Quem foi mesmo que disse que filme com mulher não vende?

De acordo com o estudo da Creative Artists Agency com a Shift7, os filmes que possuem protagonismo feminino se saem melhores nas bilheterias mundiais. O estudo analisou os 350 filmes dos Estados Unidos com as maiores bilheterias entre 2014 e 2017. O resultado é que os longas com protagonistas mulheres, tanto os blockbusters quanto os filmes de baixo orçamento, renderam mais nas bilheterias. Desses 350 filmes no estudo, 105 possuíam mulheres como protagonista.

Além disso, a pesquisa também avaliou como os filmes passavam no teste Bechdel. Para quem não sabe, é um teste composto por três perguntas: Há pelo menos duas mulheres no filme? Elas falam entre si? O assunto é algo que não seja homem? Se a resposta para as três perguntas for sim, o filme passa no teste. Isso é uma forma bem básica de avaliar o quão relevante essas personagens mulheres são para essas obras.

Os filmes que passavam no teste Bechdel também lucraram mais na bilheteria do que os 40% que não passavam. Entre eles estão Procurando Dory, Rogue One, os episódios VII e VIII de Star Wars, etc.

Representação não é só sobre dinheiro e lucro, mas sabemos que, vivendo em uma sociedade capitalista, infelizmente essa ainda é a forma de fazer com que as empresas ouçam seu público. De qualquer forma, é sempre bom ter dados constatando a falácia que é o “a diversidade não vende”, “está acabando com a cultura pop”, entre outras coisas. O que deveria ser óbvio, porque de acordo com a mesma pesquisa, mulheres são cerca de metade do público dessas bilheterias. Não tem porque fazer uma obra excluindo boa parte de seu público alvo, isso é conhecimento básico de quem trabalha na indústria. O preconceito e falsas suposições impedem vários avanços, mas é bom que cada vez mais as pessoas fiquem cientes de que dar espaço para mulheres no cinema é algo válido e também lucrativo.

Via The Washington Post