Esse é um daqueles ships que eu não shipo, na verdade. O texto dessa semana é para tentar entender o que raios está acontecendo nessa série. Esta semana eu postei uma crítica da série, elogiando vários pontos. Porém, se eu tivesse que falar um ponto negativo, seria esse ship que saiu… Não sei da onde.

Para quem não sabe, La Casa de Papel é uma série espanhola que fala sobre um assalto à Casa da Moeda. Um grupo de assaltantes invade o lugar para roubar uma quantidade absurda de euros. Há alguns reféns, mas todos eles precisam ser mantidos vivos. Entre eles está Monica, uma das trabalhadoras da Casa da Moeda. Já Denver é um dos assaltantes.

Como sempre, esse texto terá spoilers.

Apesar de ter que manter os reféns vivos, Berlin manda Denver matar Monica. Ele a leva para um banheiro e aponta a arma para ela, mas Denver não é um assassino, então ele não consegue. Para resolver a questão, eles combinam que ele vai dar um tiro na perna de Monica, para ter sangue e Berlin acreditar que o trabalho foi feito.

Denver resolve esconder Monica em um dos cofres que ninguém visita. Ele e seu pai, Moscou, são as únicas pessoas que podem ter contato com Monica. Caso outras pessoas descubram, Berlin pode ficar sabendo e eles terão problemas. Denver cuida dos ferimentos dela, conversa com ela e, eventualmente, começam um relacionamento amoroso.

Tá, vamos voltar no tempo um pouquinho. Nós somos apresentados à Monica quando ela descobre que está grávida de Arturo, seu chefe com quem ela tem um caso. Arturo não podia se importar menos que ela está grávida. Quando o assalto acontece, Monica pede para o grupo que comprem para ela uma pílula abortiva.

Denver é a pessoa que entrega os remédios pedidos pelos reféns, mas ele não dá a pílula para Monica. Ao invés de entregar a pílula e deixar Monica decidir o que quer da vida, ainda mais considerando que aborto é permitido na Espanha, ele dá o maior sermão nela. Denver diz que a criança não tem nada a ver com aquilo, que ela não podia abortar e que era uma ideia ruim. Quem esse cara pensa que é para dizer qualquer coisa? Ele nem era conhecido de Monica, ele a estava prendendo durante um assalto!

Depois disso, temos todo o momento em que Berlin manda Monica ser morta e Denver a salva. Durante os momentos em que ele cuida dela, eles vão se aproximando porque… Não sei? Eu até entendo que eles tenham tempo para conversar, mas eu já falei que Monica está sendo presa dentro de seu trabalho por Denver e os outros assaltantes? Por que a personagem teria qualquer interesse nesse cara?

Eles ficam juntos, incluindo uma cena em que Arturo os encontram fazendo sexo. Os dois homens até chegam a brigar, no melhor estilo “vamos ver quem é melhor para ela”. Resposta: Nenhum dos dois. Arturo é péssimo, egoísta e só se importa com os outros quando é conveniente. Eu até acho Denver um personagem interessante, e adoro a relação dele com Moscou, mas o que ele fez com Monica é completamente sem noção alguma.

A série coloca os dois como o “casal certo e apaixonado”, em contraponto ao relacionamento que Monica tinha com Arturo. O problema é que La Casa de Papel parece esquecer a situação em que eles estão. Não é nem só porque os personagens são ruins uns com os outros, é que eu realmente não consigo entender da onde a personagem de Monica podia ter esse interesse.

Como eu falei na minha crítica, a série não terminou, e pode ser que esse arco ainda tenha uma reviravolta interessante. Talvez La Casa de Papel queira discutir alguma coisa relacionada à Síndrome de Estocolmo, ou algo parecido. Mas eu honestamente não estou otimista. A maioria das decisões tomadas pelo roteiro em relação a Monica me parecem ruins e sem noção. Posso estar errada, e aí a gente conversa depois, mas por enquanto me parece um ship muito estranho para receber tanto destaque romântico.