Já faz algumas semanas que A Forma da Água, o novo filme do Guillermo del Toro, foi lançado no Brasil e deu muito o que falar. A maioria da recepção tem sido positiva, além dos prêmios que o longa vem recebendo. Porém, junto com o filme, Guillermo del Toro também escreveu, junto com Daniel Kraus, um livro para expandir o universo da história.

O livro está sendo lançado hoje. Aeditora Intrínseca nos mandou uma cópia e nós aqui do Nebulla já lemos. A premissa da história é a mesma da do filme: Elisa trabalha em uma base secreta do governo como faxineira. Durante uma das noites, ela vê o Homem-Anfíbio, que foi trazido para os Estados Unidos da América do Sul. Aos poucos, os dois vão criando uma relação e se aproximando.

Essa resenha não tem spoilers.

A narrativa alterna o ponto de vista em alguns personagens, mostrando diferentes formas de ver uma situação específica. A história tem um ritmo dinâmico, alternando entre cenas de uma forma que me lembrava um pouco a edição de um filme mesmo. O foco é Elisa, mas também vemos o ponto de vista de Zelda, Giles, Strickland e, às vezes, até vemos a história dos olhos do Homem-Anfíbio. A escrita é bem diferente nesses momentos, sem pontuação e mostrando como a criatura tem uma forma de pensar bem particular.

Por mais que o livro não tenha os recursos visuais do filme, que são impressionantes e ajudam na imersão, a história nos faz entender melhor os personagens. Coadjuvantes possuem mais destaque no livro. Entendemos muito dos sentimentos de Zelda por Elisa, assim como vemos todo o trauma que Strickland está lidando depois de passar um bom tempo em campo. O livro nunca perdoa o vilão por tomar as ações que toma, mas é interessante entender como ele está pensando.

Um ponto que me chamou bastante a atenção no livro, que infelizmente foi tirado do filme, é todo o arco da esposa de Strickland, Elaine. Eu entendo que, de fato, considerando o tempo de tela, era a história que poderia ser cortada, mas foi uma das partes que mais gostei de ler. O ponto de vista de Elaine nos mostra como a dinâmica dentro da casa de Strickland funciona. Existe toda uma discussão sobre a independência dela em relação ao marido em seu arco, o machismo que ela sofre dentro daquela casa.

Há momentos em que o livro leva algum tempo para explicar certas coisas, que às vezes não é necessário. Por outro lado, dá para entender bem melhor porque alguns personagens agem e pensam de certas formas. Por mais que eu goste muito do roteiro do filme, como eu disse na minha crítica, há momentos em que parecia que algumas decisões eram tomadas só para fazer a história andar. No livro, essa impressão era bem menor, por mais que algumas decisões não fossem as mais inteligentes, dava para entender da onde aquelas ideias estavam vindo.

Não havia nenhum personagem, ou ponto de vista, que era entediante ou distante do tema da narrativa. O ritmo e ordem dos fatos às vezes são diferentes, mas todos eles constróem a temática de aceitação que a história se propõem a passar. E, já que não existe a questão do tempo como temos no cinema, o livro se permite demorar mais em pensamentos e passamos mais tempo com outros personagens.

O livro enriquece e expande o universo do filme. Não é que assistir A Forma da Água seja uma experiência incompleta, o filme funciona sem problemas independente do livro. Porém, ler esse universo expandido nos ajuda com a imersão nessa história e na vida desses personagens.

Em geral, é uma leitura fluida, que não fica massante ou cansa o leitor. Os acontecimentos vão sendo construídos aos poucos, mas no ritmo certo para manter o leitor entretido na história. Os capítulos são curtos e o livro é dividido em partes específicas, o que ajuda a manter a leitura mais dinâmica. Mesmo com as partes que se focam em mostrar os pensamentos dos personagens, o livro não enrola muito tempo em partes desnecessárias.

Com certeza recomendo este livro, para você que viu o filme ou não. Eu li boa parte antes de assistir A Forma da Água no cinema, e consegui aproveitar as duas experiências. Caso você já tenha assistido ao filme, é interessante ler para entender e se envolver ainda mais com esse conto de fadas para adultos.