhares é ilustradora digital e artista tradicional, curitibana e formada em pintura pela Belas Artes do Paraná. Após formar-se, desistiu da carreira como artista e teve os mais diversos trabalhos antes de voltar a desenhar. Chegou a passar cinco anos sem pegar em um lápis. Foi na metade de 2016 que mudou completamente sua vida, voltando a praticar e criar. E, assim, passou a publicar seu trabalho nas redes sociais. Daquela época para cá, Erica tem crescido como artista, trabalhado com fanart e quadrinhos, além de fazer retratos e trabalhar com arte autoral, tudo dentro de um linha de trabalho muito pessoal e procurando sempre desenvolver uma arte única e expressiva.

Hannah tem 21 anos e, no momento, está cursando Design. Carioca, perdidamente apaixonada por arte e sem conseguir decidir qual mídia é sua favorita. Migra do graffiti para o lettering e arte digital. Trabalha atualmente como designer e, no tempo restante, está desenhando. Seus trabalhos são sempre muito coloridos e, geralmente, sobre garotas, porque são coisas que a tocam e através das quais se comunica.

Tuane Thais Kluck é ilustradora e designer de Joinville, SC. Desde pequena, sempre foi apaixonada por arte, decidindo transformar seu hobbie em profissão e, aos 21 anos, é estudante de Design de Animação digital, atuando como ilustradora freelancer na parte de criação de personagens e cenários. Cores e momentos são sua maior inspiração e suas artes são voltadas para o universo feminino, empoderamento e cultura geek. Trabalhando com arte tradicional mas principalmente digital, cores vivas e a representação de mulheres fortes e independentes são o foco de seu trabalho.

Bianca é ilustradora, roteirista de sonhos e videocontadora de histórias. Em 2004, criou o canal Garota Desdobrável, onde escreve, ilustra, dirije, filma, narra e edita videocontos autorais repletos de cores e fantasia. Todo o seu trabalho se baseia em animações artesanais, em que mistura linguagens, brinca com poesia e busca resgatar a beleza do simples. Hoje, além de contar contos fantásticos, também se aventura em outras narrativas de mil tipos: livro, televisão, publicidade, música, web, quadro, colagem. Se dá pra viajar na imaginação, pode confiar: ela estará lá. É bacana lembrar que todo o seu trabalho é artesanal. Bianca é apaixonada pelo feito à mão: adora papéis, aquarelas, canetinhas, lápis, estiletes… Com eles, encontrou um jeito de se expressar e desbravar o mundo colorindo o dia a dia com arte. Além do amor pela escrita e pelo desenho, coleciona uma série de outros amores, como cinema e astronomia. Será sua primeira vez na CCXP (até mesmo como visitante!) e ela está ansiosa para poder levar sua primeira revista.

Bruna Andrade é formada em design pela Universidade Federal de Pernambuco. Já trabalhou em empresas como designer e ilustradora, mas atualmente segue pelo complicado caminho de ser artista freelancer, e de lançar sua própria webcomic! Desenhar sempre encantou Bianca e, embora houvessem muitos obstáculos obrigando-a a manter esse fascínio como um “simples hobby”, algo nela dizia pra não desistir. Por isso, ela ficou muito contente por ter a oportunidade de deixar sua marca através da arte que produz, e de poder conhecer mais pessoas com o mesmo objetivo. Atualmente, seu trabalho se encontra mais centrado na aquarela, que é sua mídia preferida e à qual dedica boa parte de seus estudos. Mas Bianca procura fazer o máximo de experimentações possíveis sempre, especialmente com texturas! Gosta de criar cenários e situações fantasiosas, mas o que mais ama é o character design. Criar personagens é uma delícia, ainda mais quando há tantas possibilidades de tocar o coração das pessoas no processo. Para ela, será uma experiência incrível poder interagir com um público tão bacana como o da Comic Con, e espera que todos possam compartilhar com ela o amor que sentem por sua arte!

Clara Rios, também conhecida como CGominha por algum mistério da natureza humana, é natural do interior do Piauí e está concluindo o curso de Arquitetura e Urbanismo enquanto tenta se reconectar com o mundo artístico. Apaixonada por quadrinhos independentes e webcomics, seu trabalho está sempre em busca de novas narrativas e ideias, mantendo uma evolução constante de traço. Suas maiores inspirações são variadas, vindas desde obras como “Na Vida Real” a quadrinhos antigos do “Asa Noturna”. Ir como artista para a Comic Con Experience parecia um sonho distante, e isto tornou a notícia algo não apenas animador, mas um verdadeiro estímulo à sua, ainda nova, carreira.

Aline Zouvi é quadrinista, cartunista e escritora. Pesquisou os quadrinhos autobiográficos de Alison Bechdel no mestrado em Teoria Literária (Unicamp). É vencedora do prêmio Dente de Ouro 2018 (categoria Quadrinhos) e finalista do Prêmio HQMix (categorias Arte-finalista Nacional, Novo Autor e Publicação Independente). Colabora como colunista para o site Balbúrdia e também é colaboradora do caderno Ilustríssima da Folha de São Paulo. Publica quadrinhos de forma independente e atua como palestrante e oficineira, abordando temas como representatividade, quadrinhos LGBT, entre outros.

Mestranda em Comunicação e Semiótica na PUC-SP, onde pesquisa quadrinhos experimentais e resistência política. Raquel trabalha com ilustração, design e animação, integrando equipes de arte de séries de animação como “Vivi Viravento”, e atendendo clientes como Avon e Instagram. É autora de quadrinhos que brincam com o formato e a linguagem, como em “Perigeu”. Dentre seus temas frequentes, estão identidade de gênero, feminismo e sexualidade, como em “Tomboy”. Em 2018, lança “TILT”, um quadrinho autobiográfico sobre dor crônica, ansiedade e outros sabores sortidos.

Jéssica Groke nasceu em 1996, em Minas Gerais, mas mora atualmente em São Paulo, onde cursa História da Arte na Unifesp. Lançou seu primeiro quadrinho em 2018, intitulado “Me Leve Quando Sair”.

Nathalia é formada em animação e trabalha como ilustradora freelancer há 2 anos. Cria a partir de ideias e elementos que gosta, tentando trazer algo fora do comum, mas sempre com o intuito de divertir e alegrar o público.

  • Janaína de Luna | Roteirista e Editora | A34-35

Editora-chefe da “MINO”. Lançou, em 2016, o quadrinho “CAIS”, com Pedro Cobiaco. Lançam juntos agora a graphic novel “DIANA”.

Fileira B

TalessaK , paulistana, é Bacharel em Artes Visuais pela Belas Artes ; Especialista em animação clássica pela Faculdade Melies; Designer Gráfica pela ABRA e é formada em animação 2D e 3D na Art Academia . É quadrinista, roteirista , ilustradora e faz animações 2D . Além de livros infantis e animações é autora das publicações independentes Memories, série de 4 volumes, Minski (volume 1 e 2), Olho Verde, Devaneios entre outras. O primeiro curta animado Yayá participou da Semana de Arte e Cultura USP 2011 que faz parte do acervo da Casa de Dona Yayá (CPC -USP). Participou também de diversos eventos como, 22 ° Fest Comix 2015, Banca de Quadrinistas do Itaú Cultural 2016 /2017/2018, Ugra Fest 2017, HorroCon 2017, Festival Guia dos Quadrinhos 2017/2018 e Mumia – Mostra Udigrudi de animação 2017 .

Natália trabalha no estúdio Sapo Lendário. Ao lado de Junior Ramos, os dois trabalham há mais de 5 anos com ilustração, design e, recentemente, com quadrinhos, a nova paixão de ambos. É formada na Universidade Federal de Pernambuco/CAA em Design gráfico. O foco principal dos trabalhos da Sapo envolvem ilustração e design para composições gráficas como pôster, concept art e quadrinhos, dentro de um imaginário repleto de inspiração em elementos da cultura pop japonesa. Com trabalhos para Editora Abril de 2017 a 2018 com as marcas Mundo Estranho e Super Interessante; ilustrações para as animações da Cartoon Network, “Irmão do Jorel” em 2018 pela Copa Studio, e para o quadrinho do “Adventure Time” em 2017, com a BOOM Studios; também produção de ícones ilustrados das eleições 2018 para Google; entre vários outros trabalhos, nossos grandes destaques são os projetos pessoais: quadrinho independente “Mono”, em 2015, o artbook “InkGirls”, em 2017, e o “Bio Manual GirlsJin”, que será lançado na CCXP 2018.

Seu nome é Sasyk, mas seus amigos a chamam de Levi e seus hobbies incluem monólogos extremamente longos sobre o que realmente significa ser humano e sempre fingir que sabe exatamente o que está fazendo. É designer gráfica apaixonada por simbolismo, minimalismo e design editorial, e a junção destes três pontos resultou em seu ingresso no meio das histórias em quadrinho, que ocorreu de modo gradual e sem grandes pretensões – uma história secreta que se tornou uma zine, que se tornou uma webcomic e que agora será impressa pela primeira vez para ser lançada na Comic Con. “Pillow Talks” aborda a fragilidade e a efemeridade como características intrínsecas dos humanos, por meio de personagens que se sentem incapazes de se considerarem como tais, apesar de demonstrarem, em seus momentos de fraqueza compartilhada, serem mais humanos que qualquer outra pessoa. Trazendo apenas personagens LGBT+ e o tom poético do simbolismo, é uma história sobre melancolia, amor e, acima de tudo, tragédias. Afinal, toda história é uma tragédia.

Formada em História e atuando no mercado de Quadrinhos Independentes desde de 2012, é ativista LGBT, realiza um trabalho bem humorado de tiras e histórias relacionados à transgeneridade.

Gabriela Gil é graduada em Artes Visuais pela UNESP e pós-graduada em Design Gráfico pela FAAP, onde se especializou em livros infantis e narrativa visual. Atualmente, é ilustradora e professora de ilustração na Quanta Academia de Artes, além de trabalhar desenhando para livros, revistas e publicações independentes e divertidas para todas as idades.

Brendda Maria começou a ilustrar profissionalmente em 2010. De lá pra cá, seu trabalho foi influenciado por moda de rua, animações e cultura pop. Em 2015, fundou com Débora Santos, Márcio Moreira e Talles Rodrigues o coletivo de quadrinhos Netuno Press, cujas publicações priorizam mostrar um lado irreverente e mágico da cidade de Fortaleza. Atualmente, Brendda Maria produz quadrinhos sobre o cotidiano da vida adulta quando se tem ansiedade.

