Que comece a maratona de textos de Assassin’s Creed Odyssey! Ainda não terminei o jogo, porém já consegui fazer alguns arcos da história, incluindo alguns romances, que já dá para falar um pouco.

Os romances de Assassin’s Creed Odyssey são mais pegar os personagens do que um arco romântico em si como a Bioware faz, pelo menos a maioria. Mas há um ou outro que desenvolve melhor o relacionamento entre os personagens, na medida que o jogo permite. Entre eles, temos o romance com a personagem Roxana, que virou o meu favorito.

Você pode sim fazer o romance com ela com o Alexios também, mas no caso eu joguei com a Kassandra, então vou falar dela. O texto tem spoilers do arco de personagem da Roxana, que são sidequests. Da história principal em si não vou dizer nada.

Lá pela metade do jogo, você tem nível o suficiente para ir para uma ilha chamada Hydrea, território de Esparta. Lá tem uma sidequest que te faz conhecer Roxana, uma guerreira que está treinando para uma grande batalha, conhecida como a Batalha de 100 Mãos. Basicamente é um Battle Royale da Grécia Antiga, onde cinquenta competidores entram e apenas um sai vivo.

Roxana está frustrada, porque a maioria das pessoas da ilha não consegue acompanhá-la no treinamento. Mas Kassandra chega em seu cavalo branco (no meu caso, um unicórnio. Sim, eu tenho uma skin de unicórnio para o cavalo, me deixa) e se oferece para treinar junto com ela. Primeiro um combate direto, depois um treino de arco e flecha e no final uma corrida.

Ao longo do tempo em que passam juntas, aparece várias opções de diálogo de romance, então Kassandra tem a chance de flertar com Roxana, que responde aos flertes. Kassandra não sabia do torneio, mas fica interessada em poder participar também, afinal de contas, sobreviver à Batalha é uma grande honra. Sem contar que, para entrar na Batalha, é preciso treinar com outra pessoa que também entrará na Batalha, para que os dois possam atestar a capacidade e competência um do outro para Drakios, que organiza o evento.

O que mais me chama a atenção durante esses diálogos é como eles foram escritos. Na maioria dos romances que eu tinha jogado até o momento, a Kassandra só queria sair com a pessoa em sua fala. Nesse, parecia que a personagem de fato estava desenvolvendo sentimentos por Roxana, e era recíproco. O que torna tudo ainda mais intenso, considerando que elas estão passando tanto tempo juntas para potencialmente se matarem no final.

Na corrida final, o lugar de destino é em um lugar alto, de frente para o mar, bem bonito e romântico. Elas passam a noite lá, conversando sobre inúmeras coisas. As duas passam a noite juntas e de manhã é hora do adeus. Mas, como esperado, elas se deparam com o momento inevitável com lidar com o fato de que, se as duas forem para a Batalha, uma vai morrer. Com mais azar, uma vai morrer na mão da outra. Gostamos de tragédias gregas.

Kassandra começa a repensar se elas deviam fazer isso mesmo ou não, mas Roxana insiste que Kassandra pode desistir assim como ela, mas nenhuma das duas vai. Porque as duas querem a Batalha, querem o dinheiro e a glória, treinaram para isso. No caso de Roxana, ela vem treinando até a mais tempo, é o sonho dela ganhar essa disputa. Então elas preferem se despedir rápido para não sofrerem tanto.

Mas não acabou! Quando você chega na ilha de Melos, você pode conversar com Drakios para entrar na Batalha. Kassandra luta contra várias pessoas, de vez em quando se perguntando se algum corpo era o da Roxana, mas não a encontra. No final, sobram dois participantes para a Batalha final, e é exatamente isso que você está pensando: Roxana e Kassandra.

Aqui o jogador tem uma escolha. Dá para escolher continuar, matar Roxana e ganhar o torneio, ou dá para escolher aquilo que todo mundo que shipa quer: Unir forças com Roxana e derrotar Drakios, mandando a Batalha para o inferno. Com esse final, elas ficam juntas e Roxana pode até se juntar ao navio de Kassandra. Mesmo que exista a opção tragédia grega, dá para ter um final muito feliz e reconfortante.

Por isso eu gostei tanto desse romance, além de sentir que havia um envolvimento escrito ali, há algo em jogo. Roxana quer Kassandra, mas tem seu sonho de Batalha, e Kassandra ganha a vida sendo contratada para inúmeros serviços, alguns deles incluindo matar pessoas. Até agora, esse é o meu ship e romance favorito de Assassin’s Creed Odyssey.