Ontem foram anunciados os vencedores do Hugo Awards de 2019, um prêmio que homenageia os melhores trabalhos de fantasia e ficção científica do ano anterior. Muitas obras excelentes foram indicadas e venceram suas categorias, mas eu queria falar de um vencedor específico.

Na categoria “Melhor trabalho conjunto”, entre vários grandes trabalhos, como os vídeos sobre O Hobbit da Lindsay Ellis e Ursula K. Le Guin: Conversations on Writing, o site AO3 ganhou o prêmio. Mas o que é o AO3?

AO3, abreviação de Archive Of Our Own, é um site de fanfics mantido por inúmeras comunidades de fãs, tanto para o site funcionar, como postando inúmeras histórias, lendo, comentando, etc. Pela primeira vez, um site de fanfic foi reconhecido em um dos prêmios mais importantes dentro do gênero de fantasia e ficção científica.

Foi muito bonito quando eu vi que, durante o discurso do prêmio, pediram que todas as pessoas na plateia que escrevessem fanfic se levantassem, para serem homenageadas também. Pensei que talvez só quem já participou ativamente desse meio entenda o quão grande isso é, por isso, como uma pessoa que lê, escreve e acompanha fanfics até hoje, pensei em explicar a importância disso.

Fanfics existem há muito tempo na história dos fandoms, as pessoas conhecem a história de como o termo Mary Sue surgiu em uma fanfic de Star Trek, anos atrás. Por ser algo conhecido como feito em sua maioria por mulheres, fanfics receberam uma fama ruim, sendo usadas para falar de algo mal escrito, por exemplo. Nós sabemos que muitas coisas amadas por mulheres e meninas são consideradas ruins ou “menores”, pois estamos em uma sociedade que gosta de menosprezar tudo que é relacionado como algo feminino.

Até hoje, quando falamos de fanfic, muitas pessoas pensam automaticamente em Cinquenta Tons de Cinza, uma obra mal escrita, que reproduz inúmeros comportamentos ruins, mas que era uma fanfic de Crepúsculo antes de se tornar um livro conhecido. Geralmente as pessoas gostam de dizer que algo é uma fanfic da obra quando falam de uma adaptação mal feita.

É óbvio que existem fanfics ruins, assim como existem livros, filmes e jogos ruins. Ainda mais sendo um espaço gratuito, as pessoas vão escrever o que bem entenderem e vão publicar. Porém, todo o aspecto positivo dessa comunidade é colocado de lado.

Primeiro que lugares como AO3 são excelentes espaços para experimentação. Escrever exige prática, muitas pessoas que escrevem fanfics querem escrever suas próprias obras um dia, como foi o meu caso. Porém, começar a escrever e criar é difícil, às vezes escrever sobre um universo que já conhecemos é muito mais simples. Além disso, nesse espaço as pessoas podem receber feedback que, como tudo na internet, pode sim envolver muito ódio, mas o espaço das fanfics também pode ser uma comunidade muito acolhedora.

A experimentação não está só no aspecto da escrita em si. Por ser um espaço gratuito e de apoio, existe uma experimentação de temas também. Quantas pessoas já não ficaram frustradas com a falta de representação LGBTQ+ em um obra, por exemplo, e foram procurar fanfics para satisfazer essa vontade de ver esse assunto tratado? Ou foram escrever as suas próprias versões, imaginando que a obra em questão não é cis heteronormativa?

Fanfics são um espaço de criatividade e também resistência. É onde podemos imaginar novas alternativas, mas também incluir o que as mídias tradicionais se recusam a mostrar. Como sites no estilo do AO3 são públicos, a barreira do dinheiro não impede que as pessoas escrevam o que quiserem, pratiquem formatos, ideias e, acima de tudo, se divirtam enquanto fazem isso. É entretenimento como qualquer outro.

O AO3 é um esforço conjunto por pessoas apaixonadas por inúmeras coisas e, por causa dessa paixão, criam histórias em cima disso. Não é o sonho de todo o fandom? É claro que algumas coisas esquisitas saem daí. Já vi fanfics que romantizavam assuntos bem complicados, mas também já vi pessoas dentro do fandom se unindo para debater porque certa fanfic podia ser problemática em certas questões.

O ambiente de fanfics, em vários momentos, é um dos únicos espaços amigáveis para minorias dentro de fandoms, para se ver representadas e para poder criar em cima de uma representação. Ainda mais em um mundo em que autores homens ainda recebem muito mais atenção, é onde mulheres encontram apoio, podem errar e aprender.

Fanfic é amor, nenhum desmerecimento vai tirar o Hugo que o AO3 ganhou, muito menos a diversão que as pessoas têm em ler e escrever fanfics. Aproveita que você chegou até aqui e lê mais do que eu escrevi sobre fanfics por aqui.