Esta semana nós vimos a eliminação de Carla Diaz do BBB21. No paredão mais acirrado da temporada, e possivelmente dos últimos tempos, a atriz Carla Diaz foi eliminada em um paredão contra os cantores Rodolffo e Fiuk. O segundo obviamente era o coadjuvante do paredão para quem acompanha o programa, então a disputa ficou entre ela e o Rodolffo.

BBB é um jogo de julgamentos. As pessoas vivem lá dentro, escolhem alguns participantes para sair e nós decidimos quem tirar, baseado em suas atitudes. Por conta disso, as eliminações acabam sendo um termômetro do que o público valoriza ou detesta mais. Nesta edição, vimos vários participantes saindo com recorde de rejeição, passando dos 90%. Foi o caso de Nego Di, Karol Conká e Projota.

Há vários motivos que podem fazer alguém ser eliminado. Uma briga em um momento errado pode mudar completamente o paredão, e às vezes o público releva coisas que aconteceram no começo do programa. Mas há alguns fatores que acabam marcando a temporada, e esse foi o caso da narrativa de Carla Diaz.

A atriz se envolveu com Arthur, participante da pipoca e uma pessoa que o público não gosta muito. Entre muitos dos motivos, um deles era como Arthur tratava Carla. Ele falava mal dela pelas costas, se aproximava quando era conveniente e deixou os colegas fazerem a caveira dela para o público, sem nem pensar em protegê-la. Por essas e outras, Carla foi escolhida pelo público para sair no paredão falso, ou seja, ela ficaria em um quarto separado, vendo partes das conversas dos outros participantes, e voltaria depois de alguns dias para o programa.

De volta à casa do BBB21, Carla Diaz se declara para Arthur de joelhos: 'Aceita ser meu parceiro no amor e no jogo?' | casa BBB | Gshow

Porém, ao contrário do que o que o público queria, Carla não viu Arthur falando mal dela. Outros participantes falaram, mas ela não viu falas ruins do Arthur. Quando ela voltou para a casa do BBB, ela se ajoelhou na frente dele se declarando, apenas reforçando que continuava do lado dele, e o público não gostou nem um pouco. O que é compreensível, além de ser um casal chato de acompanhar, Carla obviamente estava mais interessada no relacionamento do que Arthur.

Depois disso eles ainda tiveram vários conflitos, que fizeram as pessoas se questionarem por que Carla continuava com ele. E a resposta não é difícil: Carla estava apaixonada e isso a cegou, como acontece com muitos de nós. Não é um crime, mas pode ser um motivo para alguém sair do BBB, afinal de contas, nós estamos aqui para julgar. Carla tinha outros elementos que incomodavam o público, então não era uma das favoritas. Ela era chamada de “trouxa” e “sonsa” em vários momentos.

Isso por si só já mostra como encaramos alguém nessa situação. Era muito fácil apontar o dedo para Carla e julgá-la por não ver o que achávamos óbvio, ou até mesmo julgá-la pelos erros de Arthur. A maioria das cenas que ela viu na entrevista com a Ana Maria Braga foi em relação ao Arthur, e Carla falou uma verdade: Ela estava sendo julgada pelos erros dele, mas não é novidade para ninguém que a nossa sociedade é machista e julga a mulher independente dos erros serem dela ou não.

A situação fica mais complicada com o paredão em que ela saiu. Rodolffo tinha muitos motivos para ser eliminado. Primeiro, ele foi um dos participantes que destrataram Lucas lá no começo, que foi um dos argumentos que usaram para justificar a rejeição alta de outros participantes que saíram antes. Além disso, Rodolffo teve várias atitudes homofóbicas com o Gil, e foi indicado por ter feito um comentário homofóbico sobre o Fiuk usar vestido. Fiuk não é gay, isso não muda o fato de que o comentário de Rodolffo foi preconceituoso e Gil sentiu o peso da fala.

Rodolffo explica voto de brothers em Juliette no Paredão do BBB21: 'Sarah falou que iria em você' | casa BBB | Gshow

Antes do paredão, enquanto Rodolffo comentava como tinha se sentido traído, ele falou para Sarah sobre as pessoas “não terem paciência para explicar”, se colocando como o coitado da história e chamando a situação de “mimimi”. Isso sendo que quando Gil chamou a atenção dele sobre a homofobia e Rodolffo ignorou. Ninguém é obrigado a ser professor de homem de 30 anos, e o fato de ser criado em uma sociedade homofóbica não tira o dano do que foi falado.

Homofobia é crime, ser “trouxa” não, mas para o público do BBB parece que é o contrário. Sim, o paredão foi acirrado, e sim, a saída da Carla balançaria mais o jogo, mas o fato de homofobia não causar tanto repúdio é um grande problema. Isso é um reflexo da opinião da maioria dos brasileiros quanto à homofobia. Também mostra o racismo do público, que não hesitou em tirar os participantes negros com rejeição.

Nego Di teve falas machistas sim, Karol Conká fez coisas condenáveis dentro da casa e Lumena foi bifóbica. Todos eles saíram. Mas a homofobia do Rodolffo não incomoda tanto, porque vem de um participante branco. A verdade é que o preconceito não é o que move a maioria desses votos. A própria Juliette, considerada favorita, foi bifóbica mais de uma vez, mesmo depois de ter sido chamada a atenção, mas não foi criticada como Lumena.

Não é nenhuma novidade que o público do BBB expressa seu preconceito pelos paredões, mas nem por isso deveríamos ignorar o que isso significa. Pessoas brancas, principalmente homens, podem errar e justificar com “não foi por maldade”, mas o peso para minorias é sempre muito maior.

Sobre o Autor

Escritora, roteirista, poledancer nas horas vagas. Determination ♡

Visualizar Artigos