The Promised Neverland foi um dos animes mais comentados da temporada de 2019. Não é para menos, The Promised Neverland tem uma história muito bem feita e com uma primeira temporada bem redonda. Apenas recentemente tive a oportunidade de assistir o anime e entendi porque a história ficou tão popular. Logo em seguida, resolvi ler o mangá, que foi finalizado há pouco tempo.

É mais interessante começar The Promised Neverland sem saber exatamente do que a história se trata, mas dá para falar um pouco sem estragar parte da surpresa: Emma, Norman e Ray são três órfãos que moram no orfanato Grace Field. Ele e outras crianças são cuidadas pela Mãe Isabella, que toma conta de todos ali até que eles encontram uma família que queira adotá-los. As crianças não podem ir além do território da casa. Porém, uma noite, quando uma das crianças é adotada e esquece o seu brinquedo favorito, Emma e Norman vão até os portões do orfanato tentar levar o brinquedo para ela e acabam descobrindo uma coisa horrível.

Esse é um texto sem spoilers comentando sobre o anime e o mangá de The Promised Neverland e como vale a pena acompanhar essa história.

The Promised Neverland está fazendo uma pausa de uma semana ...

Um dos motivos pelo qual eu fui ler o mangá é que eu achei o anime tão bom que eu não quis esperar pela segunda temporada para saber o que acontecia. Falando especificamente do anime, The Promised Neverland funciona muito bem. O trio de personagens principais é muito cativante e o anime sabe muito bem como prender a sua atenção. Como já dá para imaginar, The Promised Neverland acaba tratando de alguns assuntos pesados, mas a história do anime consegue mostrar essa história muito bem. Não é à toa que se tornou um dos melhores animes de 2019.

O anime adapta o começo do mangá, até por volta do capítulo 30 ou 40. O mangá inteiro de The Promised Neverland tem cerca de 180 capítulos, então ainda tem bastante história para adaptar. Inclusive, depois de ler o mangá, eu consigo imaginar onde os cortes dos próximos arcos do anime serão feitos. Dá para fazer mais umas quatro temporadas, se não mais, de The Promised Neverland.

A gente sabe bem que tem mangás completamente diferentes de animes, sejam bons ou não. Hellsing, por exemplo, é um dos meus mangás favoritos e o anime é muito diferente, são histórias que vão para lados completamente opostos, então consumir as duas histórias são experiências diferentes. Já em The Promised Neverland isso não acontece, pelo menos não nesse começo. A primeira temporada do anime adapta bem ao pé da letra os primeiros capítulos do mangá. Algumas cenas acabam mudando um pouco a ordem dos fatos, algumas revelações acontecem antes de outras, mas em geral a história é basicamente a mesma. Então, se você quiser pegar o mangá a partir do ponto que a primeira temporada acaba, é completamente possível e você não vai perder nada.

Mesmo que você já tenha lido o mangá, talvez ainda assim valha a pena assistir o anime, porque ele realmente é bem feito, com animações e dublagens ótimas. Inclusive, os recursos audiovisuais ajudam a dar mais emoção para momentos tensos. Considerando os acontecimentos dos outros capítulos do mangá ainda não adaptados, imagino que as próximas temporadas do anime serão uma montanha russa de emoções.

The Promised Neverland tem trailer completo divulgado

Particularmente, eu acho a primeira metade do mangá melhor do que a segunda. Existe uma parte entre a metade e o final do mangá que eu acho que a qualidade diminui. Isso porque as coisas parecem ficar mais corridas e conflitos complexos recebem conclusões mais fáceis do que esses problemas pedem. Há partes do universo que podiam ser melhores exploradas. Mesmo com alguns problemas com a sequência final, eu gostei da conclusão, do que ela significa e que ainda é uma história que vale a pena ser lida e contada. Talvez o anime tenha a chance de colocar mais espaço para certos arcos acontecerem e tornar a história mais orgânica do que foi no mangá.

Quem viu a primeira temporada do anime sabe que existem muitas perguntas abertas em The Promised Neverland. A maioria delas é respondida ao longo de todo o mangá, então não é uma daquelas histórias que ficará com um mistério eterno e não resolvido. Algumas resoluções são melhores do que outras. Por mais que a história comece a tomar proporções maiores a medida que ela vai passando, o foco continua sendo como Emma e seus amigos estão lidando com todas as novas descobertas sobre as suas vidas.

O mangá apresenta novos personagens que são tão carismáticos quanto os que apareceram no anime, o que ajuda a manter a história interessante. E eu também gosto da progressão dos inimigos, de como os vilões vão ficando mais poderosos de uma maneira que, mesmo sendo capaz dos heróis enfrentarem, é um desafio, mas nada em um nível anormal, que acaba acontecendo com muitos shonen.

The Promised Neverland fala sobre relações de amizade, sobre família e como lidar com os seus ideias em momentos difíceis. O que vale a pena ser sacrificado? O quanto situações horríveis podem nos mudar e o quanto conseguimos nos adaptar a isso? Onde fica a linha que dividi o que é possível do ideal, e é possível cruzá-la? Esses temas são bem mostrados principalmente nos personagens principais, o que torna The Promised Neverland uma grande recomendação. Mas é possível que você vá chorar, então se prepara.

Sobre o Autor

Escritora, roteirista, poledancer nas horas vagas. Determination ♡

Visualizar Artigos