Tim Drake, o terceiro Robin do universo Batman, é a nova representação LGBTQIAP+ dos quadrinhos da DC. No último volume, ele aceita o convite de um encontro com Bernard. Sim, um encontro romântico. Nós sabemos que a representação LGBTQIAP+ nos quadrinhos de grandes empresas ainda é pequena, então é ótimo ver essa cena. Ainda não sabemos como vai acabar esse arco de Tim, e nem se o encontro vai dar certo, mas ele já aceitou.

A roteirista Meghan Fitzmartin e a ilustradora Belén Ortega, ambas responsáveis por essa parte da história, falaram sobre o assunto no Twitter. Belén menciona que “progresso é um fato” e Meghan falou sobre o público que se identificou ser “muito amado, importante e visto”. Não falo que Tim Drake se assumiu bissexual ou pansexual porque nada foi dito ainda, mas sendo um homem que se sente atraído por outro homem, ele não é mais um personagem hétero.

Mas será que ele foi hétero em algum momento? Porque a maioria das respostas negativas à essa cena são de pessoas que dizem que ele “nunca gostou de homem” e isso foi “tirado do nada” depois de 30 anos de personagem. São argumentos ignorantes sobre sexualidade, no mínimo.

Hétero até que que se prove o contrário

DC Comics revela que Tim Drake é bisexual

Existe uma ideia na cultura pop de que, se um personagem nunca disse sua sexualidade, então ele é hétero. Isso não é dito com todas as palavras por ninguém, mas é algo aceito de maneira geral. Tanto que, quando é dito que algum personagem é LGBTQIAP+, há uma parcela dos fãs falando que a sexualidade do personagem “mudou”.

Como que algo nunca definido mudou? Ao que tudo indica, Tim Drake é bissexual/pansexual, ou outra definição que envolva atração por mais de um gênero. Nós já vimos o Robin interessado em mulheres em outros momentos de suas histórias, e agora ele está interessado por um homem. Veja que em momento nenhum foi “negado” o que aconteceu antes na história do personagem, como algumas pessoas dizem que está acontecendo. Gostar de homem não quer dizer que você só gosta de homem. Até onde a gente sabe, ele sempre gostou de mais de um gênero.

As pessoas só estão com essa impressão de que a sexualidade de Robin mudou por causa dessa ideia de que o “padrão” é hétero. A sociedade espera que todos sejam hétero, mas nem por isso um personagem sem sexualidade definida é hétero. Essa é uma ideia que precisa parar de ser normalizada, porque alimenta um sistema de heterossexualidade compulsória. Se Robin nunca falou sobre sua sexualidade, por que ele não poderia ser LGBTQIAP+ desde sempre? Caso ele se entendesse como gay, poderíamos até falar sobre o personagem ter mudado, mas existem muitas sexualidades possíveis.

O que nos leva ao próximo ponto…

Você pode se entender LGBTQIAP+ quando quiser

DC revela que um dos Robin's é bissexual e quebra a internet

Um dos argumentos contra Tim Drake ser LGBTQIAP+ é que não poderia mudar a sexualidade do personagem. Já expliquei acima que não, até agora, não existe mudança confirmada, porque Robin ter se relacionado com mulheres não o impede de ser LGBTQIAP+. Mas vamos supor que, em algum momento de seus 30 anos de história, ele tivesse dito que era hétero. Ele ser mostrando como LGBTQIAP+ seria ruim?

Não. Personagens de quadrinho mudam o tempo inteiro, todo mundo que é fã de HQs sabe disso. A maioria dos heróis que tem anos de publicação passam por mudanças dependendo da era, do escritor e das intenções das empresas com as novas publicações. Nem sempre os fãs gostam dessas modificações, e nem sempre elas são boas, mas as que falam sobre representação costumam revelar o preconceito por parte dos consumidores.

Também há outro ponto essencial nessa conversa: Não existe forma “certa” de se entender como LGBTQIAP+. Muitas pessoas entendem a própria sexualidade depois de anos, inclusive depois de 30 anos, que é o tempo de vida de Tim Drake nos quadrinhos da DC. Não há nada de errado em passar sua vida toda achando que é cis e hétero, mas depois se entender de outra forma.

Já que acontece com pessoas, por que não poderia acontecer com um personagem? Principalmente um herói de HQ, que é um meio que vive fazendo alterações nos seus personagens ao longo dos anos?

Por que o Robin só pode ser hétero?

Robin Comes Out As Bisexual In New Batman Comic

Há anos acompanhamos o universo de cultura pop, incluindo a área de quadrinhos. Não é de hoje que muitos fãs, incluindo produtores de conteúdo, se incomodam quando existe algum tipo de inclusão de minorias. Falam que personagens novos são fracos, que os antigos não podem mudar, etc. Sempre tem uma desculpa para falar mal de inclusão, tudo é diminuído como lacração.

A heterossexualidade compulsória tem um grande papel nessa percepção das pessoas, e também na manutenção do preconceito na sociedade. Nós aprendemos que somos “hétero desde que nascemos” e depois “nos descobrimos”. Que ser hétero é o “normal” e a única forma “aceitável” de ser. Por isso nós estamos acostumados a ver pessoas, e personagens, como hétero antes de qualquer coisa, e queremos “explicações” quando alguém está fora desse padrão.

Isso tudo colabora para a nossa lgbtfobia internalizada. Nem sempre ela é mascarada, alguns nem se dão ao trabalho de fingir que não são preconceituosos. Mas o discurso de “não pode mudar” é uma máscara que tenta esconder lgbtfobia em como olhamos para a sexualidade dentro da sociedade.

Quando chegamos nesse ponto da discussão, as pessoas que são contra essa representação entram no argumento de “Mas por que isso importa? Robin é um super-herói”. Importa porque pessoas LGBTQIAP+ estão em todos os lugares, não só em espaços específicos para LGBTQIAP+. Assim como personagens dessas minorias podem e devem estar em todos os tipos de história. Diversidade na ficção também é sobre personagens LGBTQIAP+ em contextos que sua sexualidade e identidade de gênero não necessariamente afetam a história. Porque a vida é assim, pessoas LGBTQIAP+ passam por coisas que não são relacionadas a isso.

Personagens LGBTQIAP+ importam em qualquer tipo de história, porque amplia a aceitação na sociedade, cria representação e ajuda com visibilidade. Talvez você não veja a importância porque isso não te afeta diretamente, por isso é preciso ouvir os criadores desses personagens e as pessoas representadas para entender. Não há nada de errado em Robin ser LGBTQIAP+ depois de 30 anos, e esperamos ver cada vez mais personagens assim nos quadrinhos.

Sobre o Autor

Escritora, roteirista, poledancer nas horas vagas. Determination ♡

Visualizar Artigos