A Netflix está concorrendo de várias formas ao Oscar, uma delas é com o filme História de um Casamento, que você pode ver agora mesmo no serviço de streaming. Dirigido por Noah Baumbach, acompanhamos a história de Charlie (Adam Driver) e Nicole (Scarlett Johansson) enquanto o casal está tentando se divorciar da forma mais amigável possível. A situação toda fica um pouco mais complicada quando Nicole é convencida de consultar uma advogada e a guarda do filho, Henry, se torna motivo de brigas.

O filme recebeu algumas indicações nessa temporada de premiações, entre elas a indicação para melhor roteiro original pela Writers Guild of America, a mesma indicação no BAFTA, além de melhor ator, atriz e direção de elenco. No BAFTA, o filme também ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante com a atuação de Laura Dern. Para o Oscar, que acontece neste domingo, História de um Casamento recebeu seis indicações (melhor filme, melhor ator, melhor atriz, melhor atriz coadjuvante, melhor trilha original e melhor roteiro original).

Esta crítica não terá spoilers do filme.

Resultado de imagem para história de um casamento

Acredito que a maioria das críticas concordam que o ponto alto do filme são as atuações. Adam Driver e Scarlett Johansson estão excelente em seus papéis, trazendo uma verdade para seus personagens que não é fácil de se fazer, ainda mais em um filme que, em muitos momentos, usa planos longos focados em um personagem só, ou tem cenas que podemos até considerar como longas demais. Mesmo assim, os atores principais (e os coadjuvantes também) conseguem carregar as cenas com a emoção necessária. Talvez um dos momentos mais marcantes seja uma das brigas longas do casal, que tem bastante tempo de tela, as câmeras só alternam entre mostrar os dois e mesmo assim não fica entendiante ou forçado.

Talvez esse seja o ponto do filme que eu mais goste, a verdade que tem por trás de suas cenas e falas. Os momentos de conflito entre os personagens e as discussões são intensas, porque em muitos relacionamentos longos elas acabam acontecendo. Pode parecer um pouco absurdo como as brigas escalonam no filme, mas ao mesmo tempo elas parecem orgânicas, porque é como às vezes essas coisas acontecem. Não existem planos mirabolantes para conseguir a guarda de Henry, existem uma mãe e um pai que foram casados, já se amaram, e querem fazer o divórcio acontecer da melhor forma possível. Por conta dessa ingenuidade, e até falta de experiência, eles acabem sendo levados pelo discurso de advogados que estão muito mais acostumados com divórcios problemáticos, além de quererem ganhar o caso a qualquer custo.

História de um Casamento é um filme com várias nuances, por mais que eu acredite que nem sempre todas elas funcionem tão bem. Charlie e Nicole não são vilões um do outro, talvez antagonistas, mas nenhum é um vilão que precisa se dar mal no final. Ambos cometem erros, Charlie trai Nicole, Nicole entra nas contas de Charlie sem o consentimento dele, mas ambos também tomaram atitudes pensando no bem do relacionamento deles e do filho. Eu entendo que talvez Charlie saia como o “mais errado”, porque foi Nicole que abriu mão, aparentemente, de mais sonhos para fazer as coisas dele funcionarem, mas em certos momentos do filme eu sinto que existe um ar de que ela “forçou” a mão de Charlie ao consultar uma advogada. Talvez a minha confusão seja exatamente o ponto em que o filme queria chegar, ou pode ser aquela tentativa de sempre vilanizar mais a mulher do que o homem. De qualquer forma, acho que o saldo geral dessas complexidades foi positivo, porque o final do filme é bem satisfatório.

Resultado de imagem para história de um casamento

História de um Casamento não romantiza um casal de contos de fadas, é um filme que em vários aspectos é bem pé no chão. Não é para ser feliz necessariamente, é para mostrar como relações são complexas, e como seus términos podem ser ainda mais complexos. Como brigas sobre assuntos não falados podem trazer o pior das pessoas, mesmo que elas não acreditem nos absurdos que estão sendo falando no momento da briga. Ou talvez acreditem, quem vai saber de verdade?

Por mais que os tons de cinza fiquem confusos em alguns pontos e, em certos aspectos, nós nunca vamos saber o que realmente aconteceu naquele relacionamento, é um filme que traz uma dose de honestidade. Talvez Nicole não tenha aberto mão de tantas coisas, talvez Charlie tenha se aproveitado disso. No final das contas, importa para o público saber toda a verdade? Porque para os advogados não importa muito, e também é algo que não importa para o filho, Henry não precisa ficar no meio da confusão mais do que ele já está.

Talvez, de todos os filmes que ganharam destaque nessa temporada de premiações, História de um Casamento entra em um grupo das narrativas que mostram mais honestidade, que estão dispostas a realmente dar complexidade aos seus personagens sem necessariamente se apoiar no favoritismo que um filme sobre “raiva de homem branco” teria. E, independente de qualquer coisa, é um filme que vale ser assistido.