Sim, nós vamos falar da festa da Pugliesi, com vários influenciadores furando a quarentena, a falta de responsabilidade e como isso afeta todos nós. Se você não sabe do que eu estou falando, vem comigo que eu explico.

Ontem, domingo, a internet ficou revoltada (com razão) com alguns influenciadores fitness, como Gabriela Pugliesi, Mari Saad, Bárbara Brunca e Mari González (sim, a ex bbb). O que aconteceu foi que, na madrugada de sábado para domingo, Pugliesi deu uma festa em sua casa para alguns amigos. A festa, ao que tudo indica, era em homenagem à Mari González, que saiu recentemente do BBB com uma boa repercussão dentro da casa. Apesar de não sabermos ainda de todos os envolvidos, fora os que apareceram em fotos, imagina-se que era um grupo considerável de pessoas, pelas fotos de muitos hambúrgueres pedidos por delivery.

Nos stories, Pugliesi chegou a postar um vídeo em que ela dizia “Foda-se a vida”, além de fotos com pessoas super próximas uma das outras e uma aglomeração nada indicada durante o período de quarentena. Nós sabemos hoje que o corona vírus é bem contagioso, não é à toa que a OMS, Organização Mundial de Saúde, está pedindo para que as pessoas fiquem de quarentena o máximo possível.

Isso por si só já é muito irresponsável, mas existe mais uma camada de problema nessa questão. Alguns dias antes do Brasil começar a adotar a quarentena, houve alguns casos de pessoas infectadas em território nacional que chamaram a atenção da mídia. Um deles foi um casamento na Bahia, com vários famosos, já que era o casamento da irmã da própria Pugliesi. Nesse evento, várias pessoas foram contaminadas pelo corona vírus, incluindo a própria influenciadora que decidiu dar uma festa neste final de semana. O casamento ficou conhecido como um dos primeiros pólos da doença no país.

Após ter Covid-19, Gabriela Pugliesi é criticada por festa e apaga ...

No dia seguinte, Pugliesi e Saad postaram stories pedindo desculpas. Porém, muitas marcas que tinham parceria com as influenciadoras, pressionadas pelo público, cancelaram seus contratos, como a LivUp!, uma marca de comida saudável. Não era de se surpreender que muitas marcas cortassem conexão com elas, não só pela repercussão negativa, mas porque estamos falando de saúde das pessoas, de um vírus que está matando cada vez mais pessoas em todo o mundo. Já Mari González está quieta até agora e não se pronunciou sobre o assunto.

Outra coisa que chamou a atenção foi um dos stories de Bárbara Brunca, que justificou a reunião entre amigos e disse que pessoas que saem para comprar pão não tem moral para falar dela, porque também estão saindo de casa. Mais tarde, no mesmo dia, ela apagou essas postagens e pediu desculpas pelo comportamento.

Acho que é bem óbvio o problema nisso tudo, mas acho que é importante debater o assunto, porque está afetando a vida de inúmeras pessoas. Nós não temos números exatos dos infectados e mortos no Brasil, mas sabemos que os números só crescem e cada vez menos as pessoas estão ignorando a quarentena.

O trabalho dessas pessoas é ser influenciador digital, boa parte da renda vem de publicidade, de expor a sua vida e vender um estilo específico. No caso delas, estamos falando especificamente de influenciadoras fitness, que supostamente estão vendendo uma vida saudável. Como que pessoas que falam de vida saudável, que horas antes estavam falando sobre ficar em casa e se cuidar, se juntam em uma festa e colocam várias pessoas em risco? Porque muitos desses influenciadores ainda têm contratado pessoas para irem em suas casas prestar serviços. Nós sabemos que muitos ainda estão fazendo procedimentos estéticos ou mantendo os empregados domésticos em trabalhos presenciais diários. Sem contar que podem colocar os trabalhadores de delivery em risco também.

Curada da Covid-19, Gabriela Pugliesi faz festa durante quarentena ...

Isso vai completamente contra a saúde. Porque cuidar da saúde e do corpo é muito mais do que ter um corpo dentro do padrão, mas elas parecem não entender isso. A própria Pugliesi já postou muito conteúdo que incentivava transtornos alimentares, para que as pessoas se encaixem em padrões de corpos absurdos. Isso não é saúde, é o culto a um tipo de corpo aceito pela sociedade e que é muito danoso. É até irônico que justo Pugliesi seja o foco disso, até mostra a hipocrisia que muitas pessoas dentro desse meio têm.

Além disso, independente da área, essas pessoas são influenciadores. Elas influenciam outras pessoas, tanto que ganham muito com publicidade. Quando se têm essa exposição e esse alcance, é preciso ter responsabilidade. Precisa ter noção de não incentivar um comportamento que, literalmente, pode custar a vida de pessoas. No caso de Pugliesi, já custou, pessoas infectadas no casamento da irmã dela, que não tinham o mesmo acesso à saúde que ela, já morreram por conta do corona vírus. Se os seguidores delas assistem isso, podem achar que tudo bem se reunir com amigos e isso pode ter consequências muito graves.

A uma delas falar que é a mesma coisa que sair para comprar pão é ainda mais absurdo. Muitas pessoas não têm a opção de ficar em casa, seja por trabalho, seja porque o delivery fica muito caro e precisam sair para comprar alimentos e mantimentos básicos. Uma mulher super privilegiada, que tem tudo na mão, querer comparar isso com necessidades diárias é de uma falta de irresponsabilidade gigantesca.

Nesses casos, é preciso mexer no bolso, então que bom que algumas marcas se posicionaram. O que nós esperamos é que elas aprendam, não repitam, lidem com as consequências e outras pessoas não sejam irresponsáveis. Porque também não adianta fazer live para manter as pessoas em casa, com uma grande equipe de produção que pode ser feita por poucas pessoas. Pessoas com influência precisam ser exemplo e todos precisam ser responsáveis. Sabe quando vemos uma história de apocalipse zumbi, e sempre nos perguntamos como tal personagem pode fazer algo tão egoísta que coloca todos em perigo? Pois é, é o que estamos vendo agora.