O que dizer desse filme que conquistou tantos corações e até prêmios? Os elogios que o filme tem recebido até agora não vieram à toa. Homem-Aranha: No Aranhaverso é, com certeza, um dos melhores longas dessa temporada de premiações.

Homem-Aranha: No Aranhaverso tem como protagonista Miles Morales, um rapaz negro e latino que está se adaptando à nova escola. Um dia, quando ele está fazendo um grafite junto com seu tio, ele é picado por uma aranha e coisas esquisitas começam a acontecer. Será que ele estaria virando um novo Homem-Aranha? Ele precisa lidar com essa dúvida rápido, porque o rei do crime, Fisk, pretende fazer um experimento que pode mexer com mais de uma dimensão.

Esta crítica não tem spoilers do filme.

O filme acerta em tudo o que propõe fazer. O roteiro não aumenta mais do que precisa, nem corre para concluir algo rápido. O andar da história pontua bem o seu começo, dá o problema e no final cria um ato com clímax e emoção para quem está assistindo. Ao longo do filme, não só temos espaço para entender, e aproveitar, a história, mas também para conhecer os personagens.

Não há nenhum problema se você é uma pessoa que não acompanha Homem-Aranha, ou não conhece todas as versões que vão aparecer na animação. O roteiro é muito cuidadoso em conseguir dar algo muito divertido para os fãs mais antigos, ao mesmo tempo em que pode ser uma porta de entrada para quem não conhece Homem-Aranha.

Os personagens são muito cativantes e divertidos, tanto heróis quanto vilões. O trio principal de Homem-Aranhas: Miles, Peter e Gwen, são os que mais têm espaço para brilhar, mas todos ganham tempo de tela, inclusive os personagens que não estão no grupo do Homem-Aranha, como o pai e o tio de Miles, os vilões, tia May, etc.

Miles é um excelente protagonista. Ele é um garoto divertido, cativante e que conquista o público. Na questão de construção, Miles tem o melhor que esperamos da jornada de um herói que está aprendendo a usar seus poderes, um ótimo arco de amadurecimento e superação. Suas dúvidas e dificuldades o tornam um personagem fácil de se relacionar. A forma que ele vai superando os obstáculos faz com que cada sucesso seja uma vitória, é satisfatório ver o caminho que o herói percorre.

Ainda falando de Miles, é ótimo ver um super-herói negro e latino na tela, com o tanto de destaque e com uma construção de personagem feita com tanto carinho. Miles não é um estereótipo, ele é uma representação bem feita. Além disso, ele é uma representação de masculinidade não tóxica que não é a mais comum entre os heróis masculinos. Miles mostra seus sentimentos, é carinhoso, fala o que sente… É um exemplo para os garotos que vão assistir ao filme.

Todos os personagens com mais espaço no filme precisam passar por um momento que vai mudar a vida deles, aquela hora em que eles precisam encarar o desafio e as escolhas que já tomaram. O arco do próprio Peter Parker também é muito bacana, ainda mais como a figura dele serve como uma imagem de mestre para Miles, por mais que no começo ele não seja exatamente o que Miles gostaria como um guia.

A representação do filme não fica apenas em Miles. Nós temos mulheres bem construídas no filme, assim como personagens negros e latinos. Por mais que Peter Parker, um homem padrão, tenha bastante espaço, os outros personagens não servem apenas para a construção do personagem dentro do padrão.

A animação usa o formato de quadrinhos para conversar com a plateia, usando a linguagem com quadros e balões em vários momentos, colocando efeitos diferentes para mostrar algum poder específico do Homem-Aranha. Essa linguagem nunca aparece de forma forçada, é sempre divertida e conversa muito com a narrativa de todo o filme, dando para Homem-Aranha: No Aranhaverso uma aparência única.

O filme sabe quando precisa ser sério e quando precisa brincar. Ao mesmo tempo em que você vai rir e se divertir, você também vai ficar ansioso pelas próximas cenas, vai sentir a tristeza dos personagens e até se emocionar. Todos os climas que o filme propõe são colocados de maneiras muito natural e que se encaixam com o que está sendo proposto pelo roteiro.

Com a mensagem de “Todos podem ser o Homem-Aranha”, a animação é um excelente filme que pode ser assistido por todos. É muito bom ver um filme que está tão alinhado em todos os aspectos, ao mesmo tempo em que apresenta personagens de vários tipos e se propõe a não ser mais do mesmo, enquanto continua tendo muitos aspectos clássicos de um filme de super-herói.