Paulistana nascida em 1991, Mariane Gusmão ama desenhar e, atualmente, trabalha como colorista de histórias em quadrinhos. Entrou no mercado de quadrinhos como assistente de cor (ou flatter) em 2013, tendo a oportunidade de trabalhar auxiliando vários coloristas nacionais e internacionais em alguns títulos como “Plumba”, “Godzilla: Rulers of Earth”, “JIIN – Fist of Fury”, “Bully”, “Cangaço Overdrive”, “The Shadow”, “LOW”, “Justiça Sideral”, “Deadpool & Daredevil”, entre outros. Como colorista, coloriu as páginas da HQ “Reparos” (com roteiro e arte de Brão Barbosa), lançada na CCXP 2017, e da HQ D”esafiadores do Destino” (com roteiro de Felipe Castilho e arte de Mauro Fodra), que será lançada na CCXP18. Esta CCXP será sua primeira como expositora no Artists’ Alley e, além das HQs já mencionadas, ela também levará alguns de seus desenhos.

Natália Prata é cearense e formada em arquitetura, mas trabalha com ilustração desde 2015. Concilia seu trabalho em jogos digitais com trabalhos freelancer. Publica zines e livros infantis, gosta de desenhar coisas fofas e garotas de todos os tipos. É co-fundadora do Colabe: Clube do Adesivo, projeto que busca dar maior visibilidade a ilustradoras brasileiras.

Renata Nolasco, 23, é formada em Comunicação Social (Jornalismo) pela Universidade do Rio Grande do Norte e atua na área de ilustrações e quadrinhos desde 2014. Seu histórico de publicações começou com o fanzine “Grrrls to The Front: Manifesto Riot Girl Ilustrado” no Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), 2015. Desde então, publicou “Ei, Por quê não existem grandes quadrinhos feitos mulheres?” (2016), “Uma palavrinha sobre a sua, não a minha autonomia corporal” (2016), “Eu não sou bonita” (2017) e “A Árvore da Bruxa” (2018). Também é autora do livro Minas para Colorir (2017) e o quadrinho “Silêncio = Morte” (2017), que investe em narrativa autobiográfica sobre gênero, corpo e construção. Em 2017, ilustrou o primeiro capítulo do quadrinho “A Samurai: Primeira Batalha”, de Mylle Silva, e uma das histórias que compõe a coletânea “Amor em Quadrinhos”, organizada por Milena Azevedo. Ambos foram indicados ao Troféu HQ Mix 2018 na categoria Publicação Independente de Grupo. Foi membro do coletivo Revista Farpa de 2014 a 2015 e diagramadora da 1ª Edição. É também membro fundadora do projeto Colabe: Clube do Adesivo, que tem como objetivo contribuir com a difusão do trabalho de artistas independentes. Já expôs o seu trabalho em feiras e eventos em diversos estados. Em 2017 foi convidada do SESC São Paulo para a roda de conversa Mulheres no Resquadro e em 2018 foi convidada do [DES]enquadradas e FLIQ. Para 2018, estará presente na Comic Con Experience pela terceira vez lançando sua primeira graphic novel, “Só Ana”.

Mariana Bandeira é ilustradora e designer. Foi residente convidada no PaTI (Paju Typography Institute) localizado em Paju Book City, a cidade do livro (e pólo editorial) na Coreia do Sul. Faz publicações independentes pesquisando a relação texto-imagem, expressão visual e fronteiras entre o design e a arte. www.marianabandeira.com @marianabandeira.art

Marina é ilustradora, autora e criadora da linha de personagens “INVISIBILIS”. Designer gráfica de formação e entusiasta do mundo científico, Marina chegou a cursar dois anos de física na USP. A artista mistura artes, biologia e muita fantasia em seus projetos. Em 2017, publicou seu primeiro livro “Um guia ilustrado Invisibilis”, que é a perfeita união de seus assuntos preferidos. A obra apresenta uma espécie de seres invisíveis que habitam nosso planeta sem serem notados, porém são os verdadeiros responsáveis por fenômenos misteriosos do dia a dia, como a transmissão do bocejo, o cheiro da chuva e o enroscar de fones de ouvido. Esse ano a autora está produzindo seu primeiro livro em quadrinhos, com lançamento previsto para a CCXP, que conta como os Invisibilis foram descobertos. A criação é toda em aquarela, assim como grande parte de seu trabalho.

Paulista de 26 anos, desenhista e animadora da Lightstar Studios, Andressa é formada em Animação pela Universidade Senac e trabalha na área há 4 anos. Ama ratos, bruxas, cultura japonesa e livros de aventura. Este ano, lançará seu primeiro quadrinho, “Samhain”, na CCXP18. Ele será todo ilustrado com nanquim, markers e lápis de cor, que são suas técnicas de pintura preferidas.

Pri Mizuh tem 23 anos e reside em São Paulo, capital. É ilustradora freelancer, formada em Design Gráfico. Entusiasta de aquarela, suas inspirações são Studio Ghibli, Harry Potter e seu gato. Na CCXP, lançará o livro de receitas ilustrado em parceria com a Andressa Prado, e outros projetos pessoais, como o livro infantil “O Caldeirão Mágico” e uma coletânea de tiras cotidianas.

Karine é formada em Design de animação pela Anhembi morumbi. Já trabalhou em desenvolvimento visual para animações, como cenários, props e personagens, além de ilustrar pequenos livros. Amante de animações e webcomics, fez cursos na Melies de animação 3D na A uanta de Artes Digitais e estuda quadrinhos por contra própria. Atualmente, trabalha como freelancer e desenvolve tirinhas. Nessa CCXP, irá lançar uma zine com uma pequena história sobre os signos do zodíaco.

Thaís Azevedo, estudande de animação, designer e ilustradora.

Camila é quadrinista, ilustradora e concept artist para video games, além de fazer parte da Organização Fictícia com outros talentosos artistas. Já lançou duas HQs por editoras (“A Travessia”; “Conheça o Vibrador” – na coletânea SPAM) e várias outras de modo independente. Seu foco e grande paixão estão no Terror, mas também gosta de abordar temas como sexo e outros tabus. Foi premiada pelo HQ Mix em 2016 como Desenhista Revelação pela história do vibrador. É apaixonada por HQs e games!

Keiko é quadrinista e ilustradora cujo trabalho é fortemente inspirado pela cultura e folclore japoneses. Adora aquarela, nanquim, lápis e guache e odeia escrever sobre si mesma. É professora de técnicas de pintura na Quanta Academia de Artes em São Paulo, ministrou oficinas através da Faber-Castell e esteve no Festival Internacional de Quadrinhos em 2018 com duas histórias inéditas. Agora, estará na CCXP com mais uma: “Ökami”, uma história que liga o universo dos contos de fadas e o do imaginário oriental, projeto contemplado no ProAC Editais.

Raquel Segal é carioca, publicitária e criadora do “Aquele Eita”, página no Facebook com mais de 1 milhão de seguidores. Apaixonada por comunicação e internet, já teve um canal de jogos no YouTube, Twitter de gifs, página de desenhos, Instagram com mais desenhos e blogs voltados ao público geek; mas foi com suas tirinhas amarelas sobre as relações humanas que viu seu trabalho ganhar visibilidade.

Fileira C

Julia Bax, ilustradora de livros e histórias em quadrinhos, cresceu no interior de São Paulo mas mora na capital. Formada em Economia pela USP resolveu abandonar as cifras e se concentrar nas artes. Trabalhou por um tempo para o mercado americano de quadrinhos (Marvel, Devil’s Due, Boom) e ilustrou livros e revistas para as maiores editoras do Brasil . Durante 2 anos publicou uma tirinha mensal no caderno Folhateen da Folha de São Paulo. Publicou duas HQs para o mercado francês pela editora Le Lombard (Pink Daiquiri, Princesse Caraboo). Hoje, Julia divide seu tempo entre arte 2d de jogos para celular e suas publicações indepententes (Remy, Quina, Nina & Tomas).

Lita Hayata é quadrinista, ilustradora e concept artist. Publicou os quadrinhos BETE VIVE (2015) e Melaço (2018). Além fazer freelas de ilustração, desenha jogos há quase 10 anos e é professora de desenho na Quanta Academia. Apaixonada por artes marciais, desenhos animados e aquarela.

Designer por formação, lançando sua primeira HQ (de muitas) na CCXP 2018! Engajada em projetos sociais, acredita que o poder da empatia pode realmente mudar o mundo. 😀

Samia Harumi nasceu em São Paulo e cursou Letras na FFLCH-USP até perceber que o queria mesmo era trabalhar com animação e quadrinhos. Atualmente, estuda Produção Audiovisual na faculdade Melies e é dona de três cachorras, duas fofas e uma demônia. É autora de “DIA DE BRUXA”, lançado na CCXP de 2017, e planeja um novo lançamento para este ano: a história de uma adolescente vampira que ama humanos e sua melhor amiga.

Saudações! Aí vem Julia B. Mello, que também atende pelo codinome Mahou shojo SailorJubs! Ela é ilustradora freelancer apaixonada por desenhar gatos e formada em animação 2D pela Faculdade Melies de Tecnologia. Juntamente com o fofíssimo ilustrador Gabriel Lemos, ambos montaram o Color Meow Studio neste ano e estão de prontidão para oferecer fofuras coloridas e glitterizadas em formas de posters, sketchbooks, HQs e diversos!

Catharina vem trabalhando na indústria criativa há 7 anos, ilustrando livros e criando gráficos para jogos digitais em Brasília. Em seu tempo livre, curte pintar com aquarela (que é sua técnica preferida) e produzir histórias em quadrinhos independentes. Suas principais publicações são “Cerulean”, lançada em 2016, e “Lacrimosa”, lançada em 2017 e indicada ao Troféu HQMix. Ambas foram feitas com aquarela e outras técnicas de pintura tradicional. Neste ano, Catharina lançará um novo livro na CCXP: o artbook “Viridis”, que será uma compilação de suas melhores ilustrações!

Monique, mais conhecida como Nickyzilla, tem 23, é formada em Design Gráfico e é ilustradora de Brasília. Trabalha atualmente como freelancer para jogos e publicidade e, agora, está se aventurando numa nova jornada que é criar seu primeiro quadrinho. O foco de seu trabalho pessoal é contar histórias e representar coisas que são importantes para ela, como personagens LGBTQ+ e garotas fortes, mas sem deixar de lado o seu toque de fofura!

Ilustradora freelancer, Letícia trabalha principalmente com formas geométricas, cores e composições marcantes com objetivo de enaltecer o emocional de cada peça. Este ano, ilustrou para a Galleria Nucleus e Disney/Pixar studios uma peça para a exposição do filme “Incredibles 2” em Los Angeles, e trará para CCXP18 três de suas publicações principais: “Love like Hue”, uma serie ilustrada das personagens de steven universe com paleta reduzida; “Blast Away! A Kingdom Hearts Fanzine”, uma zine que organizou em conjunto com outros 38 artistas para ilustrar uma viagem pelos mundos de Kingdom Hearts; e seu primeiro art book com 80 das suas melhores ilustrações de 2018. Também trará originais, sketches, artes nunca postadas, fanarts, ilustrações de viagens e muito mais!

