Aquela lista básica e polêmica que as pessoas adoram concordar ou discordar. Eu não me acho a dona da razão soobre jogos de videogame, nem tentei ser imparcial. Todo o ano eu assisto a E3, uns mais animada que outros. Ainda acho que a indústria de jogos está muito travada em franquias antigas e interações unicamente baseadas em violência, esquecendo de fazer coisas novas.

Calma, vou explicar. Sobre franquias antigas, eu entendo que as chances delas darem certo são maiores, assim como é mais fácil continuar um jogo do que começar do 0. Há franquias que eu amo e quero ver continuações sim, mas isso está virando muito repetitivo e mais do mesmo para parte do público. Quanto a violência, eu não acho que há necessariamente um problema em jogos violentos e não acho que jogar videogames fazem pessoas ficarem agressivas e ruins. Longe de mim falar uma bobagem dessas. Mas eu acho que a gente precisa refletir um pouco sobre como a violência acaba virando o ponto central da grande maioria dos jogos atualmente. Eu já fiz um texto em que faço um pouco essa reflexão.

Mas sim, eu tive os meus favoritos nessa conferência, que achei mais interessantes ou com trailers mais incríveis. Então aí vai o meu top 10 dos jogos que mais gostei de ver na E3 deste ano! A ordem pode variar um pouco, mas deixei mais ou menos onde acredito que a minha hype está.

10. The Elder Scrolls VI

Eu, e várias pessoas, só assistimos a conferência da Bethesda esperando pelo anuncio de The Elder Scrolls VI. Depois de sete anos desde o último jogo da franquia, a Bethesda ainda não tinha falado nada se os jogos continuariam, enquanto tinha várias informações sobre Fallout.

Este anuncio com certeza estaria mais acima da lista em outras circunstâncias. Eu adoro The Elder Scrolls, é um dos RPG de fantasia medieval mais divertidos que eu joguei. Mas não podemos negar, a Bethesda só mostrou o nome oficialmente em um telão, fim. Foi praticamente um anuncio para que os fãs parassem de reclamar que não tem nada oficial sobre o jogo.

Mas ei, o que importa é que foi um anuncio oficial, né? Pode estar longe, mas pelo menos é confirmado. Ainda há algumas regiões de Tamriel que não conhecemos e pode vir muita coisa bacana daí. Caso você não conheça a franquia ainda, sugiro que dê uma chance para Skyrim e, se tiver paciência, Oblivion.

9. Ghost of Tsushima

A minha primeira reação quando o jogo começou no palco da Sony foi “O que está acontecendo?”. Ainda não sabemos exatamente, mas deu para ver que era lindo. Apesar de continuar sem data de lançamento, o exclusivo de PS4 da Sucker Punch teve um bom tempo de palco com gameplay para nós ficarmos apaixonados no visual e no combate do jogo.

As lutas parecem ser muito interessantes, os personagens também aparentemente possuem elementos importantes para trazer para a narrativa. De acordo com os produtores, a ideia é que o jogador possa explorar o mundo livremente, então imagino que vá ser um mundo aberto.

Apesar de não sabermos tanto da história, vemos o protagonista de origem japonesa lutando contra mongóis, o que indica que o jogo vá falar de certos períodos históricos dessas regiões. Uma pena só que o jogo estava dublado em inglês, né?

8. Death Stranding

Sempre achei Kojima meio superestimado, mas não consegui não ficar curiosa com as coisas que temos visto de Death Stranding. Não dá nem para dizer direito sobre o que é o jogo, o que sabemos é que Norman Reedus estará lá, junto com Mads Mikkelsen, Lindsay Wagner e Léa Seydoux.

Não sabemos ao certo se o jogo terá ligações com o Silent Hills P.T., mas parece ser um projeto próprio. Ao que tudo indica, será de terror ou ao menos suspense. No vídeo da E3, vimos Norman Reedus andando por muitas regiões abandonadas, quase um simulador de entregador de pizza no fim do mundo. Mas também vimos bebês, criaturas e sombras esquisitas que nos deixaram com inúmeras perguntas.

