Finalmente voltamos para o foco central da série, e voltamos a pegar ritmo na jornada de Atticus para aprender a dominar magia e proteger os seus. Depois de tantas histórias paralelas, Lovecraft Country trouxe referências dos episódios anteriores em seu núcleo principal. Não concluiu todas elas, mas parece nos direcionar bem para a conclusão dessa temporada.

Diana (Jada Harris) se encontra na mira do capitão Lancaster (Mac Brandt). Quando um visitante do passado retorna para suas vidas, Atticus (Jonathan Majors) e Leti (Jurnee Smollett) tomam medidas drásticas para proteger seu futuro.

Jig-A-Bobo foi o episódio de Lovecraft Country que mais me deu medo até agora. Não é a série mais assustadora do mundo, e as cenas mais incômodas costumam envolver horror corporal. Mas esse mostra elementos bizarros que eu achei que combinaram muito, não só com o episódio em si, mas com a ideia da série de maneira geral.

A crítica não tem spoilers do episódio. Quando eu for falar de spoilers, será avisado no texto.

Lovecraft Country Review: Episódio – 'Jig-a-Bobo' | Coxinha Nerd

Eu tenho muitas dúvidas de para onde vai o arco narrativo de Atticus. Ele tem várias falhas e parece que a cada episódio nós vemos mais disso. Eu consigo ver nele uma história do homem que acha que precisa resolver tudo sozinho, mas que eventualmente vai descobrir que não é bem assim que as coisas funcionam, que todos precisam se abrir e precisam de ajuda. Não sei se é isso que Lovecraft Country pretende fazer, vamos saber nos próximos episódios.

Com esse episódio, é perceptível que o passo da temporada, como um todo, podia ser um pouco mais ágil. Eu gosto das pausas que temos para ver histórias paralelas, que aumentam o universo da série, mas agora que voltamos para o enredo principal dá para perceber que essa pausa deixou a história mais lenta do que ela poderia ser.

De qualquer forma, mesmo que os dois últimos episódios tenham se distanciado do núcleo principal, eles ainda afetam as escolhas das personagens e o universo ao redor delas. Diana não sabe o que aconteceu com sua mãe, toda a viagem que ela fez no episódio passado, e Atticus não quer contar a verdade tentando protegê-la. Mas, como vimos nesse episódio, é muito difícil manter uma pessoa no escuro quando tentamos protegê-la, porque chances são que ela se ver numa situação perigosa sozinha.

Jig-a-Bobo - Review - Lovecraft Country Season 1 Episode 8

Inclusive, é durante o destaque que Diana recebe nesse episódio, que Lovecraft Country apresenta, na minha opinião, a cena mais assustadora até agora. As criaturas que seguem Diana pelo episódio são bizarras, o jeito que o corpo delas se mexem dá uma sensação de estranhamento que, mesmo com cenas durante o dia, é assustador de qualquer forma.

Talvez uma das partes mais importantes do episódio seja Atticus e Montrose, em mais uma cena que deixa a relação dos dois mais complexa, falando sobre as descobertas que Atticus descobriu no último episódio, o que inclusive responde algumas perguntas que nós tínhamos antes. E deixa toda a linha do tempo de Lovecraft Country mais complexa. Agora estamos oficialmente falando de viagem no tempo. Mas como será que isso funciona em Lovecraft Country? Em certas histórias, como Game of Thrones, a história é imutável, enquanto em Life is Strange, cada ação sua pode criar uma consequência diferente. Será que em todas as linhas do tempo Atticus encontrou o portal com Hipólita?

Quanto a Christina, ela sempre falou muito sobre o que quer, mas foram poucas as vezes que nós realmente vimos isso. Nesse episódio, nós vimos que ela está falando muito sério quando diz que quer alcançar seus objetivos. Eu não sei se eu gosto do tanto de violência que acontece na última cena dela do episódio, mas o que acontece em si nos faz entender o quão importante é o sucesso para Christina, por mais que ela não mostre emoções na frente de outras personagens.

Eu gostei bastante desse episódio, mesmo com algumas ressalvas, fiquei ainda mais empolgada para saber o que Atticus vai fazer para resolver as coisas e, mais importante, se vai dar certo, porque há chances que as coisas não funcionem.

Agora comentários com spoilers.

Lovecraft Country" Introduces Its Version of Freddy Krueger With Twin  Villains Topsy and Bopsy - Bloody Disgusting

Por mais que eu goste da briga quase visceral entre Letitia e Atticus, que os atores estão ótimos, eu fiquei confusa do por que ela aconteceu para começo de conversa. No final das contas, me pareceu muito mais uma questão dele esconder que conhecia uma kumiho do que ciúmes em si, mas eu queria que isso tivesse ficado mais evidente. Eu já estou um tanto quanto saturada de histórias em que o protagonista tem dois interesses românticos e elas brigam entre si.

Eu ainda estou apaixonada (e assustadíssima) com as crianças monstros que perseguem Diana nesse episódio. O confronto dela com os policiais é uma referência de uma realidade horrível: pessoas negras descobrem muito cedo que são alvos de policiais (e da sociedade em geral) por puro preconceito. A atriz mandou bem demais, a hora que ela decide peitar tudo, até os monstros, é ótima. Mesmo que ela não se saía tão bem, achei gratificante ver Diana tirando força da própria frustração. E a cena do trem que os monstros aparecem pela primeira vez vai me dar pesadelos para sempre.

Ando com uma coisa na cabeça depois desse episódio. Letitia disse, durante a briga, que Atticus foi o único que não morreu ainda. Será que isso significa que, seja lá qual for o plano dele, vai dar errado? Que Atticus vai morrer tentando salvar sua família e, portanto, os eventos são realmente imutáveis nessa linha do tempo? Hipólita cruzou o tempo e o espaço, será que isso vai acontecer com Atticus também e de repente teremos uma sequência no futuro, enquanto no passado ele é dado como morto? São muitas teorias e eu tô empolgada para ver o que realmente vai acontecer

Sobre o Autor

Escritora, roteirista, poledancer nas horas vagas. Determination ♡

Visualizar Artigos