Nicole Janér é uma ilustradora carioca que ama livros, filmes, fantasia, mistérios e mitologias. Seus trabalhos acabam refletindo esses gostos e adentram o misticismo, o escapismo e o fantástico. Além de trabalhar com ilustração e design de personagens, adora narrativa e animação. Em 2016, seu curta “Stand By” ganhou em primeiro lugar no Festival do Minuto e, agora, seu segundo curta, “Sonder”, está em mostras competitivas de festivais como Anima Mundi e BANG Awards. Este ano, na CCXP18, ela lançará, em parceria com Fits, o primeiro volume da HQ “Passa Anel”, que conta a história de dois amigos, um anel mágico e criaturas gigantes misteriosas. É a primeira vez que os dois se aventuram no universo de quadrinhos. Seu super-herói favorito é o Homem-Aranha.

Clari Cabral é uma ilustradora e designer freelancer recifense, trabalha com ilustração editorial, storyboard e games. Gosta de livros, coisas fofas, a cor rosa, filmes de terror e mistérios da humanidade. Já participou do coletivo Mandíbula, onde publicava tirinhas semanalmente. Ilustrou um conto do quadrinho independente “Contos Malditos” Vol. 2, que foi lançado na CCXP17, juntamente com seu artbook “Sereinhas”. Neste ano, lançará sua primeira narrativa autoral, o zine “Garota Fantasma”.

Luiza de Souza tem vinte e poucos anos, cursou Comunicação Social – Hab. Publicidade e Propaganda na UFRN, mas largou a vida de agência pra trabalhar com ilustração desde o início de 2014 – você pode encontrá-la nas interwebs como @ilustralu! Gosta de pensar que é uma pessoa muito comum, com apenas alguns costumes estranhos, cabelo bagunçado, um pouco empolgada, com alguns projetos na manga e cultura inútil de sobra. Faz quadrinhos sobre cotidiano, relacionamentos, empoderamento e emoções doidas. Estes são alguns dos seus trabalhos já publicados: “Contos Rabiscados para Corações Maltrapilhos” (2014); “Marcela Mulher Melhore” (2015); “O Inventário Amoroso de Marcela” (2017); “Bem-me-quero/Mal-me-aguento” (2017); e “Os Monstros Estão Aqui”, junto com a escritora Bia Madruga (2018). Ela levará alguns quadrinhos novos pra lançar na CCXP2018, e está ansiosa pra trocar ideia com vocês! (:

  • Nayuki | Ilustradora | C13

Nascida em Belo Horizonte, Nayara Ribeiro desenha desde criança e não conseguiu parar. Formada em Design gráfico, trabalha como ilustradora freelance há quatro anos. Trabalhou como ilustradora para varias áreas diferentes, desde ilustrações para capas de livros, animação e estampas. É apaixonada por pintura digital, quadrinhos, animação e café.

Formada em design gráfico, Natacha trabalhou com animação e arte para animação nos últimos cinco anos. Produziu alguns curtas audiovisuais nos quais foi roteirista e diretora de fotografia, auxiliando, também, em som e iluminação em curtas de outras pessoas. Em 2013, fundou a Sky Pirate Design, onde faz sketchbooks artesanais e personalizados para desenhistas. Este ano, lançarà seu primeiro quadrinho, “A ilha de Faroé”, e outros materiais como prints, pins e colares com mini sketchbooks.

Apesar de ter nascido praticamente com papel e lápis na mão, foi somente depois de ter terminado a faculdade de Direito que Nathanna percebeu que o que queria mesmo era ser artista. E até hoje, três anos depois disso tudo, ainda não acredita que trabalho com o que ama. De lá para cá, teve a honra de ser escolhida pelos Correios para criar o selo oficial comemorativo do Natal de 2017, fez vários trabalhos freelance para editoras do Reino Unido, além de clientes nos Estados Unidos e na Europa. Publicou seu primeiro artbook, “Samba”, em dezembro do ano passado. Atualmente, dedica-se à criação de seu portifólio para conseguir um trabalho na área de desenvolvimento visual e/ou criação de personagens em um estúdio de animação. Enquanto isso, por ter sido em grande parte autodidata no que diz respeito à arte, tenta sempre aprender coisas novas e técnicas diferentes para incorporar a suas criações, mas sem nunca abrir mão de seus recortes de papel, claro! Além disso, ficou extremamente honrada por ter sido chamada a colaborar na edição de Setembro/Outubro de 2018 da revista “Character Design Quarterly”, referência para os profissionais da animação, e por outras oportunidades incríveis que têm aparecido em seu caminho e que possibilitam fazer aquilo que realmente gosta.

Artista pernambucana natural de recife, despertou sua paixão pelos quadrinhos aos 5 anos, com os gibis da Turma da Mônica. Isto a levou a ter o sonho de se tornar quadrinista na Mauricio de Sousa Produções, algo almeja até hoje. Formou-se em Design de Jogos digitais na Aeso Barros Melo em 2017. Já prestou serviços para a empresa de jogos educacionais Joy Street e trabalhou como Game Artist e Character Designer na empresa Caruaruense de jogos Kairos Game Studio. Atualmente, é ilustradora freelancer e membro da equipe do Mistiras, um site de webcomics com publicações de tiras semanais, em que quadriniza, junto com Luciano Félix, as tiras roteirizadas por Ary Santa Cruz. Este foi seu primeiro passo no mercado profissional de quadrinhos nacionais.

Wuta é artista, ilustradora digital e estudante de jogos digitais. Possui um certo fascínio por criaturas mágicas e contos mitológicos, o que a ajudou e inspirou bastante a iniciar um projeto de história em quadrinhos sobre a mitologia e lendas brasileiras. Neste ano, lançará seu primeiro quadrinho: “Curumim”, uma história divertida com personagens diretamente de Pindorama, em uma versão colorida e cheio de vida.

Maria é game designer por formação, mas quadrinista de coração. É a autora de “Ghilan”, “Zorro” e “Recaptura”, além de e cofundadora do Trinca Studio (onde já não trabalha mais). Atualmente, é mestranda na linha de Poéticas Tecnológicas, na UFMG, onde estuda games. Também é autora da webcomic “Dog Days Are Over”, ainda em produção.

Dharilya é cearense, formada em licenciatura em Artes Visuais e trabalha como quadrinista e ilustradora desde 2014. Publicou sua primeira história em quadrinhos, “Entre Monstros e Deuses”, na antologia Henshin, da editora JBC. Em 2015, publicou “A Lojinha Mágica de Medos”, da coleção “Relicário HQ”. Em seguida, publicou “Candy Machine”, que atingiu mais 200% da meta em financiamento coletivo. Com traço detalhado e estilo singular, suas histórias são conhecidas por abordar temas de terror psicológico e suspense, sempre com uma mensagem a se refletir e estética experimental.

Lovelove6 é autora de histórias em quadrinhos, premiada pela Convocatória Des.gráfica de quadrinhos experimentais 2017 e finalista da categoria “Melhor Publicação Erótica” do Troféu HQMIX em 2016. Sua obra mais conhecida é a comédia erótica “Garota Siririca” e as zines “A Ética do Tesão na Pós-Modernidade” Vol.1 e 2. Facilita oficinas, palestras e participa de mesas de debate sobre autopublicação, histórias em quadrinhos e representação feminina em narrativas visuais. Os temas mais abordados em sua produção são relacionados à sexualidade e ao movimento feminista.

Carioca, 22 anos, recém formada em Design Gráfico e desempregada, a jovem Camila Padilha ganhou visibilidade com a sua página de tirinhas, “Aliens of Camila”, onde posta quase todos os dias e possui mais de 350 mil seguidores. Em 2017, lançou seu primeiro livro de quadrinhos, participou da CCXP, do R Design de Brasília e de diversas feiras de zines e HQs, ritmo que só almentou em 2018, com uma nova publicação impressa viabilizada por meio de financiamento coletivo. Isso possibilitou participações na LER, expondo e palestrando sobre representatividade, na SIQ, como expositora e palestrante sobre produção independente, além de participações na FIQ, Universo dos Quadrinhos no SESC tijuca, Bienal de Quadrinhos de Curitiba e Game XP como convidada e Digital Influencer pela empresa Oi. Camila também palestrou em universidades como a UVA e a ESPM ao lado de Raquel Segal, autora da página ”Aquele Eita”, e Cora Ottoni, quadrinista e cenografista da série “Irmão do jorel”.

“Relatos de um dia incrivelmente mediano” começou em 2016, com a finalidade de expressar a visão de mundo de Juliana e o que vivia. Com o tempo, personagens foram ganhando forma e personalidade própria, de certa forma desprendendo-se de si e tornando-se seres diferentes. Mas, ao mesmo tempo, a proposta se manteve: mostrar como, mesmo diante dos dias mais ordinários, existem entrelinhas que fazem o sublime entre o café da manhã e a hora de dormir.

Cora é formada em Comunicação Visual Design pela UFRJ. Seu trabalho de conclusão de curso foi apresentado em 2016 e se chama “Os Zeladores do Tempo”, que se tornou sua primeira história em quadrinhos (essa para o público infanto juvenil). Com ele, já viajou para várias cidades brasileiras e também Buenos Aires, na Argentina. No mesmo ano, em outubro, começou a fazer tirinhas autobiográficas de humor que se tornaram um livro financiado por Catarse em dezembro de 2017. Este livro se chama “Corenstein – O que eu tô fazendo com a minha vida” e, após muitas críticas ótimas, foi indicado a prêmio de melhor publicação de tiras no prêmio HQ Mix de 2018. Sua carreira, no entanto, não se resume só a quadrinhos: Cora foi animadora e assistente de produção no estúdio Animatório, no Rio de Janeiro, por um ano e, desde junho de 2016, é ilustradora do Copa Studio, tendo trabalhado, inclusive, na segunda e terceira temporadas do desenho animado “Irmão do Jorel”.

Marina trabalha na Copa Studio como artista de cenário para desenho animado desde 2015. Já passou pelas séries “Tromba Trem” e “Irmão do Jorel”, e também participou de curtas com amigos para o Anima Mundi. Animação, quadrinhos e ilustração são, talvez, suas coisas favoritas na vida, além de cachorros e Nicholas Cage. É otaku também, mas não espalha por aí. Seus projetos pessoais tem como universo favorito os dos contos de fadas e seus trabalhos são sempre muito coloridos, bem humorados, cheios de brilho e arco-íris. Apesar de toda fofura, ela também é entusiasta de filmes trash nas horas vagas. Então, quem levar dicas dos melhores entre os piores filmes de todos os tempos ganha adesivo e um sorriso! : ))

Ana Cavalieri é artista visual em São Paulo e desenvolve obras em vários segmentos de linguagem artística, como pintura, fotografia, ilustração, quadrinhos e outros. O feminino, a liberdade e a solidão são temas freqüentes em seus trabalhos. Questões íntimas e profundas de mulheres, paradigmas estéticos e biológicos, seus sentimentos que inibem as amarras e as prisões socialmente impostas, e também o confinamento interno, que representa algo diferente para cada mulher. Bacharel em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Ana é cineasta e diretora de arte pela Academia Internacional de Cinema.

