BBB21 tem sido um dos assuntos mais falados desde que o reality começou. E não é para menos, depois do sucesso do BBB20, e ainda passando pela quarentena, o BBB21 bateu recordes de audiência. A estreia da edição desse ano teve o maior público da história do programa. Porém, parte dessa audiência está sendo racista enquanto faz comentários sobre os participantes negros do BBB. Esse texto não é uma tentativa de justificar atitudes ruins, passar pano para ninguém, ou até mesmo criar um debate sobre ações feitas dentro da casa.

Nas últimas semanas, nós acompanhamos vários acontecimentos bem complicados dentro da casa do BBB. Entre eles bullying, gaslighting e violência psicológica. Muitos desses episódios envolveram participantes negros fazendo coisas que o público não gostou nem um pouco. E com razão. Ninguém está falando que participantes como Nego Di, Karol Conká e Projota não erraram. Mas não podemos fingir que toda essa rejeição acontece em uma bolha, e que não há racismo vindo do público.

O BBB21 já quebrou dois recordes de rejeição em eliminação. Um deles foi com Nego Di, eliminado do programa com 98.76%. O mais recente foi com Karol Conká, com 99,17% de rejeição. Antes disso, o recorde em paredão triplo (o caso dos dois) foi de Patrícia do BBB18, com 94% dos votos.

Desde antes de saírem do programa, esses participantes já recebiam ameaças aqui fora, algumas direcionadas a seus familiares, que não tinham nada a ver com o que acontecia dentro da casa. A esposa do Projota falou sobre isso, a assessoria de Karol falou dos ataques contra seu filho, que ainda é menor de idade, e o filho de Nego Di, uma criança, não pode sair para ir à escola por conta dessas ameaças. Sem contar as inúmeras mensagens abusivas que eles estão recebendo, mesmo aqueles que já saíram do programa.

BBB 21: "A Karol não tem jeito de arrumar, nem a Lumena", diz Nego Di fora da casa

Nós sabemos bem que o BBB é um reality show sobre convivência e, assim, as pessoas julgam as ações dos participantes e vão eliminá-las ou não por isso. Mas é um erro ignorar como esse julgamento é muito diferente entre os participantes. As pessoas não gostaram do Tiago Leifert falar que “o que acontece no BBB, fica no BBB”. E em parte, eu concordo que isso não é verdade, o BBB vai além do que acontece na casa, de um jeito ou de outro. Dito isso, algumas pessoas ficaram incomodadas porque querem continuar falando de Karol sem pensar que suas atitudes podem ser abusivas e preconceituosas.

Ano passado, tivemos vários participantes brancos que foram racistas com Babu e Thelma, e a maioria deles conseguiu montar uma carreira cheia de publis e contratos independente disso. Felipe Prior, um dos favoritos do ano passado, além de ter disseminado machismo na edição, também foi acusado de estupro, e na época muitas pessoas defenderam Prior e agiram como se uma acusação de estupro não fosse grave. Homens brancos costumam ganhar o benefício da dúvida mais do que pessoas negras.

No BBB19 também vimos um caso bem óbvio desses pesos diferentes. Paula von Sperling, a vencedora daquela edição, fez inúmeros comentários racistas, alguns deles inclusive de intolerância religiosa. Era uma das edições com o maior número de pessoas negras do programa, mas ainda assim ela saiu como campeã. As pessoas justificavam seus comentários como “engraçadinhos”, e ela virou essa personagem que dava “leveza para o programa”. No BBB21, houve intolerância religiosa também, dessa vez vindo de pessoas negras, e que foram muito mais pontuados que os comentários de Paula em 2019. Ela tem mais seguidores que Karol Conká e Nego Di somados (pelo menos até o dia que eu estou escrevendo este texto).

Na edição de 2017, Marcos Harter era um dos queridinhos do programa. Ele era um dos participantes com mais chances de ganhar, mas acabou sendo expulso antes da final. No caso, ele saiu do programa por agredir outra participante, Emilly Araújo, que acabou sendo a vencedora do BBB17. Os dois tinham um relacionamento dentro da casa. Marcos a agrediu verbalmente, psicologicamente e até fisicamente, com beliscões e pressionando ela contra a parede enquanto brigavam. Mesmo assim, ele saiu muito amado da casa e depois ainda participou do A Fazenda da Record, onde foi vice campeão.

EGO - Laércio - Tudo sobre famosos

Também não dá para esquecer Laércio, participante do BBB16, que foi acusado e condenado por estupro de menor. Mesmo tendo cometido um crime e sendo julgado por ele, Laércio não teve toda essa comoção contra ele nas redes sociais. Na verdade, ele foi eliminado em um paredão sem rejeição, com 54% dos votos a favor dele sair da casa.

Participantes brancos, por mais que errem, não são julgados com tanto ódio quanto participantes negros. Tanto que Rodolffo, mesmo com as suas atitudes homofóbicas no BBB21, continua tendo uma boa base de fãs aqui fora. Ontem, durante a eliminação da Karol Conká, apareceu um vídeo no Twitter de pessoas gritando “macaca” enquanto comemoravam sua vitória. Pessoas que falam sobre justiça social começaram a receber comentários comparando-os com Lumena, em uma tentativa de diminuir e deslegitimar falas que são importantes. Karol Conká foi vilanizada de uma forma que participantes brancos não são, independente do que façam.

Isso tudo vai muito além dos participantes do BBB21 estarem certos ou não. Isso é sobre o racismo da nossa sociedade, como pessoas brancas que assistem BBB estão muito confortáveis em apedrejar pessoas negras, sem parar para pensar em consequências, sem considerar o que suas ações perpetuam e tendo atitudes deploráveis. Porque sim, mandar mensagens abusivas para os participantes e suas famílias, que não têm nada a ver, não é justificável em nenhum contexto.

Dá sim para criticarmos ações de pessoas negras sem sermos racistas no processo. Dá para discutirmos assuntos importantes que acontecem no BBB sem perseguir a pessoa depois do programa. Não gostou das ações do participante? Está no seu direito, e tem muita coisa para não gostar no BBB21. Mas o melhor para fazer é não consumir conteúdo da pessoa e nem dar palco para ela. Nada justifica mandar mensagens preconceituosas para os participantes, nada justifica ameaçar os familiares deles e nada justifica o seu racismo, não importa o que eles fizeram no reality.

Sobre o Autor

Escritora, roteirista, poledancer nas horas vagas. Determination ♡

Visualizar Artigos