Com a adaptação para cinema de Com Amor, Simon, o livro ficou mais popular e foi lançado pela Intrínseca aqui no Brasil. A editora nos mandou uma cópia do livro e agora eu vou comentar um pouco do que achei.

Essa resenha não terá spoilers, então pode ler em paz.

Escrito por Becky Albertalli, a obra teve sua primeira edição lançada em 2015. O livro conta a história de Simon, um adolescente gay que está trocando emails com um outro rapaz chamando Blue. Simon, assim como nós que estamos lendo, sabemos que é Blue. A única informação é que ele é um dos alunos na escola de Simon, também é um rapaz que gosta de rapazes e os dois estão se dando muito bem.

Um dia, Martin, um dos colegas de sala de Simon, encontra os emails que ele anda trocando com Blue e printa as páginas. Com esses emails, ele chantageia Simon dizendo que quer se aproximar de Abby, uma das melhores amigas do protagonista. Caso Simon não o ajude, Martin vai espalhar os prints para todas as pessoas da escola, expondo-o junto com a sua sexualidade.

Sim, hoje existe todo um movimento de pessoas que buscam fazer com que pessoas LGBTQ+, principalmente adolescentes, se sintam acolhidos e tenham orgulho de terem uma sexualidade considerada fora do padrão. Mas todo mundo que foi um adolescente LGBTQ+ sabe que é assustador a ideia de ser chutado para fora do armário, mesmo que os amigos ao seu redor sejam compreensíveis. Bullying na escola já é algo recorrente, com um aluno gay a situação é muito melhor. Lembro dos meus tempos de escola, um garoto que os outros achavam que era gay já era alvo de bullying, então é óbvio que Simon não gostaria que seu segredo fosse revelado. Sem contar que sair do armário ou não é uma decisão pessoal que só compete, nesse caso, ao Simon, não à ninguém.

Enfim, é assim que o livro começa. Apesar desse conflito inicial, é uma leitura muito agradável e leve. A história é escrita em primeira pessoa, o que para mim, pessoalmente, é sempre um motivo para eu ficar menos empolgada com a história. Porém, Simon é um narrador interessante, o jeito que a autora escreve o ponto de vista do protagonista não é cansativo, é fluido e gostoso de ler. Mesmo eu, que não sou lá fã desse tipo de young adult, me diverti com a leitura, mesmo tendo demorado algum tempo. Para quem é fã do estilo, vai ser uma experiência ainda melhor.

O livro tem algumas barrigas em certos momentos que me entediaram um pouco, mas com menos frequência com a qual eu tinha vontade de ler. Outro detalhe, que eu sei que é bem comum nesse tipo de livro, mas sempre me incomoda um pouco, são as trocas de email. Eu acho que, nesse caso, era bem importante que víssemos Simon e Blue conversando, ao invés de Simon contar o que ele leu para o leitor. Mas algumas sequências de páginas e páginas de emails sobre Oreo podem testar um pouco a paciência.

Um dos problemas com alguns autores de livros em primeira pessoa é o foco quase total no protagonista. Óbvio que é um estilo, mas muitas vezes isso dá margem para que os coadjuvantes sejam completamente rasos e esquecíveis. Em Com Amor, Simon, boa parte deles têm chance de ser mais do que um estereótipo ou um coadjuvante desinteressante. As coisas acontecem ao redor de Simon, não só por causa dele, e isso é legal para mostrar como o universo funciona além do protagonista.

Literatura com personagens, principalmente protagonistas, LGBTQ+ é extremamente importante. Com Amor, Simon não é uma grande tragédia, muito comum nessas histórias, construindo o estereótipo de que pessoas fora do padrão nunca conseguem ser felizes. Simon não é apenas o “menino gay”, vários elementos de seu romance podem ser encontrados em outras histórias consideradas padrão. Nós precisamos disso, para que as pessoas passem a aceitar e compreender mais quem não está na caixa da heteronormatividade.

Vários questionamentos de Simon são muito fáceis de se relacionar. Como é um livro escrito para jovens, é muito bem ver esse tipo de mensagem sobre tolerância, amor e empatia ser passada adiante, com um romance de adolescente que pode acontecer com qualquer um de nós.

Eu não sou fã do gênero do livro, e mesmo com algumas barrigas, acho que é uma leitura muito divertida e que vale seu tempo. Caso você tenha se interessado, pode comprar o livro aqui!