O Halloween está chegando e, junto com o feriado de finados, temos aí alguns dias para aproveitar um descanso. Em casa, porque ainda estamos passando pela pandemia. E por isso preparamos essa lista! Quer algumas sugestões de filmes legais de terror para assistir neste final de outubro? Então segue aqui algumas dicas que vão te deixar com pesadelos.

Apesar de gostar de terror, eu tenho muito medo e me incomodo muito com gore e jumpscare. Felizmente, nos últimos tempos, andamos vendo filmes que não se baseiam tanto em torturas e sustos para construir o seu clima de tensão, então essa é a linha das sugestões que veremos abaixo. Pode ficar tranquilo, não vai ter spoiler de nenhum dos filmes citados aqui.

A Bruxa

A Bruxa: transgressor, revolucionário e incompreendido | Blog 365 Filmes

A Bruxa é um filme de 2015 em que vemos uma família que é expulsa da sua cidade natal e precisa morar perto de uma floresta não muito acolhedora. A protagonista é Thomasin, a filha mais velha do casal, já adolescente, que precisa lidar com toda a situação de perder a casa, cuidar dos irmãos e ser acusada de bruxaria pelos seus pais por não seguir o padrão que lhe é imposto.

A Bruxa é um filme de suspense muito bem construído, com algumas das cenas mais tensas e fortes acontecendo na luz do dia, o que é consideravelmente difícil de funcionar em filmes de terror. Em alguns pontos, eu acredito que A Bruxa perde um pouco do fator terror, por conta de ambientação e do distanciamento da história com o público, mas não deixa de ser um filme incômodo e que levanta questões interessantes.

De uma forma meio torta, é uma história sobre crescimento e amadurecimento do ponto de vista de Thomasin e, pessoalmente, me tocou de forma muito particular. Mesmo se perdendo no terror, A Bruxa ainda cria um clima interessante e assusta, com algumas cenas violentas. TW para sangue e violência. E se você tem medo especialmente de histórias que envolvam o imaginário do diabo e possessão, esse filme vai ser ainda mais assustador.

Babadook

Um monstro inconsciente em 'O Babadook'

Esse é um dos maiores exemplos de como um filme de terror não precisa de sustos a cada cena para ser assustador. Babadook conta a história de Amelia, uma mãe viúva que está tentando, do jeito que pode, cuidar do filho, enquanto a casa entra em uma paranoia de estarem sendo assombrados pelo monstro Babadook, que deveria ser só uma personagem de uma história infantil.

Babadook começa construindo as suas temáticas de forma sutil, para chegar na parte final do filme e desenrolar o enredo de forma intensa e assustadora. A tensão sobre o Babadook ser real ou não, e como será a sua manifestação, é constante no filme inteiro, o que faz o clima ficar tenso desde o primeiro momento que entendemos essa ameaça constante.

Outro ponto bom de ser destacado nesse filme são as atuações, que estão assustadoramente maravilhosas. Os atores conseguem passar o desespero pela tela. Não é sempre que vemos uma história de terror tratar do tema de maternidade de maneira sensível e ao mesmo tempo tão visceral, então Babadook é algo único no gênero.

Corra!

Crítica | Get Out (Corra!). A grande falha é incluir um alívio… | by Felipe Storino | Cinema & Outras Drogas | Medium

Eu sou uma grande fã de Jordan Peele, então os filmes dele também estão na lista. Corra! foi lançado em 2017 e conta a história de Chris, um homem que vai conhecer a família da namorada no interior, que ao que tudo indica será uma viagem como qualquer outra. Conhecer a família do seu parceiro pode ser assustador, ainda mais considerado que Chris é um homem negro e a família de Rose é de pessoas brancas que escondem um segredo horrível.

Corra! foi um dos melhores filme de 2017. Há um histórico de personagens negras em filmes de terror, e ele não é dos melhores nem dos mais inclusivos, como é tratado em Horror Noire lançado pela Darkside. Em um gênero que usa personagens negras de maneira tão racista, um filme que realmente olha para o racismo e o mostra como a coisa horrível e assustadora que é, faz com que Corra! seja uma experiência que vale a pena.

É um filme muito bem produzido, com um roteiro bem montado e atores que entregam atuações incríveis. O longa tem poucos sustos e a maioria das cenas mais tensas não tem nada a ver com eles. A medida que acompanhamos a aventura, ou desventura, de Chris, nós vamos ficando cada vez mais tensos e aflitos.

Hereditário

Crítica: 'Hereditário' - Jornal O Globo

Talvez esse seja o filme mais gráfico da lista (mas eu imagino que alguns vão considerar que na verdade o mais gore é o próximo). Lançado em 2018, o Hereditário mostra a história de uma família que já não tem das melhores dinâmicas, mas ela fica ainda pior quando uma tragédia acontece com uma das pessoas da casa e nenhum deles sabe lidar emocionalmente com a situação.