Taíssa Maia é ilustradora, designer e bailarina, porque é apaixonada por contar histórias. Suas narrativas entrelaçam o cotidiano e o fantástico, indo dos contos de fadas às tradições populares. Formada em Design pela UFRJ, fez intercâmbio em Portugal para aprofundar seus conhecimentos na área de ilustração. Hoje, trabalha como ilustradora no Copa Studio e, paralelamente, desenvolve projetos autorais, ministra cursos e atua como freelancer.

Giovanna Guimarães, ou simplesmente Gio, saiu rabiscando papéis (e algumas paredes) desde criança. Nascida no interior de Minas Gerais, mudou-se para Belo Horizonte para ingressar na UFMG, onde cursou Psicologia, posteriormente Artes Visuais e depois o mestrado em Cinema. Aventurou-se pela área da arte, inicialmente trabalhando com o mercado didático e publicitário para depois mergulhar no mundo da ilustração, dos quadrinhos e da animação, que são suas paixões. Entre seus trabalhos ainda em Minas Gerais, agenciada pela Casa dos Quadrinhos, colorizou quadrinhos para os EUA, desenhou e colorizou para o mercado brasileiro e criou capas e séries de cards para o mercado americano. Posteriormente, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou no longa-metragem “Nautius” e em séries de animação (“Tromba Trem”, “Historietas Assombradas para Crianças Malcriadas” e “Irmão do Jorel”) nos estúdios 2DLab e Copa Studio e ilustrou para livros e jogos. Atualmente, reside em São Paulo, trabalhando como ilustradora sênior na Cool Mini Or Not, onde cria artes para games. Desenvolve projetos pessoais de ilustração, quadrinhos, animação e toy arts, entre outras esquisitices, que vão aos poucos ganhando forma em seu (pouco) tempo livre. E, até hoje, não consegue decidir se é mais viciada em Wacon e bytes ou em tintas e papéis.

Formada em Cinema de Animação pela Universidade Federal de Minas Gerais, trabalhou na Birdo Estúdio em 2016/2017, durante o projeto “Papaya Bull”, que estreou na Nickelodeon. Participou da animação dos créditos de “Bolinho e Dinossauro”, que estreia neste ano na Netflix. Atualmente, trabalha no Show da Luna, na TV Pinguim. Participou de alguns projetos (curtas) que rodaram festivais no Brasil e fora, como “A orelha de Van Gogh”, de Thiago Franco; “Millie”, de Israel Dilean; “Diário de Areia”, de Isadora Moralles e Sarah Guedes; e “Sayonara”, de Débora Mini. É Paranaense, criada no Mato Grosso, formada em Minas Gerais e atualmente residente em SP. Com essa mistura toda, ela afirma que adora conversar com pessoas de todo canto do mundo e que fala até pelos cotovelos. Arielly tem uma paixão enorme pela animação, mas adquiriu uma fascinação pela ilustração e tem se aventurado há alguns meses na área, tendo feito alguns trabalhos para pequenos projetos.

Formada em Cinema pela PUC-Rio, desde 2012 publica tiras em sua página “A Lápis”. Seu trabalho consiste em material autobiográfico, sobre as pequenas tragédias do dia-a-dia, e histórias curtas sobre mitologia grega. Tem quatro fanzines publicados: “Grandes Esperanças”, (2016), “Apolo e Dioniso” (2017), “O Rapto de Pitoniso” (2017), e “Só Dói Quando eu Respiro”, lançado no FIQ de 2018.

Manu Cunhas é formada em Design Gráfico pela UDESC, onde lecionou por um bom tempo. Trabalha hoje dando aulas de desenho para pequenas turmas e atua como designer e ilustradora freelancer, com foco em projetos editoriais. É autora de três livros publicados por financiamento coletivo e ilustradora de outros tantos. O primeiro Catarse foi o do livro “Como diria meu gato”, que trouxe junto o “Guia de cuidados felinos”, e o segundo o “Outras meninas”, que recebeu o prêmio jabuti de ilustração em 2017. Trabalha com pintura digital e tradicional, com técnicas de aguada nanquim, guache e aquarela.

Rebeca Prado é quadrinista, ilustradora e roteirista. É autora dos livros “Navio Dragão” e “Baleia” #3 (ambos lançados por financiamento coletivo) e dos zines “Baleia” #1, “Baleia” #2 e “Carne!”. Já teve seu trabalho publicado em diversas revistas como Dragão Brasil, Omelete Box e Mundo Estranho, tanto como quadrinhos quanto como ilustração. Atualmente trabalha como roteirista efetiva da Turma da Mônica e como ilustradora para o mercado editorial, além dos projetos pessoais.

Designer gráfica e ilustradora de Porto Alegre, Ariane gosta de trabalhar com técnicas de desenho tradicionais e digitais. Lançou um teaser em 2017, “Acrobata”, e este ano pretende lançar sua primeira HQ autoral, “Mambembe”, uma história que tem em mente há anos.

Cristiane D. Peter nasceu em 1983, em Porto Alegre, cidade onde reside. Possui uma empresa que presta serviços de colorização digital para editoras norte-americanas de HQs, tais como Marvel, DC, Image e Dark Horse dentre outras. Formada em Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e pós-graduada em Comunicação e Marketing Estratégico no Senac-RS, já ministrou cursos e palestras em escolas, como a Quanta Academia de Artes, em São Paulo, a Joe Kubert School, em Dover (NJ, EUA), e universidades como UniRitter, PUCRS, UFRJ e Senac (em Porto Alegre). Já participou como palestrante de vários eventos, incluindo a FIQ, em Belo Horizonte, Feira do Livro de Porto Alegre, Comic Con Experience dentre outros. É vencedora do prêmio HQMix por três anos seguidos (2016, 2017 e 2018). Como colorista de quadrinhos, já trabalhou em títulos notáveis das editoras Marvel e DC, e foi indicada em 2012 ao prêmio Eisner por seu trabalho no título “Casanova”, escrito por Matt Fraction e desenhado por Fábio Moon e Gabriel Bá. Seu trabalho de colorização também pode ser visto na série Graphic MSP publicada pela Maurício de Souza Produções e Panini: “Astronauta – Magnetar”, “Astronauta – Singularidade” e “Astronauta – Assimetria”, com arte e roteiro de Danilo Beyruth e editada por Sidney Gusman. Atualmente, dedica- se às suas publicações autorais, “Patas Sujas” e “~Amo~ Minha Roomie”

Fileira D

Mineira natural de Belo Horizonte, Ana Flávia é apaixonada por artes visuais, cultura pop, natureza e animais. Formada em Artes Gráficas pela Escola de Belas Artes UFMG, em 2013, atua como sócia-diretora na Estúdio Black Ink desde 2011 e como Administradora, designer, ilustradora e quadrinista. Lançou seu primeiro quadrinho autoral, “We Pet”, em 2015, no FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos). Hoje, atuo no mercado de forma independente como quadrinista e freelancer.

Graduada em Artes Visuais pela UEMG e entusiasta das artes sequenciais, fiz diversos cursos e participei de projetos relacionados a quadrinhos e sua linguagem. Como ilustradora, já fiz vários trabalhos de segmentos infantis e didáticos. Em 2013, participei na publicação coletiva Inkuadrinhos e, em 2015, lancei no FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos a saga Dinastia dos Magos, que conta a história do príncipe Eiri e os obstáculos para assumir o trono herdado por ele. Quadrinho este, que concorreu ao prêmio HQ mix 2016 na categoria quadrinhos para crianças. Em 2017, lancei, junto com a Marismar Borém e o Alexandre Cardoso, o quadrinho do Trovão, o supercão. E em 2018 publiquei juntamente com os demais artistas do estúdio Black Ink, a revista Mochilão – Cachoeira não da XP, que conta a trajetória de um grupo de amigos em busca de uma cachoeira. Fiz parte da exposição Inarredáveis na Casa Fiat de Cultura e ministrei, também na casa Fiat de Cultura, oficinas de quadrinhos. Já no Festival Internacional de Quadrinhos de 2018, participei ministrando oficinas de desenho em chibi mangá, para adultos e crianças.

Publicitária, administradora e pós-graduada em Gestão de Educação. Residente em Niterói, iniciou sua carreira literária em 2013, escrevendo vários contos e poesias que foram premiados e publicados em antologias de concursos literários por todo o Brasil. Publicou contos na Revista Trasgo e na Antologia “Nada Elementar”, da Editora Caligo, e teve conto selecionado para publicação em antologia da Editora Draco (lançamento em 2019). Publicou, além de “O Mistério da Trave”, a obra de literatura fantástica “O MUNDO DE QUATUORIAN”, lançado na Bienal RJ 2017 (vol 1) e Bienal de SP 2018 (vol.2), participando também como palestrante no stand KDP Amazon no LER – Salão Carioca 2018 e na Bienal do Livro SP 2018. Seu livro “O Mundo de Quatuorian” ganhou medalha de bronze no CONCURSO INTERNACIONAL DE LITERATURA UBE RJ 2018, Categoria Juvenil.

Raissa é ilustradora e quadrinista freelancer residente na ensolarada cidade de Salvador, na Bahia. Tem um webcomic chamada “New Fairy Tale” no Webtoon.com, e trabalha principalmente com mídia digital, mas a mídia tradicional sempre faz seu coração disparar. Quanto ao seu estilo, Raissa é conhecida pelo seu estilo cartoon, com cores alegres e brilhantes. Gosta de fazer ilustrações com uma narrativa e, acima de tudo, arte que deixa as pessoas felizes.

Desde pequena, Vivi Melancia sempre foi fascinada por Anime e Mangá e a ideia de trabalhar como desenhista sempre foi seu principal objetivo. Apesar de iniciar profissionalmente com aquarela, em 2016 voltou a “quadrinhar”, lançando a webcomic “Filha, Mãe Avó”. Ao ler um trabalho da Vivi, você não apenas está entrando no universo de algumas personagens, você está entrando na vida de várias pessoas que participaram da criação daquele material. Bem vindo a família Melancia.

Fileira E

Azuos é uma boyzinha de Olinda. terra de muito calor e alegria. É geômetra por formação, mas preferiu trabalhar na criação de personagens e ilustrações para diversas áreas. Trabalha em uma editora de livros infantis e dá aulas de desenho. Suas ilustrações abordam temas místicos e de fantasia, representam, em sua maioria, mulheres fortes, decididas, bravias e sensíveis.

Estudante de Animação e Professor de Ilustração no Espaço Fanbu. Atualmente trabalhando em seus quadrinhos ‘We are the Rotten ones’. Do Chile! Follow me on Instagram: @otakah_

Mochi é estudante de Design na UFES, apaixonada pela cultura japonesa e por animes/mangás! Também é cosplayer desde 2012 e faz maquiagens artísticas como hobby também! Ama de paixão os filmes da Disney e seu sonho é trabalhar com character designer para animações do gênero. Suas comidas favoritas são hambúrguer, batata frita e pudim. Mochi levará para a CCXP a segunda edição de seu quadrinho, “My Personal Rain”, uma história BL (Boys Love) que trata sobre depressão, mas de um jeito mais leve e divertido. Desse jeito, todo mundo pode se conscientizar sem criar gatilhos! Acha importante trazer histórias com personagens LGBT para o cenário de quadrinho nacional, e fica feliz em fazer sua parte!

