Nos últimos dias, a Wizards of the Coast anunciou algumas novidades de sua nova coleção: Theros, Além da Morte. O pré-lançamento está marcado para o meio de janeiro e a empresa já começou a mostrar algumas cartas que farão parte da coleção.

Nós já sabíamos que a próxima coleção estava chegando, mas as pessoas entraram no hype definitivo com o trailer oficial durante o Game Awards de 2019. Você pode assistir ao trailer, que mostra os plannerswalkers Elspeth e Ashiok, no link abaixo:

A coleção é bem diferente do último lançamento que tivemos, o Trono de Eldraine, uma coleção muito mais alegre e com cartas baseadas em contos de fadas.

Vamos falar um pouco do que já sabemos dessa nova coleção.

1. O que é Theros?

Resultado de imagem para theros beyond death magic

Theros é um plano que já conhecemos em Magic, baseado em simbologias da Grécia Antiga, incluindo o imaginário da mitologia grega. O plano é comandado pelos deuses de Nyx, onde os heróis enfrentam um ambiente hostil e várias criaturas mágicas e perigosas. É um lugar onde os personagens humanos têm que enfrentar as forças da natureza ao seu redor e as criaturas que também vivem lá para poderem sobreviver.

A Theros que conhecemos possui muitas criaturas fantásticas, como sereias, minotauros, górgonas, dragões, etc. Ao contrário de alguns outros planos, são muitas as formas fantásticas que vivem lá.

Em resumo, o lugar é dividido em três partes principais.

A primeira é o mundo dos vivos, onde os humanos convivem com esse ambiente fantástico. A segunda é Nyx, o reino estrelado, um plano associado com sonhos e subconsciente, que é muito ligado às divindades do plano. Por isso, quando humanos sonham, é entendido como um presente dos deuses, além de existir ditados em Theros sobre alguém estar “visitando Nyx” quando está sonhando. Também existe o Submundo, um lugar abaixo de Theros para onde os mortos vão, comandado pelo deus Erebos. Os mortos ficam na região do Submundo de acordo com a vida que levaram. Eles podem ficar em Phylias, um lugar tedioso dos que não eram inspiradores, Ilysia, uma região protegida e tranquila, ou Tizerus, uma região fora do palácio de Erebos.

Existe também os Rios que Circundam o Mundo, que são cinco rios que dividem o Theros de seu Submundo.

Theros é um plano cheio de história e detalhes, o que faz sentido levando em consideração que é inspirado na Grécia Antiga e sua mitologia. Nós já conhecemos algumas coisas do plano porque já tivemos uma coleção em Theros. A expansão Theros era a primeira do bloco desse plano, a 62ª de Magic que foi lançada em setembro de 2013, sendo considerada uma expansão grande.

2. Novas Mecânicas: Escapatória

Como costuma acontecer, essa nova coleção traz algumas mecânicas diferentes para o jogo que valem a pena conhecermos, principalmente se você pretende jogar o pré-lançamento da coleção.

Como estamos na coleção Theros, Além da Morte, não é surpreendente que tenhamos uma nova mecânica que lide com cartas que vão para o cemitério. Se uma carta possui a mecânica escapatória, significa que ela pode ser conjurada pelo valor dessa mecânica para sair do cemitério e voltar para o campo. Elas não perdem suas propriedades, então uma mágica instantânea pode ser usada a qualquer momento do cemitério se ela tiver escapatória. E o melhor: Essa mecânica pode ser usada várias vezes durante o jogo.

Exemplo:

Sabujo Raivoso do Submundo

Eu posso invocar o Sabujo com duas manas, uma delas vermelha. Depois que a carta morre, ela pode ser conjurada de novo se eu pagar quatro manas, uma delas vermelha, e exilar três cartas do meu cemitério. Além disso, nesse caso, ela volta com um marcador.

3. Novas Mecânicas: Devoção

A mecânica de devoção já existia em Magic, mas não vinha em cartas de outros planos, por isso ela está de volta. Todos os deuses querem ser amados e louvados, a mitologia grega tá aí para provar que isso é importante, assim como Deuses Americanos de Neil Gaiman.

Devoção à uma cor é o quanto de permanentes você controla com o símbolo específico daquela mana. Ou seja, se eu tenho duas criaturas e cada uma delas tem um símbolo de mana branca, eu tenho dois de devoção para mana branca. As incolores não contam.

