Carol passa o filme todo lutando contra um inimigo que apesar de ser externo, colocou suas raízes dentro dela mesma. Assim como acontece conosco, mulheres normais. Neste vídeo eu falo sobre com o filme da Capitã Marvel trabalha para quebrar a programação feminina, aquela que nós absorvemos durante toda a nossa vida, que visa nos manter subservientes, duvidando de nós mesmas e minando a nossa auto-confiança.

Sobre o Autor

Roteirista com uma tendência em transformar qualquer documentário sobre abacate em uma space-opera feminista.

Visualizar Artigos