Dois mil e dezoito começou trazendo uma surpresa que é puro amor: Parks & Recreation, série dos criadores de The Office americano e de Brooklin Nine-Nine entrou na Amazon Prime. Se você ainda não assina esse sistema de VOD eu super te entendo, até então eu também não conseguia ver muita utilidade nesse adicionou ao meu cartão de crédito – exceto por The Thick e Community (outras séries que eu recomendo). Mas agora que Leslie Knope finalmente voltou a habitar o mundo legal da minha internet eu vou passar esse cartão com muita felicidade.

Parks and Recreation foi a série que lançou Aziz Ansari como ator, que alçou Cris Pratt ao âmbito do humor maisntream e que fez o meu coração se contorcer de vergonha alheia com as desventuras de Leslie Knope (Amy Pohler), a funcionária pública responsável pelo setor de parques e recreação da cidade de Pawnee.

1. O Humor

Parks & Rec foi produzida entre 2009 e 2015, tendo começado numa época em que não se discutia o humor tão amplamente como se faz hoje. Ainda assim a série conseguia se manter bem equilibrada entre a linha do ofensivo e o engraçado – e é por isso que eu sou tão apaixonada por ela.

O humor da série não se baseia em tirar sarro de seus personagens por que eles são minorias étnicas ou de gênero ou sexualidade, mas sim por suas características que os tornam humanos. Se o fato de Tom (Aziz Ansari) ter ascendência indiana faz parte da piada, o punchline da piada não é na sua origem nem nele mesmo, mas nas pessoas a sua volta (em geral pessoas brancas) e no modo como elas constroem conceitos (e pré-conceitos) ridículos. Alguns de seus personagens são completos babacas, mas a série não se inibe de criticá-los e ridicularizar o quão babacas eles são. É tudo mágico.

Um humor que não se conforma em só fazer rir com facilidade, mas que desafia o público e as nossas noções do que é engraçado, e isso vai desde os preconceitos que passam despercebidos no nosso dia-a-dia até as burocracias e ao ridículo de se trabalhar com tanto afinco no departamento de parques de uma cidade perdida no meio dos EUA. Isso não quer dizer que o humor é esnobe, só que não vai cair no clichê preconceituoso de todos os dias. Parks não é uma série perfeita e ela obviamente erra em alguns momentos, mas de maneira geral o humor é o mais saudável até então.

2. O Elenco e os Personagens

Leslie Knope (Amy Pohler), Tom Havenfort (Aziz Ansari), Ron Swanson (Nick Offerman), Ann Perkins (Rashida Jones), Andy Dwayer (Cris Pratt) e April (Abrey Plaza), este é o núcleo central da série. Ao longo das temporadas personagens secundários como Donna (Retta) e Jerry Gergich (Jim O’heir) ganham mais espaço e a série recebe adições de peso como Ben Wytte (Adam Scott).

Cada um dos personagens de Parks and Recreation parece ter sido desenhado pensando exatamente no forte de cada um dos atores. Assistir Andy passar de ex-namorado creepy num funcionário não tão exemplar porém esforçado é muito divertido, assim como as interações entre os dois maiores mau-humorados com o mundo, Ron e sua assistente April. Ao longo das temporadas é possível sentir que os personagens realmente evoluíram, assim como suas histórias, o que também diferencia Parks das comédias de humor mais tradicional.

Ron Swanson, aliás, é praticamente um gerador automático de memes. É possível que mesmo que você nunca tenha assistido à série já tenha utilizado um dos vários gifs com os quais ele nos presenteou:

Infelizmente nem só de coisas boas vive o elenco da série, com Rob Lowell e Louie C. K. fazendo participações recorrentes em algumas temporadas. Se você conseguir deixar isso de lada, Parks continua sendo maravilhosa apesar da presença desses dois. Além disso a série se tornou tão icônica que em sua última temporada ninguém menos que Michelle Obama, a então primeira dama dos EUA, faz uma pequena participação.

3. Você finalmente vai entender aquele meme de Stranger Things

Quando Stranger Things estrou a sua primeira temporada a internet foi carregada com um monte de memes, dentre eles estava a comparação entre o personagem adolescente Steve Harrignton (Jow Keery) e um outro personagem topetudo, Jean-Ralphio (Ben Schwartz). O furdunço foi tanto que os atores até se encontraram pessoalmente pra completar a brincadeira.

Jean-Ralphio é um personagem que aparece diversas vezes durante algumas temporadas de Parks and Rec. Ele é amigo de Tom (Aziz Ansari), completamente pirado e cheio das falcatruas para ganhar mulheres e dinheiro – nenhuma delas dá certo e a série lida com humor com todas elas.

Jean-Ralphio aparece pela primeira vez no episódio The Set Up, da segunda temporada.

4. Leslie Knope

Quem já conversou comigo por mais de uma hora provavelmente já me escutou falar sobre Leslie Knope. Eu gosto tanto da personagem que a minha gata se chama Leslie Knope. Quando eu me encontro num impasse moral, ou mesmo quando não é algo tão importante assim, eu costumo me perguntar “O que Leslie Knope faria?”

Leslie é uma mulher com aspirações políticas. Presa sob o comando de um chefe (Ron Swanson) que tem como objetivo de vida atrapalhar o governo e suas burocracias, ela precisa superar não só esse obstáculo, mas também os impropérios machistas e preconceituosos de se trabalhar no setor público de uma cidade pequena. Seja ao acidentalmente defender o casamento gay através de um casamento de pinguins, ou ao de fato concorrer para um cargo público, Leslie faz todo o seu caminho com uma campanha para empoderar a si mesma e às mulheres à sua volta. Acima de tudo, Leslie aprende muito sobre o seu lugar no mundo e sobre o que ela pode fazer para mudar esse mundo. Isso tudo, obviamente, passando muita vergonha, errando loucamente e me fazendo ter que parar o episódio por vergonha alheia e dor na barriga de tanto rir.

Acho que a Leslie foi, talvez, a primeira vez que eu realmente parei para pensar sobre como a minha existência como mulher e branca funcionava dentro da nossa sociedade. Ela obviamente comete erros, e a série é quase cruel ao lidar com esses erros, mas acima de tudo ela consegue aprender com essas falhas – e se tornar alguém melhor.

Uma das coisas mais legais da série, e da Leslie, é o modo como ela luta constantemente para desconstruir a imagem de rivalidade entre mulheres. Ela não diz que essa rivalidade não existe, mas que nós somos e podemos ser muito mais do que isso. A amizade feminina é um tema constante e muito importante para a personagem, e tratado de uma maneira divertida e acolhedora.

 

 

 

Então já sabe. Está procurando uma razão para finalmente assinar Amazon Prime, ou está procurando a próxima comédia que você vai assistir de  uma maneira que eu não irei nomear aqui? A resposta é: Parks and Recreations.

Sobre o Autor

Roteirista com uma tendência em transformar qualquer documentário sobre abacate em uma space-opera feminista.

Visualizar Artigos