O problema é que eu, pessoalmente, tenho um fraco por jogos com histórias complicadas, aonde eu posso fazer teorias e ficar pensando sobre o que está acontecendo. Death Stranding já me deu isso antes mesmo do jogo sair. No final, pode ser ruim mesmo, mas muitas pessoas, incluindo eu, queremos pelo menos testar.

7. Sea of Solitude

No meio de tantos jogos de esportes, a EA deu espaço para um jogo indie que chamou a minha atenção. O jogo é produzido por uma produtora alemã e, de acordo com a apresentação da E3, a ideia de Sea of Solitude é falar sobre a solidão humana, enquanto o jogador investiga o mundo fantástico em que está.

A protagonista é uma mulher chamada Kay. Ela se sente muito sozinha e triste, mas quando está envolvida nesses sentimentos, ela aparentemente se transforma em um monstro. O objetivo do jogo, pelo que os produtores dizem, é fazer com que Kay encontre o equilíbrio.

Pode ser que o jogo não seja nada demais, mas jogos indie que buscam trazer mensagens através da narrativa são outro ponto fraco meu. Particularmente, para quem está cansado de ver os mesmos jogos, Sea of Solitude parece ser interessante. O jogo será lançado no começo de 2019 para PC, PS4 e Xbox One.

6. The Last of Us 2

Talvez o jogo mais falado na E3 deste ano. Eu não consegui terminar o primeiro The Last of Us, um misto de medo com “fiquei travada nessa parte e peguei raiva”. No entanto, independente de terminar ou só assistir a gameplay do resto, eu fiquei muito interessada no segundo título da franquia.

Primeiro porque sim, Ellie está sendo representada como a personagem lésbica que sempre foi, esse fator não foi esquecido pela Naughty Dog. Apesar de muitos comentários lesbofóbicos pela internet, também houve parte do público que ficou muito feliz. Além disso, a gameplay do jogo parece incrível e o combate está muito versátil, com inúmeras formas de derrotar os inimigos e com muita tensão.

Nós ainda não temos uma data de lançamento, mas não acredito que vá demorar tanto assim para sair. O público está muito ansioso, muitos nem mesmo acreditavam que a franquia ia continuar. O mundo de The Last of Us é muito rico e ainda há muitas possibilidades de contar inúmeras histórias.

5. Shadow of the Tomb Raider

O novo jogo da franquia da Lara Croft apareceu em mais de uma conferência da E3. Com trailer novo e partes da gameplay, o novo jogo parece pegar o melhor dos títulos que vieram antes. Eu estou para começar a nova fase de Tomb Raider, com o jogo de 2013, mas todos sabem que essa fase tem sido um sucesso até agora.

Pelo que podemos entender, Lara Croft terá que enfrentar um novo problema que ela mesma causou. Ela está investigando uma cidade que foi dada como morta, mas que na verdade era uma cidade vivendo forçadamente excluída do resto do mundo. De acordo com os produtores, o cenário será ainda maior para ser explorado, além de mais missões para serem feitas.

Ao contrário de vários jogos durante a E3, Shadow of the Tomb Raider vai ser lançado ainda esse ano, dia 14 de setembro. O jogo estará disponível, para a nossa felicidade, para PC, Xbox One e PS4.

4. Beyond Good and Evil 2

Já faz 15 anos desde que saiu o primeiro título da franquia, e foi uma surpresa geral quando ele foi anunciado. Este ano ainda continuamos sem uma data de lançamento oficial, mas vimos um trailer completamente incrível, com personagens variados e um universo que me deu vontade de jogar o primeiro jogo.