Renata Rinaldi é mineira, zineira, ilustradora e quadrinista. Estuda e vive em Brasília. Fundou e atuou como membro no coletivo de mulheres: Mandíbula. Foi integrante do Selo Pagu como desenhista do título D.A.D.A , pelo qual foi indicada ao Prêmio HQMIX 2017, na categoria Novo Talento Desenhista. Ao final de 2017 foi classificada dentro do concurso de nível internacional SMA8 – Silent Manga Audition, promovido pela editora Coamix no Japão. Participou de diversas coletâneas independentes de quadrinhos e arte impressa: Basídio (MG), Revista Plaf (PE), Jornal Pimba(DF) entre outras, além de publicar de forma independente os títulos: Labirinto em Linha Reta; Cadafalso; The Last Rose; O Pequeno Bapho; Share with Me; Hey, Look Around! e O Jardim. Atualmente trabalha fazendo gibis e joguinhos, gosta muito de aventuras no meio do mato, assistir desenho e tomar chá.

Chairim é Paulistana, vivendo no interior de São Paulo, na cidade de Limeira. Formada em Design Gráfico pela Universidade Paulista de Campinas. Já trabalhou em agências de publicidade, tatuagem e como professora de Artes, hoje se dedica ao trabalho com ilustrações e quadrinhos. Autora das webcomics Mare Rosso, Purple Apple e Crisálida. Lançando em 2018 sua primeira HQ erótica: Red+18.

Mariana Cagnin é formada em Artes Visuais pela Unesp e atua como ilustradora e quadrinista. É autora dos quadrinhos “Vidas Imperfeitas” e do premiado “Black Silence”, que foi publicado de forma independente através de financiamento coletivo. Recebeu o Troféu Angelo Agostini de Melhor Desenhista e foi indicada em 3 categorias do Prêmio HQMix por “Black Silence” (2017). No mesmo ano, foi convidada pela Embaixada Brasileira a participar da Feira do Livro de Gotemburgo, na Suécia. Produz conteúdo de arte para seu canal do youtube, como dicas, tutoriais, processos de pintura e também ministra cursos para artistas aspirantes na esperança de poder inspirá-los.

Flávia Borges, que também assina como Breeze Spacegirl, é ilustradora e, em suas obras, explora temas como o autoconhecimento e o empoderamento feminino. Grande parte do seu trabalho expõe suas inseguranças, seus pensamentos cotidianos e também seu processo de autoaceitação, muitas vezes combinado com suas maiores inspirações: música, a natureza e o universo. Tudo isso em um traço fofo e delicado, transmitindo leveza através de cores em tons pastel ou do contraste do preto com o branco.

Carioca, feminista, formada em Pintura pela Escola de Belas Artes da UFRJ no início de 2017. Lua Barbosa começou a estudar desenho com 12 anos, tendo seu maior crescimento no pensamento visual com a graduação. Desde então, trabalha com freelances de ilustração com técnicas artesanais e digitais, procurando sempre se desenvolver nas linguagens da construção de imagem. Já participou de 7 exposições coletivas explorando a pintura, a ilustração e mais recentemente, a fotografia, em espaços como a Sala de Cultura Leila Diniz, Sesc de Ramos, Sala Djanir, Espaço Macunaíma, Calouste Gulbenkian e Fábrica Bhering. Também realizou duas exposições individuais na Galeria Macunaíma e na Fundação de Arte de Niterói. Já teve a oportunidade de dar aula no Sesc de Caxias como instrutora de Pintura em 2017. Há mais de um ano se dedica ao circuito de feiras abertas para a arte impressa no Rio de Janeiro, participou de feiras como a 101 Arte, Feira Mútua, Feira Pence, Feira Independente de Qualquer Coisa e mais. Tem como quadrinhos favoritos Spider-Gwen, The Amazing Spider-Man, Arroz da Ale Presser, entre outros. Potterhead assumida, é fã de Desventuras em Série desde criança, Avatar e atualmente viciada em Riverdale e o universo envolvendo a Archie Comics. Essa é a sua primeira Comic Con Experience onde irá estrear o primeiro quadrinho publicado de forma independente, assim como uma zine e outras ilustrações inéditas. Acostumada em trabalhar em feiras de arte impressa, a artista acredita que um dos pilares de seu trabalho é a interação com o público e não poderia estar mais honrada e participar desse mega evento.

Rebeca Honney fica super feliz que você esteja lendo sua apresentação, pois é sua primeira vez na CCXP. A artista fica em dúvida sobre o que falar, mas desenha manga desde os 14, tendo alcançado um estilo próprio só em 2018. Juntando muitas influências do que a cativou nesses 8 anos, Rebeca chegou em 3 estilos principais: um 100% manga, um 80% cartoon e um original que é só seu! Se você gosta de fanarts de cartoon, anime e muito kpop, já está convidado a dar uma passadinha em sua mesa. Além disso, está produzindo vários trabalhos autorais especialmente para a CCXP18. Define suas HQs como algo gostoso de se ler. A zine da “CHUCHU” é sobre o cotidiano, é fofa e tem até um gato cheio de personalidade. Ama tudo que produz e, como é diversificado, certamente haverá algo em sua mesa para você ou para dar de presente para quem gosta. Se quiser um pequeno spoiler, pode procurar por @rebecahonneyarts no instagram ou facebook. 😉

Em uma galáxia não tão distante, uma Tulipa (Thaly Tamura) e um Amendoim (Matheus Oliveira) se econtraram ao acaso (nesse maravilhoso mundo que é a Internet), e por um pequeno instante, sentiram que o peito aqueceu, o coração acelerou e que suas almas já se conheciam há anos! O amor surgiu alí, naquele chat. Mas não um amor qualquer e sim um amor ilustrado. Diariamente, trocavam rabiscos bobinhos de situações que os dois poderiam viver juntos. Desse jeitinho, surgiu a “Tulidoim”, com uma pitada de cultura nerd, carinho, situações engraçadas. E assim seguiram. Atualmente, trabalham com comissions, visual development e game art. Além disso, em 2018, estamos lançando nosso primeiro livro de tirinhas, “Amaré – tirinhas de amô <3”. Você pode conferir mais coisinhas sobre os nosos trabalhos em nosso Instagram: http://instagram.com/tulidoim

Júlia é animadora graduada e técnica em Publicidade e Propaganda. Descobriu sua paixão e admiração pelas artes em CutOut, produzindo um stop motion todo feito em dioramas, que deu vida à história em um curta animado. Desde então, ela vem aperfeiçoando as técnicas em recorte para produzir peças ilustradas autorais e fanarts de suas séries e filmes favoritos, como as produções do Studio Ghibli, o universo de Harry Potter, Steven Universe, Over the Garden Wall, G.O.T e muitos outros.

Ilustradora, gamer, nerd e mulher trans com muito orgulho.

Começou a trabalhar com arte 2D para games em 2011, o que lhe permitiu produzir de tudo um pouco, desde concept art até ilustrações finalizadas e passando por quadrinhos, pixel art, storyboard e animação. Ama toda a cultura nerd, especialmente RPG de mesa, que joga online em alguns streams na Twitch.

Van Ted é estudiosa e investigadora da teoria do Astronauta Antigo e, em 2016, juntou-se aos ilustradores Wam Nick e Olga Drebas para dar início ao projeto de uma minissérie em quadrinhos sobre esse tema que vem ganhando cada vez mais audiência e popularidade entre acadêmicos e curiosos. Leitora de quadrinhos desde a infância, é fã do gênero de super-heróis, optando por dar essa roupagem aos personagens da minissérie “ANUNNAKI – Os Senhores da Eternidade”, que contará toda a saga dos extraterrestres aqui, na Terra, desde seu planeta de origem, o misterioso Nibiru da Mitologia Suméria. Van Ted, que já foi vocalista de banda de rock, trabalhando por mais de 30 anos com música, mantém um blog, escreve para revistas de Arqueologia e mistérios do mundo antigo, participa de hangouts, ministra palestras e é considerada uma autoridade quando o assunto é Anunnaki! A experiência como roteirista a reaproximou novamente da Nona Arte, que parece ter fisgado irremediavelmente seu coração de artista.

Georgia Noel Wolinski é uma ilustradora francesa que trabalha com animação 2D e 3D (cenario, storyboard e character design), ilustração de livros e jogos infantis, e tambem murais.

Desde 2015 posto memes e tirinhas das bads do cotidiano nas redes sociais assinando como Cartumante. É tipo cartomancia, só que ao invés das pessoas se identificarem com o que as cartas dizem, se identificam com cartuns. Através das artes quadrinísticas, tento ajudar ao máximo de pessoas com mensagens positivas e boas risadas.

Nathália é ilustradora digital e mora em Marília, interior de São Paulo. Estudou artes na UFPR em 2015, mas trabalha com ilustração desde 2013. Seu alcance de trabalho inclui pixel art para jogos, design de personagens e cenários. Atualmente, vai lançar um quadrinho sobre a vida de uma universitária que tem um emprego em um lugar nada comum, intitulado “MEIDEI! Um grito de socorro brasileiro” e lançará no evento Kaleidoscope, uma historia completa que satiriza os maiores clichês do mundo das garotas magicas.

Vi Marchetti é ilustradora, designer gráfico e cartunista, além de gerar conteúdo junto a portais nerd em forma de texto e vídeo. Atualmente, está lançando seu primeiro livro de tirinhas de humor cotidiano sobre temas de sua vida, como bichinhos de estimação, relacionamento, amizade, profissão e lazer. É uma extensão do trabalho que já apresenta nas redes sociais. Seu estilo de ilustração é bem amigável, com referências à cultura pop, a gatinhos e a bichinhos, além de usar de trocadilhos e bom humor. Para isto, usa pintura digital suave com textura pastel. Na CCXP 2018, Vi Marchetti apresentará seu novo livro, prints, bottoms e postais, além de outras prints de seus outros trabalhos de ilustração: sua série de super gatinhos, gatinhos de signos do zodíaco e outros.

Ana Li tem 26 anos e é natural de Campinas, São Paulo. É ilustradora, quadrinista e professora de história da arte. Formada em Artes Visuais com ênfase em design pela Puc-Campinas e pós-graduada em Artes Visuais, Intermeios e Educação pela Unicamp. É apaixonada por aquarela, pontilhismo e tudo mais que envolva cores; Sempre na esperança de que um dia todos acreditem no poder transformador da arte. Um metro e meio de fofura e braveza, ama café, cachorros, séries, cactos e dinossauros. Cria ilustrações e fanarts com temáticas diversas através de técnicas tradicionais e digitais. Iniciou sua produção autoral de tirinhas para internet em 2016, tendo lançado seu primeiro zine independente em 2018. Com o título de “Coisas da Vida”, a coletânea de tirinhas autobiográficas busca transmitir situações do cotidiano de maneira que todos possam se identificar e se reconhecer. Além disso, possui uma segunda temática de produção de tiras, “Entre Patas e Pelos”, em que conta um pouco do dia a dia e situações cômicas que vivencia com seus cachorros. Como lançamento na CCXP, a artista trará uma nova HQ, que será uma coletânea de pequenas histórias cuja temática abordará temas filosóficos, sociais, psicológicos etc. de um modo leve e bem humorado.

