Apex Legends acabou de lançar e está sendo assunto entre os gamers. Não é para menos, o jogo promete ser um grande rival de Fortnite e PUGB, alguns dos jogos mais populares atualmente. Misturando o sistema de Battle Royale, a escolha de heróis de jogos como Overwatch e LoL, junto com a estética de Boderlands, Apex Legends já teve 10 milhões de jogadores em três dias.

Isso por si só já é algo que está atraindo a atenção de muitas pessoas, mas o jogo tem outra característica que o coloca em destaque. Por enquanto, temos oito heróis para escolher durante o jogo. Uma partida tem 60 pessoas que são divididas em grupos de três.

De oito heróis, apenas um é um homem branco dentro do padrão (ou pelo menos até onde a gente sabe). Entre os outros temos mulheres, duas delas são negras, um personagem não binário, além de um personagem negro e gay.

Gibraltar, também conhecido como Fortaleza Blindada, aprendeu a importância de proteger as pessoas depois de um acidente com seus pais, de acordo com a descrição. No site oficial, é dito que o acidente começou quando ele e seu namorado pegaram uma moto dos pais sem autorização. De acordo com a Respawn Entertainment, a desenvolvedora de Apex Legends, o personagem é gay, então já começamos o jogo com um personagem negro confirmado homossexual.

Além disso, a Respawn também confirmou que Bloodhound é um personagem não-binário. Bloodhound é conhecide como rastreadore tecnológica. Apesar de ser uma personagem misteriosa, com poucas informações liberadas por enquanto, é um dos participantes dos jogos Apex mais respeitados no universo do game.

Tirando Caustic, que é um personagem homem branco, e Pathfinder, que é um robô comum nesses tipos de jogos, os outros personagens todos são minorias de alguma forma: Mirage, Lifeline, Bangalore e Wraith. Todos com características e histórias diferentes.

Não é preciso dizer que parte da comunidade gamer está incomodada, mas não são eles que eu quero que sejam o foco desse texto. E sim falar de como é muito bacana ver um jogo online, no estilo Battle Royale, abrir espaço para personagens que estão fora do padrão de alguma forma. Até se pensarmos entre os jogos online de maneira geral, Apex Legends se destaca. Mesmo Overwatch, por exemplo, que é um jogo bem diverso em vários aspectos, não tem a maioria de personagens fora do padrão como é o caso de Apex Legends.

Em jogos online, é normal que a história dos personagens e do universo fique para as mídias secundárias, como quadrinhos e vídeos. Não sabemos ainda como será isso para Apex Legends, ou se vai ter alguma coisa, mas o jogo já foi lançado anunciando dois de seus personagens LGBTQ+. Onde outros jogos esperam para fazer essas revelações depois de algum tempo, Apex Legends fez de uma vez, o que faz muitos jogadores terem mais vontade de jogar, já que se sentirão mais representados.

Ainda não tive a chance de testar Apex Legends, mas o jogo já conquistou meu interesse e pretendo testar em breve. O jogo está disponível de graça na Origin, com seis dos oito personagens iniciais disponíveis.