Beyond Good and Evil 2 é um jogo de ação e aventura com elementos de RPG. Você poderá criar o seu personagem e, até certo ponto, moldar a história que vai acontecendo com seu personagem e os NPCs ao seu redor. São piratas no espaço, com personagens que já parecem muito incríveis e um visual para lá de legal. Eu estou muito curiosa para conseguir jogar e entrar nesse mundo.

Infelizmente, ainda não tem data de lançamento. Como a produção aparentemente está levando muitos anos, apesar de termos vistos algumas coisas, é possível que ainda esperemos por mais algum tempo para finalmente jogarmos. Mas eu realmente queria que viesse logo.

3. Anthem

Sim, eu sou fiel à Bioware depois de todos esses anos. Todo mundo tem um defeito e esse é o meu. Estamos há algum tempo falando de Anthem, muitas pessoas empolgadas e outras criticando a mudança de estilo da Bioware. Anthem é um jogo que, apesar de poder ser jogado sozinho, há um grande elemento de mundo compartilhado.

Eu fiquei positivamente surpresa que a EA deu um grande espaço para a Bioware. Isso raramente acontece, mas eles parecem estar apostando muito nesse jogo. Mesmo sem romances e companions, os produtores disseram que os personagens no universo terão participações importantes para a história do jogo. Também tivemos muitas informações de como os javelins vão funcionar, além deles terem mostrado um pedaço de gameplay que pareceu bem divertido.

Todo mundo sabe que esse jogo não é exatamente o meu tipo de coisa, mas jogos da Bioware sempre ganham uma chance comigo. Sem contar que é uma franquia nova, aparentemente um mundo em que os deuses abandonaram as pessoas. Espero que, apesar dos elementos de mundo compartilhado, possamos ter uma boa experiência de história. Ao que tudo indica, o jogo será lançado ano que vem.

2. Kingdom Hearts 3

Meu coração ficou feliz em ver tantos vídeos sobre Kingdom Hearts. Eu estou desde 2005 esperando essa continuação. Sim, eu sei que tem vários jogos da franquia para outras plataformas, inclusive o Birth by Sleep que é fundamental para entender a história, mas o fandom todo está querendo ver o que vai acontecer nesse próximo título.

Ao que parece Kingdom Hearts 3 vai pegar elementos importantes do que aconteceu no Kingdom Hearts 2 e também não esquecendo as revelações de Birth by Sleep. Vimos a organização XIII, universos novos como Frozen e Tangled, e personagens que todos amamos. E sim, eu quero dizer que a Aqua foi injustiçada e eu não aceito isso!

Acredito que, mesmo com uma história bagunçada, o jogo continuará sendo divertido e talvez até conclua a franquia de certa forma, pelo menos nos elementos principais do enredo. Pelo menos faria sentido, considerando os elementos que foram apresentados nesses vídeos. Mas quem sabe? Se podemos confiar no anuncio, o jogo sai dia 29 de janeiro de 2019.

1. Assassin’s Creed: Odyssey

Nunca na minha vida eu achei que, em uma lista de jogos que mais gostei na E3, Assassin’s Creed estaria no primeiro lugar. Parece que eu estou em um universo paralelo. Eu pedi um jogo de RPG, em que eu pudesse jogar com uma mulher, moldar a minha história e fazer romances. Quem me deu isso? A Ubisoft. Em que mundo estamos?

Assassin’s Creed: Odyssey é o novo título da franquia, mas ao que tudo indica eles pretendem se reinventar. O que é ótimo, porque faz muitos anos que Assassin’s Creed é só mais do mesmo, e olha que eu gosto de Syndicate. Mas esse de fato vai ser uma experiência singleplayer de RPG, que vai focar em personagem, história e em relações do protagonista com os NPCs. E sim, você vai poder pegar quem quiser independente do gênero.

Todas as novidades que falam desse jogo só me deixam mais empolgada, é o meu número. Além de tudo, eu gosto da temática de Grécia Antiga, então só vem, Ubisoft. Felizmente esse jogo já tem data de lançamento e não está longe: 5 de outubro.