Estudante de Belas Artes na UFRRJ, 23 anos, mineira dona de um ventilador, uma cuscuzeira e vários sketchbooks inacabados. Se acha MUITO ENGRAÇADA… mas nem é tanto assim, artista em ascensão e pseudo escritora com vários projetos inacabados. Desenhando e redesenhando a vida até uma hora dá certo.

Curiosa, Bianca Nazari fez duas faculdades até aceitar que o que a faria feliz profissionalmente seria algo que a acompanhava desde criança: o desenho. Trocou a carreira de arquiteta por uma de ilustradora quando, em 2016, mudou-se para São Paulo para trabalhar num estudio que atuava no segmento de publicidade. Neste meio tempo ganhou experiência no mercado de ilustração, fundou um canal no YouTube e descobriu que sua paixão era desenhar coisas que aprendia no dia-a-dia, o que a levou a começar uma série de receitas ilustradas, além de situações cotidianas e engraçadinhas em forma de tirinha. Começou a perceber que talvez o caminho não fosse trabalhar dentro de um Studio, e sim seguindo seu estilo de forma independente. Virou freelancer em 2017, publicou uma HQ que foi lançada na CCXP 2017 e, desde então, trabalha em casa. Hoje, faz didáticos, publicidade, comissions e tem uma lojinha online onde vende seu trabalho, e tenta equilibrar com os projetos pessoais, as tirinhas, as publicações, as redes sociais e o canal do YouTube, onde fala sobre mercado de ilustração em um formato de vlog, compartilhando sua experiência e tentando ajudar outros aspirantes a artista. Ainda adora desenhar guias ilustrados e situações auto-biográficas, tanto que vai lançar um diário de viagem em formato de zine, contando sobre a viagem que fez aos Estados Unidos (Flórida, Disney e Tampa Bay Comic Con) na CCXP 2018.

Fernanda trabalha com ilustração há 10 anos e descobriu a área de cenários para animação.

Ana Paula é ilustradora baiana formada em Design pela UFBA. Fez intercâmbio de 9 meses em Rochester, Nova York, na Rochester Institute of Technology, onde estudou ilustração. Apaixonada por desenho desde muito pequena, explorou as mais diversas técnicas artísticas e, quando conheceu a aquarela, encantou-se. Além disso, gosta de se aventurar pelo universo da pintura digital. Atualmente, ilustra livros infantis e tem 3 livros publicados: “Princesas escalam montanhas?”, “Da raiz do cabelo ate a ponta do pé” e “Genoveva, a unicórnio em: A terra da imaginação”. Também trabalha como freelancer fazendo ilustrações personalizadas. Através de suas ilustrações, busca trazer beleza e delicadeza ao mundo em forma de cor.

Suzanne Cascardi sempre se divertiu desenhando e criando histórias. Com sua vontade de trabalhar com desenho crescendo cada vez mais, acabou se formando em Desenho e Animação. Trabalha como ilustradora freelancer desde 2010, tornando-se membro da Escola Kinoene Arts, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, e parte do estúdio Tonnelada desde 2013. Encontrou na ilustração e nos quadrinhos um meio para se expressar, contar suas histórias e inspirar as pessoas de alguma forma. Participou da CCXP 2016 e da CCXP Tour Nordeste, lançando seu primeiro artbook, “LUME”, um compilado de criações de personagens, ideias e releituras do mundo fantástico que sempre serviu como referência para suas produções. Este ano, Suzanne lançará na CCXP seu primeiro quadrinho, “HIGOR SONHOS”, que fala sobre o universo dos Amigos Imaginários. Um projeto muito especial de uma ideia que surgiu quando a artista tinha 8 anos de idade e que evoluiu e amadureceu como história através dos anos, tendo sido concluída em parceria com Raulex João e o estúdio Tonnelada. Cada página desta HQ traz uma aventura que acompanha Higor, um adulto que volta a ver seu amigo imaginário, Deny. O quadrinho ainda apresenta conceitos sobre o universo dos Amigos Imaginários e como estes mudam a nossa realidade, o que faz o leitor refletir sobre diversas questões da vida em uma jornada de autoconhecimento e a busca por equilíbrio.

Olá sou a Rafa Villela! Sou ilustradora e designer gráfico, louca por bichinhos, pela Disney e ilustrações infantis no geral. Trabalhei na produção de revistas, sites, redes sociais e apaixonadamente em dúzias de materiais impressos. Meu amor pelas artes me faz incessantemente participar de cursos e palestras para aprimorar minhas técnicas e conhecer outros profissionais da área. Tenho uma obsessão por papel e tinta, sendo a maníaca das papelarias e uma expert na arte de encontrar materiais nos lugares mais improváveis. Embora minha curiosidade não me deixe distante das novidades digitais. Gosto da delicadeza e doçura no traço que caminham harmoniosamente ao lado de personalidade e carisma nos personagens, busco trazer sempre leveza e fantasia para a experiência. Acredito na arte para deixar o mundo mais belo e no poder do desenho em alegrar um coração. Tenho certeza que a diversidade de cores na sociedade e na arte faz o mundo muito melhor e mais divertido.

Fileira F

Adriana Melo ingressou no mercado de quadrinhos depois de ter tido uma avaliação de portfólio em uma convenção de quadrinhos em São Paulo, ainda aos 18 anos. Depois de algum tempo treinando ao lado de outros desenhistas já ativos na industria, veio a primeira oportunidade: Homem de Ferro. A partir daí, vários títulos se seguiram: “Quarteto Fantástico”, “Surfista Prateado”, “Star Wars: Empire”, “Rose & Thorn”, “Witchblade”, “Sinestro Corps: Parallax”, “Miss Marvel”, “Birds of Prey” e “Catwoman” dentre outros títulos mensais e especiais. Mais recentemente, Adriana foi a artista da série “New Adventures of the Ninth Doctor”, para a editora Titan Comics, e atualmente trabalha na minissérie “Homem Borracha” para a DC Comics.

  • Eliane Bonadio | Roteirista | F31

Professora há 21 anos, Eliane traz sua vasta experiência com crianças para as HQs e livros infantis. Como escritora, publicou seus contos e poesias nas coletâneas “Trilha de Lótus”, “Extremo – Contos sobre o fim do mundo” e “Expresso 666 – Contos sobrenaturais, de suspense e de terror”. Na CCXP, lançará suas primeiras HQs, “Inventices e Folklóricas” #3 e “Pytuma Tacumã”.

Mayara Lista é ilustradora e designer por formação e bailarina por teimosia. Formou-se em Comunicação Visual Design pela UFRJ e estudou ilustração por um ano na Kingston University, em Londres. Atua como designer de capas de livros, quadrinistas e ilustradora para animações e projetos variados. Sua primeira história em quadrinhos, “Naruna”, uma história sobre esculpir travessias, foi financiado através do Catarse. Mayara já fez capas para o Grupo Editorial Record, dançarinos aquarelados para as embalagens do Picolé Itália, ilustrações para o estúdio Mowe e cenários para a série de TV “Irmão do Jorel”. É sócia-fundadora da Farpa Editora, uma editora independente de publicações pontiagudas, e está sempre trabalhando em projetos pessoas inspirados na cultura popular brasileira.

Formada em Design Gráfico em 2016, Raquel atualmente trabalha como ilustradora e quadrinista. Sempre gostou de contar histórias de forma visual por meio da junção entre desenho, pintura e escrita. Criou a graphic novel “Up and Ahead” e os livros ilustrados “Cowdogs” e “Skailla”, projetos que se tornaram realidade por meio de crowdfunding e apoio de leitores. Hoje, possui uma pequena editora, a Editora Aventura, e publico os títulos, procurando inspirar e divertir. https://www.instagram.com/skaillart/ https://www.deviantart.com/skailla https://www.aventura.design/

Roteirista de quadrinhos. Suas obras transitam em diversos gêneros: terror, horror, ficção científica (cyberpunk e space opera), ação, suspense e drama. Publicou pela primeira vez em 2017, na coletânea da Editora Draco, “Space Opera em Quadrinhos”, obra indicada no Troféu HQMix de 2018. No mesmo ano, obteve sucesso em uma campanha de financiamento coletivo do quadrinho independente “Hacking Wave”, lançado no Artists’ Alley da CCXP 2017, através do desenhista Pedro Okuyama. Lançou nova história na coletânea “Periferia Cyberpunk”, da Editora Draco, no Festival Internacional de Quadrinhos de 2018. Neste ano, trará diversos lançamentos ao evento, com mais uma participação em coletânea da Editora Draco, em homenagem ao Edgar Allan Poe; lançamento da HQ independente “Gynoide”, com desenhos de Hugo Nanni e outras participações em projetos a serem anunciados.

Até quando devemos acreditar quando dizem que nascemos para algo? Desde pequena, Bianca teve afinidade específica para quadrinhos, mas se negava a aceitar isso como algo que não fosse um hobby. Fez seu primeiro quadrinho aos 9 anos na escola, copiando o estilo da Turma da Mônica sem nem entender o porquê de aquilo ser tão forte em si. Passou a fazer charges de professores e situações do seu dia a dia e, aos 14 anos, começou a publicar suas primeiras tiras em jornais independentes. Em seguida, dividia o trabalho de ilustradora para o mercado publicitário com a faculdade de física e ainda via a arte como algo secundário. Até que chegou um momento de sua vida em que não teve como continuar sendo agente duplo e se assumiu de vez como ilustradora e quadrinista. Em 2016, formou-se em Quadrinhos na Quanta Academia de Artes e começou a publicar suas tiras na página dos Quadrinhos do Mundo. Em junho de 2018, lançou sua primeira HQ, “A Morte do Professor Francisco”, com Chia Américo e Daniel Capua. Agora, está trabalhando em mais duas publicações a serem lançadas na CCXP.

Fileira G

Majory tem 26 anos e é formada em Artes Visuais, desde sempre tendo como paixão a Arte e, em especial, o desenho. Quando criança, seu passatempo era desenhar. Em 2011 , teve a oportunidade de iniciar alguns cursos de desenho e, daí em diante, nunca mais parou de buscar formas de melhorar seu trabalho. Neste ano, participou de seu primeiro evento, a FIQ, e levou como lançamento a HQ “Ralo”. Na Comic Con, lançara sua segunda HQ, chamada “Asilo”! 🙂

Sarah é uma ilustradora e quadrinista freelancer e estudante de Belas Artes. Apaixonada pela estética do mangá, que é seu carro-chefe, está sempre fazendo trabalhos coloridos e cheios de energia! Também é bem conhecida por seus chibis, que transbordam fofura e diversão. Costuma trabalhar com commissions, faz vários trabalhos para cursos de línguas estrangeiras, canais de YouTube, mascotes para lojas on-line etc. Espera poder dividir com todos os seus trabalhos e fazer com que as pessoas sorriam com eles, assim como ela sempre sorri com os trabalhos de seus artistas favoritos.

