Quem começa a jogar RPG geralmente tenta primeiro como jogador. Não é uma regra, mas acaba sendo mais confortável encontrar uma pessoa mais experiente, que saiba mestrar, e tentar começar jogando alguma aventura do que já mestrar de primeira.

Mas nenhum mestre de RPG nasceu sabendo a mestrar e, em algum momento, as pessoas se vêem na posição de mestres do jogo, ou ficam curiosas para saber como é jogar nessa outra função. A maioria dos RPGs hoje ainda precisam que exista uma figura de mestre.

Para quem não sabe, o mestre do RPG é aquela pessoa que guia a narrativa, monta os obstáculos da história e é responsável por NPCs. É uma maneira simples de resumir, mas já dá para perceber que o mestre tem um papel diferente de quem está na mesa como jogador.

Este ano eu tive a oportunidade de mestrar mais do que antes na minha vida “rpgística”. Por isso quis fazer este texto trazendo algumas dicas simples e rápidas para ajudar um mestre iniciante e que está com medo, ou perdido, para mestrar uma aventura.

1. Conheça o sistema

Parece algo básico, mas vale a pena ser mencionado. É algo necessário para preparar uma mesa de RPG. O jogador pode até ir para uma mesa sem saber o sistema e ir aprendendo a medida que o jogo vai passando, mas é complicado o mestre não saber ao menos o básico do sistema de RPG que vai mestrar.

Eu acredito que dominar um sistema exige jogar ele várias e várias vezes. Mesmo D&D, que foi o que de longe eu mais joguei na vida, ainda não considero que eu domino. E tudo bem, você não precisa lembrar de todas as regras de cabeça para ser um bom mestre. Mas é bom saber as regras básicas.

Dê uma lida no livro de regras antes de mestrar, ainda mais se você quiser criar uma aventura própria. Não tem como escrever uma aventura sem conhecer o sistema. Leia o RPG e entenda os pilares que fazem o sistema funcionar, isso vai facilitar a sua vida e a dos jogadores.

2. Use aventuras prontas

Eu sei que tem gente que tem problemas com aventuras prontas, mas honestamente acho que é uma das melhores formas de começar a mestrar, ainda mais para jogadores que você não conheça (ou não conheça tão bem). E honestamente? Aventuras prontas podem ser muito divertidas.

Essas aventuras são ótimas como guias para um mestre saber o que fazer, porque já elimina parte da preparação da mesa. Você não vai precisar pensar em todo o caminho da história, nem delimitar todos os inimigos que vão aparecer. Então um mestre iniciante pode se focar em outros aspectos de ser mestre.

Isso também pode dar mais confiança para novos mestres, porque guiar uma história e criá-la do começo são coisas diferentes, que exige mais do que só o processo de mestrar. O roteiro já estará pronto, o mestre só precisa apresentar as opções de caminho para os jogadores. E também ajuda com os NPCs dentro da trama, porque criar personagens também exige mais da preparação de uma mesa de RPG.

3. Prepare-se para improvisar

Mesmo com a melhor preparação do mundo ou com um roteiro de aventura pronta, chances são que você terá que improvisar em algum momento. Sempre vai ter um jogador para fazer algo que você não tinha pensado antes, seja investigar uma área que não tinha qualquer relevância ou procurar um NPC que, no planejamento, era algo muito pequeno.

Uma das graças de jogar RPG de mesa é exatamente a liberdade que o jogo te dá. Como RPG é baseado em interpretação e imaginação, inúmeras coisas podem acontecer, basta a mesa estar disposta a interpretar determinada cena.

Portanto, é muito possível que os jogadores imaginem coisas que o mestre não pensou, mas o ideal é seguir o caminho que o jogo toma. Então é, pode ser que algumas cenas apareçam que não estavam programadas antes, mas faz parte, por isso o mestre precisa exercitar a imaginação e as possibilidades dentro do cenário que está usando.

4. Tá tudo bem não saber tudo

Apesar de existir uma imagem, para algumas pessoas, de que o mestre é o grande pilar do jogo, que sabe de tudo e tem domínio de todos os pontos da aventura, isso não é verdade. O mestre é um jogador de RPG como os outros, só está fazendo uma função diferente.

Sim, o mestre sabe dos segredos da história que os jogadores não sabem, mas ninguém nasce sabendo. Por isso não tem problema ir aprendendo as coisas a medida que você vai mestrando. Da mesma forma que os jogadores melhoram em interpretar personagens a medida que jogam mais, os mestres também vão melhorando a forma de conduzir a história.

Não tenha vergonha de olhar as regras no meio da mesa, nem de dizer que não sabe alguma coisa. Se precisar, anote os pontos básicos em uma colinha para ficar mais fácil de checar (além do que precisa ser anotado mesmo, como fichas de NPC).

5. Só aprende a mestrar quem mestra

Algumas pessoas acham que é preciso todo um processo longo para começar a mestrar RPG. A questão é que isso é mentira. O que você precisa fazer para mestrar, além de ter vontade e aprender as regras, é sentar e tentar mestrar, arriscar mesmo.

Da mesma forma que você só aprende a desenhar quando desenha, e só aprende a escrever quando escreve, você também só vai aprender a mestrar quando começar a mestrar. A primeira mesa pode não ser tão boa, mas quanto mais mesas de RPG você mestrar, mais você entende e mais técnicas você vai desenvolver.

Eu sei que pode ser algo que cause receio, principalmente em um espaço em que não se conhece muito bem todos os jogadores. Mas é aquela coisa, RPG é um jogo, é para ser divertido e não uma coisa super séria. Se algo não der certo, mude e tente de novo. Mas tente!