A nova versão de She-Ra já estreou na Netflix e não tem como não amar! Tendo como showrunner Noelle Stevenson, a primeira temporada dessa nova geração de She-Ra tem 13 episódios e vale muito a pena ser conferido. A animação é tudo de bom. Inclusive para o nosso assunto preferido. Isso mesmo, ships. Apesar de eu shipar muita coisa, inclusive envolvendo os mesmos personagens, Felidora conquistou meu coração. Não dá pra negar a conexão entre Adora e Felina, então vamos falar sobre isso hoje.

Este texto tem SPOILERS de She-Ra!

Adora é a protagonista, a escolhida que carregará seu papel como She-Ra para salvar o reino de Etéria. Ela é uma jovem que trabalhava para a Horda, sob o comando de Hordak. Quando sai da Zona do Medo, percebe como a rebelião contra a qual lutava, na verdade está tentando salvar Etéria da Horda, então Adora resolve largar a vida que conhecia. O que é um baque para a Horda, já que ela era uma das novas capitãs, a soldada jovem mais qualificada entre eles.

Felina (Catra em inglês) também é da Horda, mas ao contrário de Adora, ela não é tão bem vista pelas pessoas de lá. Mais solitária, fingindo que não se importa em sempre levar a culpa de tudo, Felina praticamente só se relaciona com Adora no começo da temporada, a única pessoa que não a julga. Quando Adora larga tudo e se junta a rebelião, Felina pega seu lugar como capitã e fica muito magoada de ser deixada para trás.

Enquanto Adora usa seu novo papel como She-Ra para unir as princesas, fortalecendo a rebelião contra a Horda, Felina faz de sua missão ir atrás dela. Sombria quer que Felina a traga de volta a qualquer custo, mas aos poucos essa opção vai ficando cada vez menos viável.

Em todas as cenas das duas, existe aquela tensão de que elas já foram amigas. E não eram apenas amigas, eram melhores amigas. Em um dos últimos episódios, vemos como Felina levava a culpa de tudo. Mesmo quando Adora cometia um erro, era Felina que era culpada por ser uma “má influência”. Mas elas se davam muito bem. Enquanto Adora era colocada como a melhor em tudo, sem perceber o quanto Felina sofria, a própria Felina tentava segurar a onda e fingir que nada importava. Até que descobrimos que sim, importa. Ela ficava triste de nunca receber destaque, das pessoas ficarem contra ela, de nunca ser reconhecida e, depois de tudo, ser largada sozinha na Horda. A única pessoa que falava com ela como qualquer outra era Adora.

Adora passa parte da animação acreditando que pode trazer Felina para seu lado. Até os hologramas dos primeiros insistem que Adora precisa “desapegar” das suas ligações, incluindo Felina. Dá a entender que ela poderia largá-la, mas como decidiu não abrir mão de Cintilante e Arqueiro (Glimmer e Bow), é possível que em uma próxima temporada, vejamos que ela ainda acredita no potencial de Felina.

Além de toda a tensão “pessoas de lados diferentes”, elas serem grandes amigas ajuda a construir o clima todo. Ainda mais no episódio do baile das princesas, que elas têm momentos para passarem juntas, além de dançarem durante uma das músicas, um momento digno de qualquer fanfic que se preze (e eu digo isso como um elogio).

Noelle Stevenson, além de ser LGBT+, já escreveu histórias com personagens fora do padrão heteronormatizo, então esse ship é um que realmente existe uma chance de acontecer. Por mais que exista um episódio em que elas param para conversar, Adora e Felina ainda possuem muitos problemas não resolvidos. Sem contar que Felina tem uma relação abusiva com a Horda, não me surpreenderia nada que no futuro ela tivesse a chance de perceber isso. Não é porque a Horda deu uma casa para elas que pode maltratá-las, como Adora já percebeu.

Também não é incomum em animações como essas que um dos vilões ganhe um arco de redenção. A primeira temporada de She-Ra aproveitou um bom tempo para mostrar o lado de Adora e também da Felina. Por mais que no final dê a entender que Felina preferiu o lado da Horda, pelo menos no final ela está lutando a todo o custo para impedir She-Ra, eu acredito que os momentos feitos para humanizá-la não foram em vão.

Sem contar as interações com Adora, a construção toda do ship. Elas eram melhores amigas, agora estão brigadas, mas sentem muito a falta uma da outra. Felina diz que não, mas isso não é verdade e dá para perceber a dor dela. O episódio do baile e que as duas ficam presas juntas mostram bem isso. É uma relação complicada, mas considerando tudo que está acontecendo ao redor delas, é compreensível. A Felina só precisa entender o mal que a Horda faz.

Felidora é o ship que eu mais amo em She-Ra, por mais que goste de muitos outros, e vou defendê-lo.