  • Yuu | Roteirista e Desenhista | G10

Escritora e desenhista desde os dez anos, Yuu formou, junto com Kurama-Chan, a dupla Kyuu aos dezesseis. A dupla já realizou vários feitos, desde pequenas vendas em conjunto a salas temáticas em eventos menores, mais de trezentas encomendas e participações na construção de jogos para variadas plataformas à criação de histórias originais, como “Memory Clock”, “Forget-Me-Not” e “Sincronicidade”, tendo esta última sido publicada pela Editora Draco. Seu mais recente sucesso, “Estados Brasileiros em Quadrinhos”, ganha edição especial para a CCXP 2018, contando com ilustrações inéditas à anterior, além de impressão e acabamento profissionais.

Nascida em janeiro de 1991, Camila Cardoso Poszar, também conhecida como Cah Poszar, é ilustradora, quadrinista e designer. Fã de histórias em quadrinhos desde muito nova, com a chegada em peso dos Mangás no Brasil nos anos 2000, foi paixão à primeira vista e logo passou de leitora para criadora. Influenciada por títulos como “Sakura Card Captors”, “Rurouni Kenshin” e “Full Metal Alchemist”, além de jogos de RPG, livros de aventura e mitologia. Começou a produzir suas próprias histórias, tendo publicado de forma independente tanto em formato físico quanto online. Sua série principal, “Teerra & Windy”, terá seu último volume lançado durante esta CCXP de 2018! Trabalha atualmente na área de licenciamento, ilustrando Style Guides de personagens e marcas famosas, como Barbie, Polly, Hotwheels, Miraculous Ladybug, Wonder Woman dentre outros. Cria desde ilustrações dos próprios personagens, assets, backgrounds, até estampas corridas e muito mais. Também já trabalhou projetando brinquedos promocionais de personagens licenciados para grandes clientes, como Mondelez, Top Cau, Kopenhagen, C&A, Renner, Richuello, Shell etc.

  • Anna G. | Quadrinista e Ilustradora | G13

Nascida em São Paulo e formada em Artes Visuais e História da Arte na Brown University, nos Estados Unidos, Anna é artista agenciada pela GlassHouse Graphics e freelancer. Atualmente, trabalha no título “Mercenário$ “, junto da roteirista Fran Briggs, nesta obra publicada pela editora Jambô; e no título “Pet Noir”, escrito por Debbie Lynn Smith e publicado nos EUA pela editora Kymera Press . Também foi responsável pela arte do one-shot “Anima”, publicado pela Jambô, e pelos títulos independentes “Memento Mori” e o quadrinho online “Never Ending Road”. Administra o selo Immagina Press, uma pequena editora dedicada a publicar títulos independentes nos EUA em eventos como a New York Comic Con.

Os principais trabalhos de Fran foram os roteiros do mangá nacional “Holy Avenger” #41 e #42 (Trama/Talismã), além da co-roteirizeização de “Holy Avenger Especial” Vol. 1 e 2, “Victory” #2/ “Dado Selvagem” (Trama/Talismã). Pela Editora JBC, traduziu/adaptou os títulos “Fairy Tale”/”Tenjo Tenghe”. Como roteirista/reticulista. lançou os títulos “Anima”, “Mercenário$ Especial”, “Mercenário$ Série” Volume 1 e Volume 2 pela Jambô Editora. Ainda como autora/roteirista, publicou, de modo independente, os títulos “Passagens”, “Memento Mori” e “Pequenas Crônicas Diárias”, lançados exclusivamente nas CCXP 2016 e CCXP 2017.

Arte educadora formada pela UFPE e estudiosa da história de Recife, Pernambuco e seus folclores. Faz HQs desde a infância, e publica desde 1998. Tem um site de terror, história, quadrinhos e literatura do Recifense, o SOMBRAS DO RECIFE (www.sombrasdorecife.com.br). Já publicou 10 álbuns de quadrinhos, entre eles uma adaptação em 4 volumes , “Passos Perdidos, História Desenhada” (História dos Judeus), que foi vencedor do HQMIX 2001 ( maior contribuição para os quadrinhos nacionais). Indicada no ano seguinte pela arte de “Heróis da Restauração Pernambucana”, falando da INVASÃO HOLANDESA. Foi a PRIMEIRA ARTISTA DE HQS a lançar um quadrinho na história da ACADEMIA PERNAMBUCANA DE LETRAS ÁLBUNS LANÇADOS: – 2006 – Passos Perdidos, História Desenhada V. 1 (Prêmio HQ MIX de maior contribuição 2007) – 2008 – Passos Perdidos, História Desenhada V.1 ( republicação) e vs . 2, 3 e 4 – Bíblia em Quadrinhos Chesf – 2009 – Heróis da Restauração Pernambucana – 2011 – Afro HQ – 2017 – Sketchbook Custom Criativo -2018 – Revista SOMBRAS DO RECIFE V. 1 (Autoral) – GIBI DE MENININHA (Coletânea) PREMIAÇÕES – 19 HQ MIX com o Álbum “Passos Perdidos, História Desenhada”, maior contribuição para as hqs nacionais – 2007 – 21 HQMIX (2009) – INDICAÇÃO Álbum “Herois da Restauração Pernambucana” lançamento HQ Nacional. EXPOSIÇÕES – Expo Nanquim I – 1996 – Expo Nanquim II – A mulher nos Quadrinhos – 1997 – HQ Brasil – Bienal de Artes e Quadrinhos ABRA Centro Cultural de São Paulo 1997 – I coletiva dos alunos de artes plásticas –junho de 1998 –Galeria do centro de Artes da UFPE – I FIHQ (Festival Internacional de Humor e quadrinhos de Pernambuco) – classificada -1999 – I FIQ! UAI –Belo Horizonte –expo na seção dedicada aos grandes desenhistas de Quadrinhos de Pernambuco -1999. – III FIHQ -2001 – IVFIHQ -2002 – V FIHQ -2003

Germana Viana é quadrinista e autora de “Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço” Vol. 1 e 2 (Jambô Editora), “As Empoderadas”, “O Verão do Papa-Angu”. Também é desenhista de P.O.V. – Point of View e é coordenadora, editora e uma das autoras de “Gibi de Menininha – Historietas de Terror e Putaria”. Participou de diversas coletâneas, como “SPAM” (Zarabatana Books), “Amor em Quadrinhos” (independente) e “Marcatti 40” (Ugra Press). Germana trabalha também como letrista e designer.

Sou formada em Design, pesquiso quadrinhos academicamente e sempre curti ilustrar e criar quadrinhos. Trabalho como colaboradora do Studio PBR desde 2012 e já lançamos alguns títulos juntos. Participo de eventos desde 2013. Possuo foco em criação de mangá e curto produzir ilustrações para os diversos fandom do qual participo. Também costumo participar de eventos artísticos de jogos online. Em 2017, participei da Comic Con Nordeste em Recife, dividindo a mesa com outras quadrinistas de Alagoas. Costumo produzir material de cujo regional também, que adaptam a cultura local à narrativa gráfica. Como designer, realizo atividades como freelancer enquanto continuo estudando no mestrado. Atualmente trabalho em alguns projetos de artbooks pessoais e projetos maiores do Studio PBR. Também já produzi quadrinhos de cunho social (Preto Que Nem Carvão) e sobre estudos de gênero (Minha Rosa, Minha Flor).

Juliana Loyola, conhecida como Ju Loyola, nasceu e reside atualmente em São Paulo, SP, e é deficiente auditiva. É formada em Design Gráfico pela Escola Panamericana da Arte e Design. Trabalhou como clean up/intervalações de animação para a produção do filme “Fúria & Amor”. Atualmente, desenha histórias em quadrinhos na forma de Narrativa Visual sem roteiro (história muda), como os trabalhos “The Witch who loved”, “Perdida na Floresta”, “The Imagination”, “The Last Warrior”, “Maria & Cia – Aventura das Estrelas” e historias curtas. Participou de Concurso internacional que acontece no Japão – Silent Manga Audition Contest Community – SMAC e conseguiu algumas colocações.

“Senhoritas de Patins” é um estúdio independente de quadrinhos e ilustração fundado em 2014. As mentes conspiradoras desse projeto pertencem às amigas: Fabiana Signorini e Kátia Schittine! Ambas são formadas em Cinema de Animação pela UFMG. Elas adoram desenhar e criar novas histórias e fazem trabalhos colaborativos de quadrinhos desde 2003! O nome “Senhoritas de Patins”é uma brincadeira com as traduções literais dos sobrenomes das artistas. Venha conhecer a gente e o nosso trabalho!

Jane é ilustradora de Belo Horizonte formada em Cinema de Animação e Artes Digitais pela UFMG. Adora trabalhar com ilustração infantil, muito por causa do projeto “Universidade das Crianças”, onde estagiou. Já fez desenhos para livros infantis, dirigiu o curta de animação “Metamorfose”, fez cenários para o curta “Por que o coração bate rápido?”, participou das antologias “Crânio” e “Grimório” e, atualmente, está desenvolvendo projetos pessoais de séries animadas e de histórias em quadrinhos.

Rayanne Vieira é uma artista de Minas Gerais, que trabalha com livros infantis e desenvolvimento visual para animação. Formada em Cinema de Animação e Artes Digitais pela UFMG, trabalhou em projetos de estúdios de Belo Horizonte e em projetos de curta autorais. Seus clientes de livro infantil incluem as editoras Mascot Books, Cantata Learning, Oxford University Press, Arcturus Publishing e Macmillan Publishing. Nas horas vagas, gosta de ler quadrinhos e agora, começou a produzir suas próprias HQs. Participou do seu primeiro projeto de quadrinho em 2013, na antologia “Crânio”, uma coletânea de pequenas histórias de alunos da UFMG. Lançou seu primeiro quadrinho individual no FIQ de 2018. Nesse mesmo ano, também foi organizadora da Antologia Grimório, um projeto com 22 histórias curtas com o tema de bruxas.

Beatriz França, criadora da personagem biaPOF, cursou design, trabalhou com publicidade e até arriscou-se com moda, mas sua paixão mesmo sempre foi a ilustração. Vinda de uma família devotada às artes, acostumou-se com música, fotografia e desenho desde muito cedo, o que contribuiu muito com sua capacidade de criar fantasias, construir histórias e inventar personagens. A biaPOF provavelmente nasceu por aí, muito antes dela sequer se dar conta. Com o tempo, o e stilo evoluiu, passando de rabiscos simples no papel a ilustrações digitais elaboradas. Logo veio a ideia de misturar mensagens positivas e palavras de conforto com o desenho, o que acabou se revelando uma experiência extremamente gratificante.