Exemplo:

Daxos, Abençoado pelo Sol

Daxos é um semideus e também quer receber devoção. Na habilidade específica dessa carta, o número de devoção de branco é a defesa dele. Só por controlar ele, eu já tenho dois de devoção ao branco (ele possui dois símbolos de mana branca). Se eu tiver, digamos, um encantamento em campo que tenha mais duas manas brancas, minha devoção sobre para quatro. Ou seja, nesse cenário hipotético, ele subiria de 2/2 para 2/4.

4. Novas Mecânicas: Constelação

Como mencionado antes, Nyx, o reino estrelado, é uma parte importante de Theros e por isso existe uma mecânica para homenagear essa parte do plano. As constelações servem como um encantamento das estrelas para o jogador.

Por tentar simbolizar uma dádiva, um bônus mesmo, a mecânica de constelação não é específica, como escapatória que funciona de um jeito pré estabelecido. A constelação é uma habilidade a mais, que funciona como um encantamento e será ativada sempre que cumprir os requisitos da carta.

Exemplo:

Campeã Setessana

Campeã Setessana é uma criatura, mas por conta de sua habilidade constelação, acaba tendo um efeito encantamento. Nesse caso, a cada encantamento usado pelo jogador que controla esta carta, a Campeã Setessana ganha um marcador e o jogador pode comprar uma carta. Se esta criatura for destruída, o efeito da constelação vai embora junto.

5. Nova Mecânicas: Sagas

O que não falta na mitologia grega são sagas épicas, com heróis e lutas. Theros não seria diferente. A mecânica apareceu pela primeira vez em Dominária.

Sagas são encantamentos. Cada uma tem um número específico de capítulos e cada uma delas tem uma habilidade. Em cada rodada, depois da etapa de compra do jogador, um capítulo da saga acontece e depois o jogador pode sacrificar a carta, sendo que o primeiro vai acontecer no turno em que a carta entrar em campo.

Exemplo:

Assim que essa carta entrar em campo, o jogador ganha o controle da criatura alvo e só o perderá quando o encantamento for sacrificado (ou seja, nesse caso, por três turnos). No segundo capítulo, as criaturas de seus oponentes atacam se estiverem aptas. Na última etapa, cada criatura virada causa a si mesma um dano igual ao próprio poder, que é o custo de mana. Ou seja, uma habilidade que conversa diretamente com o capítulo 2.

6. As cartas até agora

Você pode ver todas as cartas novas que já foram anunciadas de Theros no site oficial da Wizards. No entanto, algumas delas são dignas de nota.

As primeiras são esses terrenos maravilhosos. Sério, olha para eles:

PlanícieIlhaPântanoMontanha

 

Floresta

A maioria das cartas reveladas até agora são de mana branca, incluindo Daxos, que usamos de exemplo antes para falar de devoção. Mas também temos Elspeth, uma plannerswalker que apareceu durante o trailer de lançamento da coleção:

Elspeth, Nêmese do Sol

Elspeth, Nêmese do Sol

Elspeth, Heroína Inabalável

Elspeth é uma plannerswalker focada em mana branca. Ela vem de um plano destruído pela guerra e, por conta disso, se foca em aprender magias que possam defender comunidades e fortalezas (que tem tudo a ver com suas habilidades na carta). O sonho dela é poder descansar a sua espada, mas ela sempre acaba caindo em conflitos que precisa manter a sua posição como guerreira.

Quando chegou em Theros, procurando pela paz dos deuses de Nyx, ela foi atacada por uma hidra que derrotou sozinha. Suas ações fizeram com que Heliode, o deus do sol, quisesse transformá-la em sua campeã.

Ashiok, Inspiração do Pesadelo

Ashiok, Inspiração do PesadeloAshiok, Escultor de Medos

Ashiok volta nesse plano de Theros, um personagem que sempre soubemos muito pouco, mas aparece agora como um dos destaques. Eu particularmente estou muito empolgada com ele, porque eu adoro o personagem e ele é das cores da minha guilda (Dimir né).

Ashiok usa o medo e pesadelos dos inimigos para aterrorizá-los. Para ele, o medo ganha forma através da mente, uma força que ele descobriu que pode ser moldada, trazendo-as para o plano físico. O personagem viaja pelos planos procurando formas de incorporar os medos e, por conta disso, Theros acabou atraindo a sua atenção, onde os sonhos parecem ser mais vívidos.