Na semana passada, falamos sobre a última temporada de She-Ra e as Princesas do Poder, que já está disponível na Netflix. Na nossa crítica sem spoilers comentamos como o final de She-Ra atendeu, e superou, as expectativas, fazendo um excelente trabalho em encerrar essa história, que acertou em tantos aspectos ao longo de suas cinco temporadas.

Hoje vamos falar mais sobre o arco de uma personagem específica: Felina, ou Catra em inglês. Ano passado fiz um texto sobre a possibilidade de existir, ou não, redenção para a personagem de Felina. Como a temporada lançada este mês foi a última, era o momento de ter a resposta definitiva para essa reflexão. Será que Felina teria uma redenção? Ou ela continuaria o caminho como vilã e se tornando um dos grandes obstáculos para toda a rebelião de Etérea?

Esta análise de Felina tem spoilers.

She-Ra | 5º temporada terá abertura com dubladora da Felina - Suco ...

No final da quarta temporada, apesar de um final dúbio quanto ao caminho que Felina poderia seguir, eu realmente acreditei que a redenção não era o caminho que a produção de She-Ra tinha planejado para Felina. E tudo bem, por mais que eu goste de arcos de redenção, como já tinha comentado ano passado, eu acredito que a mensagem que vinha de toda a relação de Adora se afastar de Felina, por seguir o caminho “vilanesco”, era uma mensagem válida e boa de ser trazida.

Então veio a quinta temporada e mostrou que sim, Felina ainda tinha chance para redenção. E que arco! Um dos melhores da animação toda.

Depois de tanto descer na espiral ruim, Felina percebeu como isso a deixou cada vez mais sozinha, como ela tinha sido manipulada por tantas pessoas e, no processo, feito mal para tantas pessoas ao seu redor e que ela gostava. A animação não passa a mão da cabeça da personagem e não ignora tudo que ela já fez, Perfuma é muito incisiva quanto à todos os erros que Felina cometeu com Scorpia e a resistência demora algum tempo para aceitar que Felina realmente quer ajudar Adora. A própria Felina demora para entender o seu lugar ali e o que ela realmente quer, além de lidar com os seus sentimentos por Adora.

Eu entendo que, talvez, possa parecer que a redenção de Felina veio de forma agitada, mas pensando melhor sobre todas as temporadas, não é um caminho absurdo dela seguir. A cada temporada ela ia perdendo alguma coisa e nesta última ela chegou na gota d’água. Ela nunca esteve tão sozinha e, nesse ponto tão fundo, com tantas coisas em risco, que ela percebe que foi longe demais.

E meu felidora está VIVO! Obrigada Noelle Stevenson por essa benção.

Catradora | Kiss Me *Season 5 Spoilers* - YouTube

Eu vi recentemente uma declaração de Noelle sobre a construção do arco da Felina nessa última temporada, falando sobre vilãs em geral, e acho que isso nos ajuda muito a entender as decisões criativas feitas para a personagem:

“Existe algo que eu acho muito catártico nas vilãs femininas. Eu amo vilões masculinos também, eu amo todo o tipo de vilão, mas com vilãs femininas existe uma catarse sobre o seu ódio e a sua raiva. Tem um significado a mais para mim porque eu acho que quase todas as mulheres têm esse núcleo de raiva nelas que elas nunca podem expressar direito. Para algumas pessoas isso aparece, mas para outras não e isso ferve. Afeta as suas ações de formas diferentes. Eu realmente queria explorar isso porque parecia algo que muitas pessoas iriam se relacionar se fosse desconfortável…”

“Mas fazer a Felina ir bem fundo nesse caminho vilanesco, de um jeito que nós nem sempre poderíamos justificar o que ela estava fazendo, era olhar para isso e não recuar”

“É obviamente exagerado, eu nunca tentei destruir o tempo e o espaço. Mas olhar para o passado e relacionamentos em que eu me comportei mal, descontei e magoei outras pessoas, a pergunta é, o que você faz quando machuca alguém? É decisão das outras pessoas te perdoar, isso não é dado de graça, mas há formas de você consertar o que foi quebrado. Você precisa trabalhar duro para se provar novamente, você precisa consertar o que foi feito, não é tão simples quanto um sacrifício…”

“Mesmo estando junto da minha esposa, havia momentos em que parecia que o nosso relacionamento não era viável nem saudável para nós. Mas por causa da conexão que tínhamos uma com a outra, nós trabalhamos muito para chegar em um lugar que funcionasse. Isso é uma relação que eu nunca vi entre duas personagens femininas que são as protagonistas da história.”

isa• She-Ra spoilers (@MirandsGomez) | Twitter

Eu ainda quero discutir especificamente sobre como Felidora ser canon é muito relevante, mas nesse momento vamos focar na Felina. Eu acho que essas falas da Noelle mostram muito bem porque foi tão acertado esse caminho de redenção para Felina. Primeiro que, geralmente, só os vilões homens têm espaço para redenção. Muitos de nós conhecemos o arco (fantástico, inclusive) de redenção de Zuko em Avatar, também vimos o arco (escrito preguiçosamente) de redenção de Kylo Ren de Star Wars, e até vimos parte disso no arco de Jaime Lannister de Game of Thrones (mais ou menos, porque o final da série foi aquele caos que a gente sabe, mas no livro o caminho parece ser mais ou menos esse). Mas não é comum vermos uma personagem feminina ter a chance de se redimir, aprender e melhorar.  Nós sabemos bem que personagens femininas não são tratadas tão bem quanto personagens masculinos, tanto pelo público quanto pelos criadores da obra.

Felina errou muito e, como Noelle disse, é muito difícil justificar várias das ações dela, tanto que a própria Adora desiste dela em certo momento. Os vilões não precisam fazer sempre coisas que são fáceis de justificar, porque as pessoas na vida funcionam assim. Às vezes os erros não têm justificativa, às vezes passamos dos limites. Mas nem por isso significa que todas as pessoas que cometem erros estão “perdidas para sempre” no limbo de “serem ruins” a vida toda (entre aspas porque a vida é mais complexa do que preto no branco). O arco de Felina mostra isso muito bem: Ela comete erros, faz coisas ruins, consegue ir percebendo o quanto isso tudo tem sido tóxico pra ela (e o quanto ela é tóxica para os outros), resolve mudar, precisa lidar com os erros e desconfianças, conserta o que pode e prova que está do lado da resistência e de Adora de verdade. E não é algo que aparece só nessa temporada, Felina está sentindo as consequências de suas escolhas há tempos, só não tinha aceitado encará-las até agora.

Redenção na ficção não é sobre passar a mão na cabeça e esquecer os erros (ou ao menos não deveria ser), é sobre um personagem crescer encarando os seus erros e escolhendo outro caminho, algo melhor para a sua vida, que faça mais sentido. E talvez o motivo pelo qual esses arcos me toquem tanto é porque eu discuto muito questão de minorias sociais, seja na mídia ou fora dela, e se eu busco mudanças, eu também acredito na capacidade das pessoas de mudarem. Não quer dizer que todos vão mudar, nem que todo mundo precise aceitar o perdão, como Noelle mesmo disse, isso não cabe à pessoa que errou. Mas essas histórias mostram que erros acontecem, mas uma coisa que importa muito é o que nós fazemos diante desses erros.

Felina encarou o seu pior lado e escolheu melhorar, independente da aceitação dos outros. Isso concluiu um dos melhores arcos da animação. Felina é cheia de falhas, e isso é uma das coisas que a torna uma personagem tão cativante e complexa.