Fileira H

Bi Aguiart sempre foi apaixonada pelo mundo do desenho! O interesse surgiu nas animações que assistia quando criança e se desenvolveu para outros ramos, como quadrinhos, livros infantis e muito mais! É formada em Audiovisual pelo Senac e já passou por diversas empresas e produtoras como ilustradora. Atualmente, com 6 aninhos de carreira, está focada em projetos pessoais e afim de publicar seus primeiros quadrinhos, como “A Lenda de Grins” e “Complementar”, que farão parte de um compilado de histórias ao lado de outros 30 ilustradores! Ambos os títulos serão lançados na Comic Con Experience!

Deborah Rodriguez é uma Ilustradora blackwork de São Paulo apaixonada por animação e cultura nerd. Suas artes são uma mistura de técnicas desenvolvidas tradicionalmente em nanquim e digital, e pairam em um universo característico onde brinca com valores e composições, misturando diversos elementos entre fanarts e ilustrações autorais.

Sou ilustradora freelancer desde 2015 e atuo principalmente na área de material didático, jogos, editorial e animação. Em 2018, lancei meu primeiro quadrinho “Crônicas de Chordata”, uma história de busca de identidade em um universo de fantasia. Fiz uma pequena tiragem em maio (que, pra minha surpresa, esgotou!) e imprimi uma nova tiragem para levar para a CCXP. 🙂 Participo também do coletivo “Onigiri de Bacon”, um grupo de artistas que publica mensalmente tirinhas ou ilustrações baseadas em um tema que definimos por votação. Lançamos em 2018 duas zines, com tirinhas exclusivas: “Cotidiano” e “Internet”.

Paraense nascida em Belém, Tamilis Oliveira é ilustradora e designer que vive e trabalha atualmente em São Paulo. É comunicóloga formada pela UFPA e pós-graduada em design gráfico pelo Senac SP. Sua paixão por ilustração a acompanha desde a infância, mas foi em 2010 que começou a trabalhar na área. Ao longo desses 8 anos acumulou diversas experiências profissionais como ilustradora em estúdios de design, mas principalmente mantendo seu trabalho pessoal como ilustradora freelancer. Tamilis cultiva interesse especial pela literatura infantil e já ilustrou dois livros desse segmento. Desenvolveu também vários outros trabalhos para o ramo editorial e publicitário, além de participar de eventos internacionais, como o Santiago Ilustrado Festival 2016.

O Omamori Studio foi criado pelo casal Sheila Bastos (ilustradora) e Rodrigo Dilon (designer e roteirista) em 2015, quando começaram os primeiros trabalhos de ilustrações, concept art e projetos de design gráfico e, posteriormente, as primeiras histórias em quadrinhos disponibilizadas para leitura gratuita online nas plataformas Tapas e Webtoons. Em 2018, o estúdio criou o seu primeiro quadrinho impresso de forma independente, o “Love Up!”, uma história cheia de aventura e magia ambientada em um jogo de RPG online, cujo lançamento ocorreu no Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ 2018). Para a CCXP 2018, o Omamori Studio lançará a sua segunda publicação independente: “Necromancer – Além do Beco”, que apresentará uma proposta mista de quadrinhos e artbook para contar uma história que mistura diversos gêneros como sobrenatural, drama e romance.

Paula é ilustradora, animadora e designer. Nasceu em Minas Gerais, já morou no Espírito Santo e visitou Nova York durante seus estudos de ilustração. Neste ano, mudou-se para São Paulo para seguir seu sonho de trabalhar com arte! Trabalha tanto com meios tradicionais (aquarela, gouache, Copics etc.) quanto no digital e tende a ser bastante severa consigo mesma quanto à qualidade de seus trabalhos. Além das ilustrações, aventurou-se no caminho dos quadrinhos, com webcomics como “Torven X”, “ONEofTHEM” e o mais recente “Crystal Heart”, feito experimentando com aquarela. Gosta muito de arte sequencial, principalmente animação e quadrinhos, sendo estilo bastante característico de livros infantis, pois gosta de ilustrar cenas suaves e emotivas que toquem o expectador de alguma forma. Espera que as pessoas aproveitem o evento e façam uma visitinha à sua mesa para bater um papo!

Danielle é ilustradora e designer de personagens. Como as crianças costumam fazer, ela sempre amou desenhar desde que se lembro. A ideia de criar um universo inteiro – de sua mente ao papel – fez com que se apaixonasse por arte e contar histórias com desenhos. Avançando para a idade adulta – sem saber se pode ser chamada de “adulta” – não havia outro caminho a não ser seguir sua paixão e se tornar uma artista profissional. Danielle entende a dor e a alegria da vida criativa e sua missão é inspirar tantos artistas quanto for possível para se torna a melhor versão de si mesma: criativa e produtiva, enquanto a mente e o espírito se mantêm saudáveis. Sua missão é estimular a inspiração através de sua arte, suas ilustrações, seus quadrinhos, seus livros infantis, suas zines, seus poemas, suas músicas e tudo o que chamar por ela.

Débora Caritá é desenhista e ilustradora. Entre seus trabalhos publicados estão Star Trek: Through the Mirror #5 (Maio 2018, IDW Publishing (USA)- lápis e arte-final), Ivory Ghosts #1 (Março 2018), (Kymera Press (USA)- lápis), Dejah Thoris (série mensal Dynamite Entertainment, 2012 a 2014- lápis e arte-final), série Project Superpowers – cores- (de Alex Ross, Dynamite – 2007 a 2009); Gene Simmons’ – Dominatrix (2007 – cores), Arana & Spiderman (cores. Marvel, USA, 2006), X-23 (cores, Marvel, USA, 2005), série 24 Horas (cores, IDW Publishing, USA, 2006), dentre outros trabalhos, como capas para Mundo dos Super-Heróis n. 82 (Spiderman) (2016, Editora Europa), Mundo dos Super-Heróis n. 93 (Arlequina) (2016, Editora Europa, Brasil), Mundo dos Super-Heróis n. 88 (Guardioes da Galaxia, 2017), capas da Revista Oficial X-Box (Editora Europa, 2016), e atuou como ilustradora publicitária para a pré-produção de comerciais de TV no Estúdio OpenTheDoor (2015 a 2017 – São Paulo, Brasil) para grandes marcas como Sadia, Nestle, Brahma, Nivea, Danone, dentre outras. Atualmente está desenhando e arte-finalizando Call of Duty para a desenvolvedora de games Activision (USA), com lançamento para o segundo semestre de 2018.

Cristina Eiko nasceu em São Paulo, SP, cresceu leitora de livros e histórias em quadrinhos, e formou-se em Design. Trabalhou com animação em comerciais e longas-metragens, como “Segredo de Kells” e “Uma História de Amor e Fúria”, enquanto alimentava a vontade de fazer suas próprias HQs. Já tinha feito algumas tiras e quadrinhos para fanzines e para seu próprio blog. Em 2010, começou a desenhar, com seu parceiro, Paulo Crumbim, os “Quadrinhos A2”, HQs autobiográficas que contam de maneira bem-humorada histórias do nosso dia a dia e cujo segundo volume foi premiado com o Troféu HQ Mix de Publicação Independente de Autor em 2013. Junto com Crumbim, também criou a Graphic MSP “Penadinho – Vida”, lançada em 2015. Em 2017, lançou sua primeira HQ solo, “Culpa”, que faz parte da coleção “Ugritos”, da Ugra Press. O sexto volume de “Quadrinhos A2” tem lançamento previsto para a CCXP18.

Fabiana é ilustradora e trabalhou em revistas, em sites,na área de moda e, atualmente, cria cenários para séries de animação para a TV e o cinema. Paralelamente, trabalha como freelancer com livros didáticos e infantis, além de games para app. Também cria ilustrações autorais, desenhos manuais em aquarela e nanquim, que aplica em capas de sketchbooks, prints, canecas e camisetas. Participo do artist’s Alley já há 3 anos e, em 2016, lançou seu primeiro livro autoral, “Porco Anjo”, que foi selecionado pela FNLIJ para participar da exposição e dp catálogo da Bienal de Ilustração de Bratislava em 2017. Em 2017, lançou o livro infantil “Mila”, escrito por ela e seu amigo, Renato Lara. Neste ano, Fabiana levará um artbook de aquarelas e nanquim com mini aventuras de seus gatinhos, Nhelvie e Freddie, além de novos prints em aquarela, bottoms, calendários e sketchbooks.

Cinthia Saty Fujii é ilustradora e quadrinista. Atualmente, trabalha como ilustradora na TV Pinguim, focada em desenvolvimento visual (cenários, props e personagens) de séries animadas infantis (“O Show da Luna”, “Ping and friends”). Na CCXP 2017, lançou o projeto de inktober “Inked Trip”, um artbook de nanquins inspirados no Vietnam Antigo. Participou como uma das ilustradoras da HQ “Cemitério dos Sonhos”, do autor português Miguel Peres, lançado na CCXP de 2016 pela editora SESI/Quanta. Também faz tirinhas autorais sobre a maternidade (maternidade sincera). Já trabalhou com ilustração para publicidade para clientes como Lemonade TV, Sistema Anglo de Ensino dentre outros, além de ilustrar os livros infantis “As Crianças das Estrelas” e “Borbocléia” pela editora Hércules.

Verônica Berta é formada em design gráfico pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e fez curso superior de desenho na escola de ilustração, games e animação Emile Cohl (Lyon, França). Em 2017, publicou, em parceria com Cinthia Saty, a “Zinestésica”, uma zine sobre dança acompanhada de uma playlist cuja proposta é olhar as imagens e escutar as músicas ao mesmo tempo. Em 2018, publicou a HQ “Ânsia Eterna” pela editora SESI-SP. Trata-se de uma releitura em quadrinhos da obra de Júlia Lopes de Almeida, uma das raras romancistas brasileiras existentes na virada do século XIX para o XX. Além de colocar em evidência a obra dessa escritora quase esquecida pela história da literatura, propõe-se a sair do formato convencional, indo em direção à pintura. Com influência na pintura, Verônica busca em seu trabalho experimentar possibilidades que existem no processo de fazer quadrinhos, com temas históricos ou do cotidiano.

Anna Charlie é fruto do trabalho de Anna Maeda como ilustradora. A artista gosta de contar pequenas histórias e sentimentos por linhas e cores. Anna aplica suas criações a diversas superfícies, como canecas, ecobags e no bom e velho papel. Na CCXP de 2018, Anna vai lançar seu livro ilustrado “De onde nascem as flores” e mais dois zines!

Patrícia é uma carioca morando em São Paulo, formada em Design Gráfico focado em Animação e que trabalha com ilustração desde 2014. Hoje, seu trabalho consiste principalmente em concept art e storyboard para a área do audiovisual. Além do desenho, sempre gostou muito de escrever e tem se aprofundado mais na arte da escrita. Escrevia poesia e fazia seus próprios quadrinhos desde muito pequena, e isso foi se perdendo ao longo dos anos. Hoje, deseja retomar essa paixão adormecida e levar para outros públicos um pouco de sua visão e narrativa.