Antes de qualquer coisa, é importante avisar que esse texto tem inúmeros spoilers de Guerra Infinita! Tipo todos mesmos, se você ainda não assistiu o filme e continuar lendo, a culpa não é minha.

Marvel, me desculpa por ter duvidado de você.

Eu não sou a pessoa dos super-heróis. Gosto de alguns, mas meu rolê de cultura pop é outro. Então sim, eu sei que naturalmente tenho uma dificuldade em me apegar a eles. Mas eu tenho os meus queridos. Eu adoro o Pantera Negra, a Mulher-Maravilha, vou proteger meus Guardiões da Galáxia sempre…

E eu tenho fortes opiniões sobre os universos de super-heróis no cinema. Acho que o MCU tem uma qualidade superior ao universo da DC, posso fazer um longo texto aqui sobre isso, mas independente de qualquer coisa, eu sempre tive minhas críticas aos filmes da Marvel. Eu não gosto do humor exagerado em filmes que não são focados em comédia, não gosto do “alívio cômico” em momentos dramáticos, não me importo com os homens padrão que encabeçam o universo, já estou de saco cheio da pouca representatividade… Por mais que eu acho que, em geral, o universo seja sólido, eu sempre tive as minhas críticas.

Aí aconteceu Guerra Infinita. Tudo que eu pensei quando sai do cinema é sobre como eu estava errada sobre a Marvel. Eu nunca achei que eles iam conseguir lidar com tantos personagens. O que eu acreditei é que eles fariam o suficiente e teríamos um filme divertido, com umas piadas, um vilão que tanto faz e fim.

Mas como eu já falei na crítica, eu recebi muito mais do que isso. Guerra Infinita sabia quando brincar, e soube quando fazer todo mundo chorar e ficar arrasado com o que estava assistindo. O universo dos Vingadores tem falado muito de guerra e perdas, mas nunca antes eles falaram desse assunto com tanta seriedade como agora.

O filme do Doutor Estranho ilustra o que eu achei que ia acontecer. O filme é divertido, tem personagens bacanas que entretêm, mas falha na hora de me deixar tensa e falar sério. Nos filmes da Marvel que não tem um roteiro lá muito bom, eles usam muito de comédia para distrair a atenção do público. Eu acho sim que em vários personagens isso cabe, como Thor, mas que é preciso ter alguma noção para não transformar tudo só nisso.

Guerra Infinita não teve medo de matar nossos personagens amados. Eu acho sim que eles podiam ter pego um pouco mais pesado, como matar o Homem de Ferro, mas talvez isso fique para outro filme. Loki foi morto logo de primeira, um personagem que o público ama em geral, para mostrar que agora as coisas ficariam sérias e ninguém estava a salvo. E, como vimos, ninguém mesmo.

Eu não acho que um filme precise ter morte e perda para ser sério. Mas nós estamos falando de Thanos, é muito mais que uma invasão a Nova Iorque. É uma ameaça de escalas absurdas, com heróis sofrendo por se sentirem incapazes e impotentes. Seria pouco provável que tivéssemos uma aventura mais leve e divertidinha, como a Marvel entrega em outros momentos.

Mas o que mais me chocou em Guerra Infinita, no sentido positivo, foi como o filme fez eu me importar. Até o Homem de Ferro, que eu acho um saco, eu fiquei nervosa quando achei que ele ia morrer. Não ligo para o Homem-Aranha, mas segurei o choro com ele pedindo para não ir naquela hora. E com os personagens que já gosto foi uma tragédia. Ainda estou em negação com a Gamora e ver Bucky sumir na frente do Capitão América doeu.

Foi genial a Marvel mostrar cada um sumindo, em vários momentos ficávamos pensando “quem desses na tela vai”, sendo que às vezes eram todos. Guerra Infinita dá uma sensação de “está tudo perdido”, ficamos tristes até por aqueles que não são nossos favoritos, porque a situação toda é uma tragédia, uma derrota. O filme termina com uma sensação de que não há mais esperanças. Sim, eu sei que o Doutor Estranho provavelmente viu que esses fatos fariam com que o destino certo fosse escolhido. E obviamente todos sabemos que em um filme de heróis, são eles que ganham no final. Mas mesmo sabendo tudo isso, Guerra Infinita te faz sentir de verdade aquelas perdas. Isso só acontece porque o filme foi muito bem feito, e mostra as bases sólidas do MCU.

Então desculpa Marvel, eu não acreditei que você pudesse me emocionar dessa forma, mas você fez. Agora eu vou ficar em posição fetal até a continuação.