The Twilight Zone ganhou uma versão atualizada sob a direção de Jordan Peele. Nós já fizemos uma crítica da série, comentando um pouco sobre cada episódio, aqui. Porém, para discutir alguns temas a fundo, é preciso olhar mais atentamente para cada episódio e debater alguns spoilers.

Por isso, hoje vamos falar um pouco sobre as mensagens de masculinidade tóxica em Not All Men, o sétimo episódio do novo The Twilight Zone.

Como já avisado antes, este texto terá spoilers do episódio.

Luke Kirby and Taissa Farmiga in The Twilight Zone (2019)

A premissa de Not All Men é: Quando uma substância alienígena cai na Terra, os homens que tem algum tipo de contato com ela começam a se tornar muito agressivos. A protagonista Annie precisa sair de inúmeras situações ruins que acontecem na cidade por causa disso.

No começo, eu tive minhas dúvidas quanto ao episódio e a mensagem que ele ia passar. Há várias situações no episódio que mulheres infelizmente conhecem bem, mas não existe nenhuma substância alienígena na nossa realidade. O que existe é uma sociedade patriarcal, que alimenta masculinidade tóxica e ensina os homens a reproduzirem comportamentos nocivos para eles mesmos e para as pessoas ao seu redor. Mas tudo bem, eu dei uma chance para o episódio. Gosto muito do trabalho de Jordan Peele e acreditei que o final podia amarrar uma mensagem interessante.

Depois que Annie vê que até o marido de Martha foi afetado pela tal substância, elas começam a fugir pela cidade. Mais para o final do episódio, elas encontram Cole, filho de Martha, que quase é afetado pela situação inteira, mas de alguma forma consegue resistir. Quando eles chegam em um local seguro, Annie questiona Cole sobre o que aconteceu. Ele responde que sentiu a vontade de se render ao poder do artefato, mas que ele escolheu não fazer.

Resultado de imagem para not all men the twilight zone

O termo Not All Men, em inglês “nem todo homem”, ficou mais conhecido quando mulheres debatiam questões feministas e alguns homens (geralmente dentro do padrão) falavam “Ah, mas nem todo homem…” para se colocar como exceção, diminuindo o debate em questão. Isso acabou virando um meme para ironizar os homens que querem se colocar como exceção para se tornar o foco do debate.

Porém, nesse episódio, não acho que a ideia em si seja falar do meme, apesar de que o título certamente vai nos remeter a isso. Por isso falei no começo, acredito que o episódio não estava buscando falar só sobre mulheres lidando com uma sociedade machista, mas também, e talvez principalmente, sobre masculinidade tóxica. Falar sobre isso, ao contrário do que já vi dizerem, não é dar o protagonismo do movimento feminista para homens. É debater um tipo de sociedade que incentiva comportamentos ruins em homens, que os tornam tóxicos. Mais homens deviam falar sobre esse assunto, para a desconstrução ser cada vez mais presente.

Enquanto assistia o episódio, fiquei pensando sobre como, em situações que um homem foi machista, ou cometeu um ato horrível, nós falamos sobre isso não ser “um homem de verdade”, “moleque faz isso, homem não”, “isso não é um homem e sim um monstro” e coisas do tipo. Eu entendo da onde esses comentários surgem, porém eles, de certa forma, tiram a responsabilidade do homem sobre os atos machistas que cometem. Nós não escolhemos viver em uma sociedade patriarcal que incentiva masculinidade tóxica, mas uma vez entendem que ela existe, homens precisam se responsabilizar por seus atos e buscar a desconstrução, por isso informação e conscientização é muito importante.

Não acho que Cole no final do episódio tenha sido uma estrelinha dourada, uma prova de que “generalizar homens não adianta”, porque esse pensamento tiraria a responsabilidade dos outros personagens masculinos. É sutil, mas acredito que em Not All Men, o personagem de Cole represente o homem que entende sobre masculinidade tóxica e, por mais que tenha sido criado pela sociedade para agir de uma forma específica (que aqui é potencializado pelo item alienígena), é consciente o suficiente para agir contra isso.

Considerando que, em tese, os homens no episódio estavam descontrolados por causa do artefato alienígena, quando este é o final do episódio, ele não tira a responsabilidade dos personagens masculinos. Ao tornar a agressividade dos homens uma escolha, por mais que eles sejam mais propensos a serem atingidos, o episódio diz que eles são responsáveis por suas ações sim. E aí que está a crítica e a mensagem.

É, todo mundo sabe que não é todo o homem do planeta que toma atitudes machistas conscientes, ainda mais considerando homens fora do padrão. Mas para um homem poder ser “nem todo homem”, ele precisa escolher se desconstruir e lutar contra o que a sociedade o ensinou. Por isso eu gostei muito desse episódio, porque ele fala sobre a sociedade machista e de masculinidade tóxica, mas sem dar biscoito ou tirar a responsabilidade dos homens. Sem contar que é uma outra forma de interpretar a frase Not All Men, de uma maneira que de fato fala sobre desconstrução e não sobre exceções por si só.