Talvez uma das grandes surpresas de 2019 no sentido séries tenha sido The Mandalorian, um conteúdo original da Disney que se passa no universo Star Wars. Dirigida por Jon Favreau, a série acompanha a história do Mandalorian, ou “Mando” (Pedro Pascal). Ele está no meio de uma missão perigosa quando descobre que seu alvo não é exatamente o que ele esperava. Essa descoberta vai mudar a sua vida completamente.

A série se passa depois do episódio VI, com o império já derrotado, mas a galáxia ainda está lidando com o que sobrou dele. Apesar disso, não é preciso assistir nenhum filme de Star Wars para entender a série.

Esta crítica não tem spoilers.

Resultado de imagem para mandalorian

A primeira temporada de The Mandalorian tem oito episódios, com cerca de meia hora de duração cada. Mesmo sendo uma série que até podemos considerar curta, é impressionante e ótimo como ela consegue apresentar vários elementos do universo, como todos eles têm um motivo para estar na história e como eles são usados ao longo da trama.

A história de The Mandalorian é até simples e linear, de certa forma, mas é bem construída e feita de maneira interessante que vai prender o público do começo ao fim. Uma coisa ou outra do roteiro acaba sendo resolvida de forma simplificada demais e sim, existem algumas pontas soltas (que devem ser resolvidas nas próximas temporadas, até porque a segunda já foi confirmada), mas nada que atrapalhe o caminhar da série.

The Mandalorian tem um estilo de faroeste, misturado com um clima nostálgico de Star Wars que funciona muito bem para a temática dos caçadores de recompensas, mandalorianos e uma galáxia que está se reconstruindo de um império recém derrotado. Inclusive, as músicas da série são perfeitas para trazer esse clima à tona.

Resultado de imagem para mandalorian

Os personagens são incríveis e é ótimo como mesmo os mandalorianos, que nunca tiram seus capacetes em público, conseguem se expressar tão bem mesmo sem as expressões faciais, em especiais Mando e a líder dos mandalorianos (Emily Shallow). IG-11, um dróide, é um personagem que mesmo sendo um robô com funções específicas em sua programação, tem seu próprio arco de desenvolvimento e é muito divertido de acompanhar. Os personagens de The Mandalorian são tão bem construídos que até os que aparecem em poucos episódios são cativantes.

Todos nas redes sociais já viram a nova estrela da franquia: Baby Yoda. Além de ser muito fofo, e um acerto para a franquia em questão de produtos para serem vendidos, Baby Yoda dá toda uma dinâmica diferente para a série, ele é um dos pontos chaves que faz a história de Mando mudar completamente. A relação de pai que o protagonista cria com o Baby Yoda pode parecer só engraçada, mas na verdade é muito bem feita e até emotiva.

Os personagens com maior tempo de tela são muito mais do que eles aparentam ser. Greef Karga (Carl Weathers), por exemplo, que pode só parecer um fornecedor de missões, tem toda uma história construída ao longo dos episódios, que torna o personagem muito mais complexo. Além disso, temos Cara Dune (Gina Carano), uma ex membro da resistência e também uma personagem ótima.

Resultado de imagem para mandalorian cara dune

Em questão de diversidade, é claro que The Mandalorian podia fazer melhor, mas dá para reconhecer os pontos positivos. Poderíamos ter mais personagens femininas, mas olhando por outro lado, nós temos Cara, com bastante tempo de tela e uma das personagens mais interessantes, a líder dos mandalorianos, que aparentemente é uma das personagens mais fortes e sábias da primeira temporada, e Omera (Julia Jones), que mesmo aparecendo em só um episódio, é uma personagem muito cativante e interessante. Nem todos os personagens são brancos também, mas com certeza a série pode ficar menos branca na segunda temporada. Quanto aos personagens LGBTQ+, ou a falta deles, sabemos que a Disney não sabe muito bem lidar com isso, mas sigo na esperança de que talvez tenhamos algo decente na próxima temporada.

The Mandalorian apresenta elementos chaves da franquia Star Wars, mas sempre colocando em primeiro lugar as próprias simbologias. Sim, nós temos menções aos Jedi, à resistência e até à queda do Império, afinal de contas esse contexto é importante para entendermos como a galáxia está funcionando. Mas o que causa mais curiosidade é: Quem são os mandalorianos? O que aconteceu com eles? Quais são as suas regras? Por que eles só podem tirar a armadura longe de outras pessoas e como isso os influencia? Isso tudo enriquece a franquia. A série é ótima para fãs antigos e também para aqueles que estão chegando agora.

A segunda temporada já está confirmada para o fim de 2020 e mal podemos esperar para saber o que vai acontecer nos próximos episódios. The Mandalorian é uma série que sabe construir sua história, apresenta ótimos personagens e é super divertida. Com certeza é um respiro para quem não gostou tanto do episódio IX.