Todo mundo já foi noob, ser gamer babaca é opção

Eu nunca me dei muito bem com jogos online. Independente de que tipo de jogo online fosse, sempre preferi manter distância. Eu não sou uma gamer try harder, sinto que me encaixo muito mais no perfil casual, sem contar que sempre joguei mais por história e personagens do que por combate, conquistas ou qualquer coisa relacionada.

Eis que, um belo dia na minha vida, surge Overwatch. Ele já conquistou meu coração por ser um jogo em primeira pessoa que não me dá dor de cabeça (só com a Tracer, às vezes). Além de toda a hype que surgiu, Overwatch tinha uma história legal de plano de fundo, com personagens que a Blizzard soube usar muito bem. Eu não vou falar da diversidade, ou como às vezes eles podem ser estereótipos, mas meu ponto é que todos são alguém, com passado, relação com outros personagens, personalidade, etc.

Acabei me rendendo ao Overwatch eventualmente. Primeiro eu joguei no PS4, mas ganhei a versão de PC de aniversário, onde a maioria dos meus amigos jogam, e devo dizer que a experiência com o jogo mudou bastante, nem sempre para o melhor lado.

Ao contrário do PS4, os jogadores de PC, e falando pelo menos da minha experiência com Overwatch, falam bem mais no chat, independente do microfone estar aberto ou não. Consequentemente, a quantidade de besteira e coisas desnecessárias que você precisa ouvir é grande.

Qualquer coisa é motivo para que um jogador que nem te conhece te xingar. Você não é permitido ter um dia ruim de jogo, não estar conseguindo fazer nada ou ao menos estar se acostumando com um personagem novo, mesmo que tenha inúmeras horas com outros. Muitos gamers se sentem no direito de serem grosseiros com você, reclamarem e até de te reportar por nada. E não, eu obviamente não estou falando de pedir pra trocar pick, mas há uma grande diferença entre falar “alguém pega um tank por favor?” para “seus bandos de [insira xingamento aqui] coloca logo um tank [insira mais xingamentos aqui]”.

Esse tipo de comportamento é exatamente o que me manteve afastada desse tipo de jogo por tanto tempo.

Eu poderia me estender aqui sobre as diferenças das quickplay e do competitivo, como que certas implicâncias com pick nem fazem sentido, sobre como o jogo é para todos (não só para você, try harder), etc. Mas eu vou me focar numa coisa que é muito mais importante, que para mim é a base de qualquer tipo de atividade em grupo: Educação e empatia.

É totalmente de graça você pensar duas vezes em como falar com uma pessoa no computador, não é só porque você não vê rosto que vale qualquer tratamento. Há uma parcela de gamers que está tão acostumada com jogos em ambientes tóxicos que nem imaginam o que é só… Jogar, sabe, para se divertir. E não há nenhum problema em você que joga para ser o melhor, com ranking e tal, mas não precisa ser grosso no processo.

O stress do jogo não é desculpa para você ser um gamer babaca, se você não sabe se controlar com algum stress, não é culpa das outras pessoas da comunidade do jogo. Ainda mais quando esse comportamento vem acompanhado de atitudes preconceituosas de qualquer tipo.

Há uma grande diferença entre dizer que vai acabar com o adversário e estuprar o adversário. Você não pode usar xingamentos xenofóbicos durante a partida. Você não precisa ser machista para dizer que o outro time é ruim, já que “só tem mulherzinha”. Isso são exemplos que eu vi perto de mim, nada que inventei da minha cabeça. Eu sempre soube, e falei, sobre a comunidade gamer ser tóxica assim, mas vivenciar isso em primeira mão com essa época de Overwatch me dá ainda mais noção de como as pessoas ainda precisam melhorar muito nesse ponto.

Perder uma partida não é desculpa para perpetuar comportamentos preconceituosos. Óbvio que ninguém nasceu desconstruído, se você começar hoje, é provável que ainda fale algumas besteiras eventualmente, mas olhar para isso e aceitar que é sarcasmo, ironia, só um jogo e inofensivo é parte do problema.

Jogos foram feitos para nos divertir, como forma de entretenimento. Claro que há várias formas disso ser feito, por isso que existem inúmeros gêneros de jogos, com características diferentes para todo o tipo de jogador. Quando nos permitimos criar esses ambientes tóxicos, com atitudes grosseiras e até preconceituosas, estamos cortando parte da diversão e tornando uma comunidade que deveria se divertir em um lugar nada acolhedor, que assusta inúmeros outros jogadores, como eu, e torna a situação toda em um ambiente menos inclusivo.

Então é, amiguinho. Eu, você, todos nós já fomos noobs um dia. Agora, ser babaca, grosseiro e ser preconceituoso é uma opção sua, que já mostra que você precisa ganhar muito xp na vida.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMáquinas
Próximo artigoQuatro razões para assistir Parks and Recreations!
Clarice França

Connect to Database. Origem: Reino do Sonhar. Campeã do Labirinto e de Kirkwall, Heroína de Ferelden, Herdeira de Andraste, Comandante Shepard, Paragade, Dovahkiin, Witcher, Dobradora de Fogo, Targaryen e Corvinal.