Por mais que Hereditário seja mais gráfico do que outros filmes indicados aqui, na minha opinião a violência geralmente serve a um propósito. Nos poucos momentos em que ela aparece pelo fator choque, não soa como um exagero em si. Não é um filme que acerta sempre, mas é um longa com um tom mais pesado, que costuma agradar os fãs do gênero.

Há muitas obras de terror que falam sobre a tensão dentro de uma dinâmica familiar. Esse é um dos pilares de séries como A Maldição da Residência Hill (que inclusive serve como sugestão aqui também). A nossa casa, nosso lar e família são, tem tese, nossas bases e pontos seguros, ou pelo menos deveriam ser. Mas nós sabemos que nem sempre é assim e Hereditário mostra que, às vezes, a família pode trazer o pior de nós.

Midsommar

Midsommar”: a brutalidade e a beleza dos rituais | by ruína acesa | Medium

Do mesmo diretor de Hereditário, Midsommar é um filme que traz muito elementos interessantes. Lançado em 2019, o longa acompanha a história de Dani, uma garota que está passando por muitos problemas em seu namoro. No meio disso ela, o namorado e seus amigos fazem uma viagem para o interior da Suécia, onde visitam uma vila com costumes bizarros.

Se tem uma coisa que pode assustar tanto quanto relações familiares, são relações amorosas que tomam um rumo não saudável. Midsommar é, acima de tudo, uma história sobre término, e quem já terminou um relacionamento turbulento sabe bem que essa experiência pode ser traumática. O sofrimento de Dani é muito crível e a atriz entrega muito no papel. A temática é muito bem trabalhada ao longo do filme e é um dos meus favoritos dessa lista.

Um elemento muito interessante de Midsommar é que quase todo o filme acontece durante o dia. Quem cria no gênero de terror sabe como gerar tensão em cenas durante o dia, ou muito iluminadas, pode ser muito difícil. O dia é o momento em que relaxamos nos filmes desse gênero, mas não em Midsommar. O filme também tem seus momentos gráficos, então fica o aviso.

Nós

Jordan Peele's 'Us' shatters box office records with $70.3 million

O meu filme favorito dessa lista, e um dos meus filmes favoritos de todos. Também dirigido por Jordan Peele, Nós conta a história de Adelaide, uma mulher que, durante a infância, passou por um trauma que marcou sua vida. Quando ela achou que já tinha superado a situação, esse trauma volta para bater na sua porta. Literalmente.

Nós trabalha com várias temáticas muito relevantes. O filme fala sobre o medo do outro, mas que esse outro não é tão diferente de nós quanto imaginamos. Também é uma crítica às estruturas da nossa sociedade, que dá muito para poucos e quase nada para a maioria, evidenciando como a nossa sociedade exige que parte seja explorada para que outros vivam com os seus luxos.

É um filme que bota o dedo na ferida, enquanto te deixa tenso e dá alguns (poucos) sustos no meio do caminho. Esse é outro filme que tem algumas das melhores atuações em filmes de terror, além de uma trilha sonora que rouba a cena em alguns momentos. Nós é aquele filme que vai te deixar tenso, assustado, mas também vai te fazer filosofar sobre o que assistiu.

Um Lugar Silencioso

Um Lugar Silencioso”: o apocalipse, aos sussurros, em casa | VEJA

Por último na lista, mas não menos importante, temos Um Lugar Silencioso. A história mistura alguns elementos de ficção científica, mostrando a vida de uma família em um futuro próximo que não é nada agradável. Nesse universo, o mundo foi invadido por criaturas assustadoras e que não enxergam, mas tem uma audição muito boa. Ou seja, qualquer barulho pode ser mortal.

Por conta disso, o filme todo se passa praticamente sem grandes barulhos ou diálogos falados, já que isso pode custar a vida de alguém. E sim, em um primeiro momento pode parecer que é um filme chato, mas Um Lugar Silencioso não tem qualquer problema em manter a história interessante. O ritmo é mais lento do que o que estamos acostumados, mas faz parte de toda a ambientação.

Imagina viver em um contexto em que você não pode fazer nenhum barulho ou você morre. Tenso, não é? Pois é, o filme também é. Há muitas circunstâncias que podem dificultar a vida dessas personagens mas, ao contrário da família de Hereditário, a família aqui tem uma dinâmica mais colaborativa para enfrentar a ameaça mundial.

Sobre o Autor

Escritora, roteirista, poledancer nas horas vagas. Determination ♡

Visualizar Artigos